Guia do Investidor
casas bahia GDI
Notícias

Casas Bahia tem plano de recuperação aprovado

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • Homologação Aprovada: Justiça de SP aprova plano de recuperação extrajudicial da Casas Bahia.
  • Impugnação Rejeitada: Pedido dos credores Pentágono e Opea é rejeitado; quórum de 38,56% considerado suficiente.
  • Natureza dos Créditos Equivalente: CRIs equiparados às debêntures.
  • Agilidade na Homologação: Concluída em menos de 60 dias, uma das mais rápidas.
  • Novas Debêntures Emitidas: R$ 4,1 bilhões emitidos para substituir as anteriores.
  • Pedido de Recuperação: Feito em abril para renegociar dívidas de R$ 4,1 bilhões; acordo prévio com Bradesco e Banco do Brasil.
  • Renegociação de Dívidas: Custo reduzido de CDI + 2,7% para CDI + 1,2%; prazo estendido de 22 para 72 meses; preservação de R$ 4,3 bilhões de caixa até 2027.
  • Conversão de Dívidas em Ações: Credores podem converter 63% dos valores devidos em ações da varejista.
  • Carência nos Pagamentos: Carência de 24 meses para juros e 30 meses para o principal; desembolso reduzido de R$ 4,8 bilhões para R$ 500 milhões até 2027.
  • Assessoria Jurídica e Financeira: Pinheiro Neto atuou como assessor jurídico, e a Lazard como assessor financeiro.

A Justiça de São Paulo homologou nesta quarta-feira, 19, o plano de recuperação extrajudicial da varejista Casas Bahia. A decisão, divulgada pela revista Exame, confere respaldo legal ao plano negociado diretamente entre a empresa e seus credores.

Leia mais  Ranking melhores ações de dividendos de 2019 e melhores para 2020

Na mesma decisão, a Justiça rejeitou o pedido de impugnação feito pelos credores Pentágono e Opea. Eles argumentaram que o quórum para a formação da classe de credores não estava comprovado, especialmente quanto à representatividade do Banco do Brasil nos créditos de debêntures. Contudo, o juiz Jomar Juarez Amorim, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, concluiu que, mesmo desconsiderando os créditos do Banco do Brasil nas 6ª e 7ª emissões, o quórum alcançado foi de 38,56%, superior a um terço exigido.

Outra argumentação dos credores foi que os créditos de recebíveis imobiliários (CRIs) não deveriam ser equiparados aos de debêntures. A Justiça também rejeitou essa justificativa, afirmando que ambos são financeiros e, portanto, podem ser agrupados para a formulação do plano de recuperação.

Homologação Rápida

Especialistas em recuperação extrajudicial destacam a rapidez da homologação, considerada uma das mais céleres da história, concluída em menos de 60 dias. Segundo Juliana Biolchi, diretora da Biolchi Empresarial e do Observatório Brasileiro da Recuperação Extrajudicial, as recuperações extrajudiciais geralmente são mais ágeis do que as judiciais, mas este caso foi excepcionalmente rápido.

Com a homologação, a Casas Bahia emitirá novas debêntures no valor de R$ 4,1 bilhões, substituindo as antigas.

Leia mais  Como a possível reforma tributária já influencia os planejamentos das empresas

Pedido de Recuperação

A varejista entrou com o pedido de recuperação extrajudicial no final de abril, envolvendo a renegociação de dívidas de R$ 4,1 bilhões. O pedido foi imediatamente deferido, já que estava previamente acordado com os principais credores, Bradesco e Banco do Brasil, que representam 54,5% dos débitos.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Renato Franklin, CEO da Casas Bahia, afirmou que o plano aprovado proporcionará à empresa um fôlego financeiro necessário para enfrentar os riscos macroeconômicos, além de permitir compras antecipadas para a Black Friday e melhores acordos com fornecedores.

Leia mais  Orizon (ORVR3) anuncia detalhes sobre aquisição de parte da Divisão de Destinação Final da Revert

Termos da Renegociação

A renegociação abrange as 6ª, 7ª, 8ª e 9ª séries de debêntures, reduzindo o custo médio de CDI + 2,7% para CDI + 1,2%, e estendendo o prazo de 22 para 72 meses. Segundo a empresa, o novo perfil da dívida preservará R$ 4,3 bilhões de caixa até 2027, sendo R$ 1,5 bilhão em 2024. Em contrapartida, os principais bancos credores poderão converter 63% dos valores devidos em ações da varejista.

O acordo inclui uma carência de 24 meses para o pagamento de juros e 30 meses para o pagamento do principal, reduzindo o desembolso total da empresa de R$ 4,8 bilhões para R$ 500 milhões até 2027. A Casas Bahia contou com o escritório Pinheiro Neto como assessor jurídico e a Lazard como assessor financeiro.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Incorporação de ações Dexxos é concluída com sucesso

Fernando Américo

Governo Lula propõe aumento dos tributos empresariais

Paola Rocha Schwartz

Ações para ficar de olho hoje: Santander, Cielo, Banrisul e BB

Paola Rocha Schwartz

Employee experience: metodologia pode impactar a empresa

Guia do Investidor

Justiça condena Avon e Natura a indenizar funcionária

Márcia Alves

Faturamento de PMEs cresce 10% em maio, segundo IODE-PMEs

Guia do Investidor

Deixe seu comentário