Guia do Investidor
Azul GDI 1
Notícias

BlackRock compra ações da Azul (AZUL4)

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A gestora americana BlackRock, uma das maiores do mundo, elevou participação na Azul (AZUL4).

Na terça-feira (09), a gestora americana BlackRock, uma das maiores do mundo, informou ter elevado a sua participação na Azul (AZUL4).

“O objetivo das participações societárias acima mencionadas é estritamente de investimento, não objetivando alteração do controle acionário ou da estrutura administrativa da companhia”, explicou a BlackRock.

Segundo o comunicado, a BlackRock adquiriu as ações preferenciais emitidas pela Azul, sendo que, em 04 de julho de 2024, suas participações, de forma agregada, passaram a ser de 16.171.414 ações preferenciais e 274.481 American Depositary Receipts (ADRs), representativos de 823.443 ações preferenciais, totalizando 16.994.857 ações preferenciais, representando aproximadamente 5,061% do total de ações preferenciais de emissão da companhia e 952.875 instrumentos financeiros derivativos referenciados em ações preferenciais com liquidação financeira, representando aproximadamente 0,283% do total de ações preferenciais de emissão da Azul.

Leia mais  Fusões e Tensões: Altas e Baixas no Mercado Brasileiro

BlackRock elevou participação na Alpargatas

 A gestora americana BlackRock, anunciou ter elevado sua participação na Alpargatas.

“O objetivo das participações societárias acima mencionadas é estritamente de investimento, não objetivando alteração do controle acionário ou da estrutura administrativa da companhia”, explicou a BlackRock.

Em 03 de julho de 2024, as participações da gestora, de forma agregada, passaram a ser de 17.269.816 ações preferenciais, representando aproximadamente 5,026% do total de ações preferenciais emitidas pela companhia. 

Sobre a BlackRock

BlackRock, Inc é uma empresa multinacionalestadunidense de investimentos. Sediada em Nova York é a maior operadora em gestão de ativos e gestão de riscos e o maior sistema banca sombra do mundo. Suas ações estão listadas na New York Stock Exchange.

Azul avalia fusão com Gol em até três meses, revela jornal

Novos desenvolvimentos sobre uma possível fusão entre Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) ganham destaque entre os investidores. Segundo informações do jornal Valor Econômico na última sexta-feira (5), a Azul planeja apresentar uma proposta de fusão à Gol nos próximos três meses. Isto, no tribunal de falências de Nova York.

Leia mais  Azul propõe compra de operações relativas à Avianca

Atualmente, a Azul está em negociações com o Grupo Abra. Este, acionista controlador da Gol e da Avianca. O processo de recuperação judicial (Chapter 11) da Gol tem impactado o valor das ações da empresa, enquanto o valor de mercado da Azul é seis vezes maior que o da Gol. No entanto, a Azul enfrenta desafios financeiros significativos, incluindo negociações com credores em um cenário de desvalorização do real e custos elevados.

Fontes indicam que as conversas entre os acionistas da Azul e da Abra estão avançando, mas questões como a estrutura de governança e a troca de ações ainda estão sendo discutidas intensamente.

Além disso, segundo o Bradesco BBI, as ações não estão sendo consideradas justamente avaliadas por algumas fontes. O banco avalia positivamente a notícia, indicando que uma fusão entre Azul e Gol poderia resultar em sinergias. Ainda, a pós-fusão de R$ 10 por ação da Azul (AZUL4).


Leia mais  Hora de decolar com a Azul (AZUL4)? Corretoras atualizam recomendações
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Cade investiga acordo entre Azul e Gol por violação antitruste

Paola Rocha Schwartz

BlackRock lucra US$ 1,5 bi no 2T24 e supera expectativas

Paola Rocha Schwartz

Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) se manifestam sobre notícia na imprensa

Márcia Alves

BlackRock eleva participação na Alpargatas

Márcia Alves

Azul avalia fusão com Gol em até três meses, revela jornal

Paola Rocha Schwartz

Ibovespa sobe 0,25% apesar de declarações de Lula

Rodrigo Mahbub Santana

Deixe seu comentário