Guia do Investidor
B3 GDI 1
Notícias

B3 fará pagamento de dividendos

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

O pagamento será de R$ 470 milhões em proventos, entre dividendos e juros sobre o capital próprio (JCP).

A B3 informou que o seu conselho de administração, aprovou o pagamento de R$ 470 milhões em proventos, entre dividendos e juros sobre o capital próprio (JCP).

Segundo informações, os acionistas irão receber um total de R$ 280 milhões, equivalente ao valor bruto de R$ 0,05108332 por ação. O pagamento, já irá reduzir o Imposto de Renda na Fonte de 15% (exceto para acionistas com tributação diferenciada ou isentos), resultará em um valor líquido de R$ 0,04342082 por ação, considerando o número de ações em circulação até 31 de maio.

A empresa informou que, além dos JCP, será distribuído dividendos referentes ao resultado do 1T24, no valor total de R$ 190 milhões. Este montante equivale a R$ 0,03466368 por ação, também considerando o número de ações em circulação até 31 de maio.

O pagamento será realizado em 05 de julho de 2024 e tomará como base de cálculo a posição acionária de 18 de junho de 2024. A partir de 19 de junho, os acionistas não terão mais direito ao pagamento.

B3 já possui 19,4 milhões de investidores

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

O mês de março registrou um aumento na base de investidores pessoas físicas na B3 pelo oitavo mês seguido, somando 5,1 milhões de investidores em renda variável e 16,3 milhões em renda fixa. O total de investidores na bolsa brasileira atingiu a marca total de 19,4 milhões de pessoas físicas (descontando as duplicidades de investidores que investem em produtos das duas modalidades), uma alta de 2% no ano. Desde 2020, a base de investidores já cresceu mais de 80%.

Leia mais  Ibovespa fecha em alta impulsionada por commodities

No balanço do 1º trimestre apresentado pela bolsa, o valor em custódia dos investidores também cresceu se comparado ao mesmo período do ano anterior: em renda variável (ações, ETFs, BDRs e FIIs, entre outros), o valor chegou a R$ 556,5 bilhões, uma alta de 27%; já em renda fixa (produtos de dívida e captação bancária) o valor em custódia atingiu a marca de R$2,2 trilhões, uma alta de 24% se comparado ao período anterior. A participação da pessoa física no volume do mercado de ações é de 18%. Em 2020, elas representavam 14%.

Em renda fixa, produtos de captação bancária como CDBs, RDBs, LCIs e LCAs ganharam 1,9 milhão de novos investidores no trimestre e os de dívida corporativa (debêntures, CRIs, CRAs e notas comerciais) 182,8 mil novos investidores. Os valores em custódia também cresceram nesses investimentos: 22% no caso de captação bancária, atingindo R$1,7 trilhão e 38% em dívidas corporativas (R$ 310,3 bilhões). Já o Tesouro Direto registrou 500 mil novos investidores entre março de 2023 e março de 2024, com um volume investido que chega a R$ 130 bilhões.

Leia mais  Weg (WEGE3) fará pagamento de R$ 242,3 milhões de JCP

Outro destaque do trimestre foram os fundos imobiliários, que cresceram o número de investidores em 5% nos últimos três meses, chegando a 2,6 milhões. O investimento em fundos de investimento imobiliários é predominantemente dominado pelas pessoas físicas, que hoje detêm 76% do saldo total no produto.

“O número de pessoas alocando parte de seus recursos em Bolsa mantem uma tendência positiva há meses. É uma gaveta que se abriu dentro do plano orçamentário destinado para renda variável. Assim como gavetas para renda fixa, poupança, fundos entre outros produtos. Ao possuir um determinado instrumento financeiro, o investidor passa a ter contato e aprender sobre o entorno desse ativo, o que a empresa faz, sua gestão, política de pagamento de dividendos, números, dados financeiros etc. É um movimento crescente no entendimento e conscientização sobre investimentos”, afirma Felipe Paiva, diretor de Relacionamento com Clientes e Pessoas Físicas da B3.

O diretor destaca que o aumento do número de pessoas físicas chegando à bolsa exige um investimento constante da B3 em tecnologia voltada a melhorar a experiência do investidor. “Os brasileiros já se acostumaram com as facilidades que a tecnologia pode proporcionar em diferentes áreas de economia, e não seria diferente para o mundo das finanças. O nosso papel é justamente construir facilidades e novidades para tornar a experiência cada vez mais motivadora e sem fricções que, no final do dia, entregue para esse investidor valor relacionado à otimização de tempo, serviço e informação”, explica Paiva.

Leia mais  Tim anuncia pagamento de R$ 300 milhões em JCP

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Armac anuncia pagamento de dividendo e JCP

Márcia Alves

Ibovespa inicia com queda e principais ativos sem força

Paola Rocha Schwartz

Ibovespa abre novamente com queda e alguns ativos instáveis

Paola Rocha Schwartz

Banco Mercantil anuncia pagamento de R$ 102 mi em JCP

Márcia Alves

B3 lançará novo índice que agrega BDRs de empresas brasileiras: confira o resumo do dia

Márcia Alves

B3 lançará novo índice que agrega BDRs de empresas brasileiras

Márcia Alves

Deixe seu comentário