Guia do Investidor
aes brasil
Notícias

AES Brasil (AESB3) lança R$ 500 milhões em debêntures verdes de 20 anos

A (AESB3) lançou R$ 500 milhões em verdes, com prazo de 20 anos, para financiar dois desdobramentos no Complexo Eólico Tucano, no nordeste da Bahia.

A operação, composta de duas emissões, voltadas ao desenvolvimento dos campos de Tucano II e Tucano III, que colocaram, respectivamente, R$ 300 milhões e R$ 200 milhões, aconteceu em setembro de 2021.

Nas duas séries, o vencimento será em 15 de setembro de 2041. Nas notas de Tucano II, a remuneração equivale à variação do IPCA mais 6,06% ao ano. Os pagamentos serão semestrais, a partir de julho de 2024, e a remuneração sobre os primeiros dois anos será capitalizada no mesmo ano.

Já na colocação de Tucano III, a remuneração é de 6,59% ao ano, com pagamentos, também semestrais e começando em julho de 2024. Da mesma forma que na série de Tucano II, a remuneração sobre os primeiros dois anos será capitalizada em 2024.

O prazo de maturação dos papéis, longo na comparação com o , sinaliza com a percepção de segurança em relação ao desenvolvimento do Complexo de Tucano, bem como na gestão e saúde financeira da AES .

O prazo de 20 anos, pouco comum no setor elétrico, é indicativo da confiança no complexo eólico de Tucano e na gestão da companhia, que segue na expansão de seu portfólio 100% renovável”, avalia Alessandro Gregori, CFO da AES Brasil.

“Debêntures verdes” é a denominação dada a títulos de dívida corporativa emitida para captar recursos e financiar projetos ou ativos que tenham impacto socioambiental positivo. No Brasil, a modalidade é muito usada em projetos de .

Leia mais  Infra Week: Portos, Aeroportos e Ferrovias serão leiloadas nesta semana. Governo quer arrecadar R$ 10 bi

As debêntures verdes da emissão da AES Brasil são destinadas exclusivamente ao desenvolvimento do Complexo de Tucano. Com 27 aerogeradores, Tucano II terá capacidade de 167,4 MW e 73,7 MWm de energia assegurada.

O empreendimento abrangerá os municípios de Tucano, Araci e Biritinga. Por sua vez, Tucano 3, com 25 aerogeradores, entregará capacidade de 155 MW e energia assegurada de 70,4 MWhm. O campo é limitado ao município de Tucano.

Sobre o Complexo Eólico Tucano

O Complexo Eólico Tucano, com 322,4 MW de capacidade instalada, tem início de operação previsto para o segundo semestre deste ano. Sua capacidade instalada alcançará 582,8 MW, entregue em duas fases.

Fase 1: 155 MW de capacidade instalada, equivalente a 78 MW médios de energia assegurada. Do total, 60 MW serão comercializados por meio de contrato de 20 anos firmado com a Unipar. A previsão é de entrega de energia a partir de 2023.

Fase 2: 167,4 MW de capacidade instalada, equivalente a 79 MW médios de energia assegurada. Desta carga, 70 MW médios serão comercializados com a Anglo American. A entrega de energia começa neste ano, e o prazo do contrato é de 15 anos.

Nossas redes:

Leia mais

Perdido no mercado? Confira as indicações de ações da BB Investimentos e Warren para a semana

Leonardo Bruno

ANBIMA e Ministério da Economia firmam acordo para compartilhamento de dados em projetos de infraestrutura

Guia do Investidor

AES Brasil lucra R$ 70 milhões no resultado 1T22

Leonardo Bruno

Aproveite a queda da bolsa e a alta dos juros para comprar estas ações

Leonardo Bruno

CVM quer explicações: o que está acontecendo com as ações da AES Brasil (AESB3)?

Ruan Sousa

Banco do Brasil, JBS e Vale: Descubra as ações que te darão lucro em Abril

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário