Guia do Investidor
Free Google
Ações

As ações com os piores desempenhos nos últimos 10 anos

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Uma das características marcantes da Bolsa é a sua mudança de cenários. Por meio das novidades informadas pelas empresas e a volatilidade das ações, constantemente surgem espaços para novas oportunidades. E isso vale tanto para os investidores com estratégia de curto prazo, como de longo prazo.

Certamente, quem já está há um bom tempo na Bolsa, viu muitas transformações nesses últimos anos. Assim, foi possível acompanhar empresas que prometiam potencial quando ingressaram na Bolsa e se tornaram cases de sucesso tempos mais tarde, como a Magazine Luiza (MGLU3), a Sinqia (SQIA3), a Locaweb (LWSA3), entre outros.

Por outro lado, nesse meio tempo também foi possível acompanhar a queda de grandes empresas. Dessa forma, algumas das companhias com credibilidade no mercado chegaram ao ponto de uma recuperação judicial ou fusão com outra empresa. Acompanhe a seguir as companhias, cujas ações apresentaram os piores desempenhos nos últimos 10 anos.

Os piores desempenhos das ações em 10 anos

A princípio, as maiores desvalorizações entre as companhias com ações listadas na Bolsa são das companhias: PDG Realty (PDGR3), Lupatech (LUPA3) e OSX Brasil (OSXB3).

PDG Realty (PDGR3)

No caso da PDG Realty (PDGR3), a companhia sediada no Rio de Janeiro atua no ramo imobiliário com foco para o segmento popular. Além disso, a construtora é a segunda maior no Brasil, atrás apenas da Cyrela.

Nesse sentido, conforme o gráfico a seguir, a empresa teve uma boa valorização de suas ações, chegando a impressionantes R$ 5.625,00 por ação em 2010. Por outro lado, quando os problemas foram se destacando, os preços das ações seguiram em um movimento de queda até os atuais R$ 5,65 por ação. Confira:

ações piores desempenhos
Gráfico de preço das ações da PDG Realty de 2007 ate 2021 (Imagem: Google Finance).

Desde 2017, a companhia está em Recuperação Judicial (RJ). Naquela época, a construtora acumulava uma dívida de R$ 4 bilhões e problemas como atrasos de obras, problemas de gestão e outros que fizeram com que sua situação se complicasse.

Atualmente, a PDG Realty segue executando o seu plano para reconquistar a credibilidade no mercado. Entre os fatos mais recentes, está o retorno do controle, de forma indireta, do ex-presidente Vladimir Kundert Ranevsky, por meio fundo de investimentos em direitos creditórios VKR, assumindo 57% do capital da construtora.

Lupatech (LUPA3)

A respeito da Lupatech (LUPA3), a companhia se trata de uma fornecedora de equipamentos e serviços para o setor de óleo e gás. Nesse sentido, um dos seus principais clientes era a Petrobras. Para se ter ideia, a petroleira brasileira já chegou a ser responsável por 85% do faturamento da Lupatech em 2015.

No entanto, o seu maior triunfo também era a sua maior fragilidade. Afinal, um bom investidor sabe da importância de diversificar a sua carteira. E para uma empresa, a regra não cai nada mal.

O que ocorreu foi que a Petrobras, na época afetada pelos escândalos da Lava Jato, fez uma reestruturação de seus gastos. Dessa forma, a demanda pelos serviços que a Lupatech fornecia caíram, impactando o balanço da companhia que contava um considerável endividamento na época. O resultado foi um pedido de Recuperação Judicial em 2015.

Ao mesmo tempo, ocorreram quedas no preço de suas ações a patamares muito abaixo do que já foram um dia, conforme o gráfico a seguir:

ações piores desempenhos
Gráfico de preço das ações da Lupatech de 2007 ate 2021 (Imagem: Google Finance).

OSX Brasil (OSXB3)

Em relação à OSX Brasil (OSXB3), ela se trata de uma empresa do Grupo EBX, fundada em 2009 e pertencente ao empresário Eike Batista. Nesse sentido, a sua atuação envolve as áreas de construção naval, leasing e serviços operacionais de navios. Ao mesmo tempo, o seu principal foco era atender a outra empresa do grupo, a OGX.

A princípio, a companhia, como todas do grupo, compartilhavam de credibilidade no mercado. No entanto, após sofrer cancelamentos de encomendas de equipamentos, bem como o fim do ciclo da alta dos preços das commodities no mercado internacional em 2013, houve a abertura do processo de Recuperação Judicial em 2014.

Também vale mencionar os problemas ligados a Eike Batista, como processos relacionados a pagamento de propinas para diversos políticos, fraudes da principal companhia do grupo, a OGX, e ainda a condenação por manipulação de mercado.

Considerando esse fatores, as ações entraram em desvalorização, contando hoje com o preço de R$ 14,05, conforme o gráfico a seguir:

ações piores desempenhos
Gráfico de preço das ações da OSX Brasil de 2010 ate 2021 (Imagem: Google Finance).

Sobre as notícias mais relevantes, em dezembro de 2020, a OSX saiu da Recuperação Judicial. Por outro lado, vale dizer que ainda existe um longo caminho até chegar aos patamares anteriores, mesmo em sua nova fase atual.

Em suma, a lista com as 15 ações com os piores desempenhos nos últimos 10 anos é a seguinte:

AçãoEmpresaDesvalorização
PDGR3PDG Realty-99,86
LUPA3Lupatech-99,62
OSXB3OSX Brasil-99,24
RCSL4Recrusul-99,11
MMXM3MMX Mineração e Metálicos-98,50
SLED4Livraria Saraiva-97,86
RSID3Rossi Residencial-96,80
BBRK3BR Brokers Participações-96,58
RNEW11Renova Energia-95,48
PABY11Fundo de Investimento Imobiliário Panamby-94,11
PLAS3Plascar-92,62
GFSA3Gafisa-92,08
TCSA3Tecnisa-91,37
GSHP3General Shopping-89,23
LLIS3Restoque-87,10

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Assembleia Geral de Credores da Oi (OIBR3) é homologada

Mateus Sousa

Pedidos de recuperação judicial crescem quase 70% em 2023

Guia do Investidor

Unigel entrará em recuperação judicial, diz site

Lara Donnola

Mais de 2 milhões de empresas fecharam no Brasil em 2023

Lara Donnola

Recuperação da OSX, de Eike Batista, pode levar mais de 10 anos

Guia do Investidor

Gafisa recebe “julgamento” do mercado após prévia do 4T23

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário