Guia do Investidor
Arte: GDI
Notícias

Anatel lista sites que mais vendem celulares irregulares

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • Anatel impõe medida cautelar contra Amazon e Mercado Livre por venda de celulares ilegais no Brasil.
  • Fiscalização revelou que 51,52% dos anúncios de celulares na Amazon e 42,86% no Mercado Livre não tinham certificação oficial da Anatel.
  • Empresas “não conformes” devem remover imediatamente os anúncios irregulares e implementar medidas corretivas sob pena de multas e suspensão das atividades.
  • Magazine Luiza foi destacado por não apresentar anúncios ilegais e foi considerado “conforme” pela Anatel.
  • Outros varejistas como Lojas Americanas e Grupo Casas Bahia são “parcialmente conformes” e também precisarão fazer ajustes.
  • Shopee e Carrefour foram classificados como “conformes” por já terem compromissos de combate à pirataria com a Anatel.
  • Fiscalização ocorreu de 1º a 7 de junho com uma ferramenta de alta precisão, alcançando 95% de acurácia.
  • Anatel planeja expandir fiscalizações para outros produtos não homologados no futuro, visando garantir a legalidade e segurança no mercado brasileiro.
Leia mais  Calendário Resultados 4T20 Completo: veja todas as datas

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou hoje uma medida drástica contra gigantes do comércio eletrônico no Brasil devido à venda de celulares sem certificação oficial e entrada irregular no país. A fiscalização revelou que empresas como Amazon e Mercado Livre apresentaram taxas alarmantes de anúncios de produtos não homologados: 51,52% na Amazon e 42,86% no Mercado Livre.

Essas constatações levaram à classificação dessas empresas como “não conformes”, obrigando-as a remover os anúncios irregulares imediatamente e implementar medidas rigorosas determinadas pela Anatel. O não cumprimento das novas diretrizes pode acarretar multas severas e até mesmo a suspensão das atividades dos sites.

Em contrapartida, o Magazine Luiza se destacou positivamente, não apresentando qualquer anúncio de celulares ilegais em sua plataforma, sendo considerado plenamente “conforme” com as regulamentações da Anatel. Outros varejistas, como Lojas Americanas e Grupo Casas Bahia, foram classificados como “parcialmente conformes” e também receberão orientações para ajustes necessários.

Shopee e Carrefour foram mencionados como “conformes”, tendo se comprometido previamente com a Anatel para implementar medidas eficazes de combate à pirataria, embora os detalhes específicos de não conformidade não tenham sido divulgados.

A ação de fiscalização ocorreu entre 1º e 7 de junho e utilizou uma ferramenta de varredura da Anatel com alta precisão, alcançando 95% de acurácia. O presidente da Anatel, Carlos Baigorri, enfatizou que as negociações para eliminar a venda de celulares ilegais têm sido conduzidas há aproximadamente quatro anos, visando um processo colaborativo com as empresas do setor.

“O Mercado Livre e a Amazon em nenhum momento se engajaram nesse processo colaborativo. Elas têm uma proporção claramente absurda de produtos que atentam contra a lei, a segurança e a vida das pessoas”.

Argumentou Carlos Baigorri.

Após o foco nos celulares, a Anatel planeja estender suas fiscalizações para outros tipos de produtos comercializados sem homologação, reforçando seu compromisso com a legalidade e segurança dos produtos oferecidos no mercado brasileiro.

Leia mais  S.O.S: Americanas estuda empréstimo emergencial com acionistas

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Acionista da Americanas eleva participação à 12,5% das ações

Paola Rocha Schwartz

Americanas aprova aumento de capital em Recuperação Judicial

Paola Rocha Schwartz

Starlink, de Elon Musk, lidera internet por satélite no Brasil

Paola Rocha Schwartz

TCU aprova acordo entre Oi e Anatel

Márcia Alves

Americanas diz que apresentará resultados de investigações na próxima semana

Márcia Alves

PF Cumpre mandados de prisão contra e ex-executivos da Americanas

Márcia Alves

Deixe seu comentário