Guia do Investidor
Imagem/Reprodução Aura
Notícias

Aura registra aumento anual de 33% na produção do 2º trimestre

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • No 2T24 a produção da Aura Minerals atingiu 64.326 onças
  • Isto marca uma queda de 6% em relação ao primeiro trimestre de 2024, mas um aumento de 33% em comparação com o ano passado
  • A empresa destacou o desempenho notável da mina Minosa durante o trimestre, alcançando uma produção estável de aproximadamente 19 mil GEO

No segundo trimestre de 2024 (2T24), a produção total da Aura Minerals (AURA33) atingiu 64.326 onças equivalentes de ouro (GEO), marcando uma queda de 6% em relação ao primeiro trimestre de 2024, porém um aumento significativo de 33% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

A empresa destacou o desempenho notável da mina Minosa durante o trimestre, alcançando uma produção estável de aproximadamente 19 mil GEO. Esse resultado segue cinco aumentos trimestrais consecutivos de produção, impulsionados por melhorias operacionais implementadas em 2023.

Leia mais  Aura Minerals (AURA33) apresenta Relatório de Sustentabilidade de 2022

A produção na mina Aranzazu atinge 24.692 GEO, com leve queda em comparação com o 1T24 e o 2T23, a preços constantes. Em Apoena (EPP), a produção alcança 9.912 GEO, uma queda de 18% em relação ao trimestre anterior. Porém um aumento de 43% em relação ao mesmo período do ano anterior, impulsionada por maiores teores. Enquanto isso, em Almas, a produção é de 10.580 GEO, registrando uma redução de 11% devido à mudança de contratista no trimestre. No primeiro semestre de 2024, a produção total da Aura atinge 132.513 GEO, alinhando-se com o guidance de produção esperado para 2024, entre 244.000 e 292.000 GEO.

Aura aprova desdobramento de BDRs em proporção de 1 para 3

  • O conselho da Aura Minerals aprovou a modificação no Programa Patrocinado de Certificados de Depósito de Valores Mobiliários Nível III
  • A alteração visa ajustar a proporção de paridade entre ações e BDRs
  • Cada titular de BDR, portanto, registrado receberá 2 novos BDRs para cada BDR detido na data-base de 10 de julho

O Conselho de Administração da Aura Minerals (AURA33) aprovou a modificação no Programa Patrocinado de Certificados de Depósito de Valores Mobiliários Nível III (BDRs) da companhia.

alteração visa ajustar a proporção de paridade entre ações e BDRs. Resultando, assim, em um desdobramento exclusivo dos BDRs lastreados em ações emitidas pela empresa. Consequentemente, a nova paridade do programa será de 1 ação para 3 BDRs.

Leia mais  Aura Minerals (AURA33) comunica início da produção comercial de Almas (TO)

Cada titular de BDR registrado receberá 2 novos BDRs para cada BDR detido na data-base de 10 de julho. Anteriormente, cada BDR representava 1 ação ordinária da companhia, e após o desdobramento, a proporção será de 3 BDRs para cada ação ordinária. Atualmente, a Aura possui 19.256.720 BDRs sem valor nominal. Após o desdobramento, o número de BDRs emitidos pela Aura aumentará para 57.770.160.

A empresa

Aura Minerals é uma empresa mineradora internacional focada na produção e exploração de ouro e outros metais preciosos. A companhia possui operações em diversas minas nas Américas, incluindo o Brasil, Honduras e México.

A Companhia é conhecida por sua abordagem sustentável e responsável nas operações de mineração, buscando não apenas eficiência na produção mineral, mas também impacto positivo nas comunidades onde está presente. A empresa, contudo, é listada na bolsa de valores e possui um portfólio diversificado de ativos minerais.



Leia mais  Produção da PetroReconcavo (RECV3) cresce 1% em maio
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Aura aprova desdobramento de BDRs em proporção de 1 para 3

Paola Rocha Schwartz

Aura Minerals converte dividendos para real

Márcia Alves

Spotify estuda novo plano premium mais caro, entenda

Rodrigo Mahbub Santana

Produção da PetroReconcavo (RECV3) cresce 1% em maio

Paola Rocha Schwartz

Petróleo dispara com maior demanda no radar

Márcia Alves

Importações em alta e Vendas em queda na Indústria de máquinas brasileira

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário