Guia do Investidor
ibov
Notícias

Ainda no Azul: Ibovespa fecha positivo nesta terça

O Ibovespa, principal da Bolsa brasileira, que operou em instabilidade boa parte do pregão desta terça-feira, fechou no terreno positivo. O índice subiu 1,11% aos 103.361 pontos, depois de oscilar entre 101.693 e 103.659 pontos.

image 16

O volume financeiro ficou em R$ 20,23 bilhões às vésperas da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que iniciou a reunião de dois dias hoje. Com o resultado desta sessão, o indicador acumula de cerca de 1,30% no ano.

A Bolsa fechou na contramão dos índices americanos, que fecharam em baixa com o aumento da tensão entre Estados Unidos e . Dow Jones recuou 1,23%, S&P caiu 0,64% e Nasdaq 0,16%.

O que puxou o Ibovespa para o azul foi a perspectiva de alta dos no Brasil. Os investidores aguardam a nova alta dos juros no Brasil, que deve ser anunciada amanhã. A expectativa é de que o Central aumente em 0,5 ponto percentual a taxa básica de juros, mas o está dividido sobre o fim do ciclo de alta da Selic já nesta reunião. Hoje, os juros no país estão em 13,25%.

“Temos uma sensação de melhora em relação à inflação devido às decisões do governo em relação à diminuição do imposto de ICMS diminuindo preços de gasolina e energia, mas se trata de um alívio temporário. Ainda não temos o problema da inflação resolvido”, disse Marcus Labarthe, sócio-fundador da GT Capital.

Dólar em alta

Ademais, o dólar operou em forte alta frente ao real e às principais moedas globais, refletindo a cautela dos investidores com o cenário geopolítico e reagindo às declarações mais duras de membros do Fed sobre os rumos da política monetária nos . Às 17h18, o dólar futuro para setembro subia 1,64%, a R$ 5,3240

Leia mais  Rede Mater Dei (MATD3) anuncia aquisição do EMEC, hospital de Feira de Santana, na Bahia

Os destaques do mercado

As de empresas ligadas a commodities metálicas se destacaram entre as maiores altas do Ibovespa nesta 3ªF, corrigindo parte das perdas de ontem. VALE3 registrou +3,19% (R$ 70,25), , +3,08% (R$ 24,40) e USIM5, +2,93% (R$ 8,44). Papéis de grandes bancos também apresentaram recuperação: SANB11 (+0,69%; R$ 27,85), ITUB4 (+1,07%; R$ 23,72), BBAS3 (+1,36%; R$ 36,16), BBDC3 (+1,46%; R$ 14,64) e BBDC4 (+1,73%; R$ 17,67). Já PETR3 subiu 0,05% (R$ 36,52) e PETR4 ganhou 0,45% (R$ 33,83), acompanhando a ligeira alta do petróleo.

O com maior valorização do índice hoje foi LWSA3, que avançou 8,72%, a R$ 7,73. Em seguida no ranking, HAPV3 teve elevação de 5,23% (R$ 6,44) e IRBR3 subiu 3,65% (R$ 1,99). A maior perda do Ibovespa foi de VIIA3, que baixou 3,69%, a R$ 2,35, acompanhada de CYRE3, que caiu 3,02%, a R$ 12,54, e EZTC3, que cedeu 2,80%, a R$ 16,29, diante da expectativa de novo aumento da Selic pelo BC.

Recomendações no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais

Refletindo na “chuva de resultados”, Ibovespa recupera os 110 mil pontos nesta manhã

Leonardo Bruno

Fim da Euforia? Ibovespa volta a fechar no vermelho após 7 sessões em alta

Leonardo Bruno

Ibovespa segue disparando e bate os 111 mil pontos

Leonardo Bruno

De volta aos 110 mil pontos: Confira os destaques da Bolsa hoje

Leonardo Bruno

Com deflação e resultados no Radar, Ibovespa começa a flertar com os 110 mil pontos

Leonardo Bruno

Em dia histórico de deflação, Ibovespa testa 109 mil pontos

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário