Guia do Investidor
Porquinho
Educação financeira

Brasileiros passaram a poupar mais durante a pandemia: veja motivos

Por vários motivos, o brasileiro passou a poupar mais durante a . Você fez isso?

Guardar dinheiro pode ser uma ótima opção para o orçamento. Se você souber como fazer, poderá adquirir o que deseja e ter uma vida mais confortável.

Ao longo deste conteúdo, contamos o que levou as famílias a guardarem dinheiro, e como você pode seguir o exemplo delas.

e pandemia: principais mudanças

A trouxe mudanças significativas para as finanças dos brasileiros. Apesar da perda do poder de compra, provocada pela alta da inflação, as pessoas também tiveram menos gastos em alguns setores.

Caiu, por exemplo, o gasto com transporte e lazer. Em contrapartida, subiu o valor da conta de energia e o consumo de delivery. Além disso, quem tinha um orçamento mais confortável passou a guardar mais dinheiro.

Por que brasileiro passou a poupar mais?

Desde o início da pandemia, em 2020, os brasileiros procuraram . Para se ter uma ideia, 70% das pessoas passaram a poupar mais neste período.

Foram várias as razões pelas quais isso ocorreu. Veja abaixo.

Incerteza sobre o futuro

A pandemia do coronavírus trouxe vários tipos de incertezas às pessoas. Se elas vão estar aqui amanhã, se sua família vai estar amparada, se você vai ter um ou não etc.

Essa foi uma das razões para a de muitas famílias. A imprevisibilidade do futuro fez aumentar a percepção de que é essencial ter um pouco de dinheiro guardado. Assim, se algum imprevisto acontecer, os valores poderão ajudar a lidar com ele.

Preocupação com despesas médicas

Sem dúvida, a preocupação com a saúde aumentou muito nos últimos tempos. A busca por seguros e por planos de saúde cresceu, por exemplo. É reflexo de que as pessoas querem cuidar da família sem depender totalmente do SUS (Sistema Único de Saúde).

O dinheiro guardado pode ajudar a pagar um plano, um seguro, consultas médicas particulares, remédios e por aí vai.

Leia mais  Como economizar na hora de comprar um carro

Impossibilidade de gastos com lazer e viagens

Os espaços de lazer, restaurantes e até as cidades fecharam para as pessoas. O turismo foi prejudicado neste tempo de pandemia, e só agora dá sinais de recuperação.

Por isso, muitos gastos com lazer acabaram não acontecendo. Não porque as pessoas não queriam, mas porque foram obrigadas pela situação de emergência sanitária.

Assim, houve certa economia no orçamento. A ficou um pouco mais polpuda com os valores não gastos para se divertir.

Como organização financeira pode ser uma aliada

Durante a pandemia, muita gente economizou porque achou melhor. Outras, porque foram obrigadas. Mas não importa a situação, guardar dinheiro pode ser uma ótima alternativa.

Afinal, como falamos, os momentos de incerteza são grandes. Ter valores guardados pode evitar problemas depois.

Ao mesmo tempo, poupar ajuda a ter dinheiro para realizar grandes compras e sonhos. Como adquirir um imóvel próprio, por exemplo.

Mas, para tudo isso, é preciso ter uma boa organização financeira.

O segredo do planejamento

O maior segredo do planejamento financeiro é definir metas. Se você escolher guardar só “o que sobra” no seu mês, isso deixa sua economia muito aberta e não cria um senso de urgência.

Por isso, a primeira coisa que você precisa fazer é entender o seu orçamento hoje. Saiba o quanto você pode realmente guardar, calculando quanto você ganha e quanto gasta.

Em seguida, defina esse mínimo que você vai guardar por mês. Se em algum momento for possível poupar mais, ótimo; se não, o valor mínimo que você definir será obrigatório.

Isso vai ajudar você a ter mais controle do orçamento. Porque, se perceber que vai gastar parte do que você deveria poupar, você terá maior entendimento que aquele gasto não é necessário. Então, vai poupar, pois estabeleceu essa meta consigo mesmo.

Leia mais  Abrir MEI: passos necessários para ter seu CNPJ

Outra coisa importante é pensar o que você vai fazer com o dinheiro. Pode ser apenas economizar para quando for necessário, por exemplo. Mas se você tiver um objetivo de compra, fique com ele em mente. Isso vai manter o estímulo para controlar as finanças.

Uma última dica é usar as ferramentas que possui a seu favor com consciência. Uma delas é o cartão de crédito, que pode apresentar benefícios como cashback e programa de milhas, mas é necessário que use-o com controle, se comprometendo apenas com aquilo que pode pagar.

Não deixe as dívidas virarem uma bola de neve

Dívidas podem acontecer em muitas situações. Inclusive se você tiver dinheiro guardado (talvez ele não seja suficiente na emergência).

Porém, deixar as dívidas se acumularem e se tornarem cada vez maiores é péssimo para o orçamento!

Débitos são uma preocupação a mais e também colocam pressão no orçamento. Afinal, você terá que tirar parte dele para arcar com os valores, e outras contas podem apertar.

Então a dica é: evite as dívidas ao máximo. E, se elas acontecerem, se organize para pagá-las o mais rápido possível.

Se for preciso, tente renegociar sua dívida com os credores. Principalmente se elas já tiverem acumulado . Com um valor menor e um prazo de maior, pode ser mais simples quitar o que estiver pendente.

Para quitar as dívidas, também é uma boa saída obter um empréstimo. Assim, você pode quitar o débito mais caro e apenas manter as parcelas do crédito que pegar emprestado.

Leia mais  Como as empresas podem se preparar para um futuro de incertezas pós-pandemia

Outra coisa: se estiver com débitos em aberto, coloque um freio nos seus gastos. Continuar gastando na mesma medida pode prejudicar ainda mais sua situação.

Pense a longo prazo

Como falamos antes, na hora de planejar o orçamento, você precisa definir metas, planejar o futuro.

É assim que você vai conseguir estímulo para manter as contas em dia e poupar. Mas o ideal é pensar para todos os momentos: o curto, o médio e o longo prazo.

Seu objetivo para o curto prazo pode ser, por exemplo, pagar a dívida do cartão de crédito. Para o médio, você pode estabelecer um valor X de economia. Para o longo prazo, pode esperar comprar um carro novo.

Ter esses objetivos bem traçados cria uma sensação de obrigatoriedade. Assim, se você se sentir “tentado” a gastar com algo supérfluo, vai ter metas para incentivar você a manter o controle das finanças.

Considerações finais

A palavra-chave para manter um orçamento saudável, na pandemia ou depois dela, é: planejamento.

Tenha cuidado com as suas finanças, se organizando e sabendo o que você pode ou não fazer. Dessa forma, você vai evitar acumular dívidas e terá mais capital para lidar com emergências ou realizar seus planos.

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Pandemia acentuou desigualdades na economia brasileira

Guia do Investidor

Gestão financeira para iniciar seu negócio

Juros Baixos

BB Seguros faz parceria com app New School para desenvolver curso de educação financeira voltado a jovens das periferias

Guia do Investidor

Alfabetização financeira das micro e pequenas empresas brasileiras supera média de integrantes do G20

Guia do Investidor

Com Selic a 12,75%, educadora financeira alerta sobre compras a prazo

Guia do Investidor

Com pandemia, guerra e falta de políticas públicas a inflação assola o País

Guia do Investidor

Deixe seu comentário