Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

CBA (CBAV3) confirma arrecadação de R$ 904,4 milhões em follow-on

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A Companhia Brasileira de Alumínio, CBA (CBAV3) realizou importante anúncio recentemente. Isto é, a empresa comunicou que levantou R$ 904,4 milhões em sua oferta secundária de ações. Isto é, o follow-on, encabeçada pela Votorantim, acionista controlador da empresa.

De acordo com fato relevante oficial da empresa, o preço da ação da CBA saiu por R$ 19,00. Isto é, com desconto de 1,45% em relação ao fechamento do dia, a R$ 19,28.

Assim sendo, o follow-on da CBA planejava captar R$ 750 milhões com o montante inicial. Nesse sentido, a oferta, que era uma distribuição secundária, com a venda dos papéis da Votorantim, chegou a entrar no lote adicional e captou mais 47% acima da oferta base.

Com isso, a Votorantim vendeu cerca de 9% do capital que detinha da CBA. Isto é, diminuindo sua participação de 76% para 67%.

Diante disso, as ações da CBA foram vendidas com esforços restritos de colocação. Ou seja, o que significa que apenas investidores qualificados (aqueles com mais de R$ 1 milhão investidos no mercado de capitais) puderam participar da oferta.

Leia mais  Fras-le (FRAS3) anuncia follow-on que pode levantar até R$ 902 milhões

CBA (CBAV3) conclui aquisição de 80% da Alux do Brasil

A Companhia Brasileira de Alumínio – CBA (CBAV3) anunciou na manhã desta terça-feira que concluiu a aquisição de 80% do capital social da Alux do Brasil. Dessa forma, vale lembrar que a aquisição teve aprovação pela Diretoria da companhia em 03 de novembro do ano passado.

“A transação está alinhada à estratégia de longo prazo da CBA de ampliar a capacidade de alumínio reciclado e contribuirá com o compromisso de produzir alumínio com uma pegada de carbono cada vez menor, além de possibilitar a entrada da Companhia no segmento de ligas secundárias.”

disse a Companhia Brasileira de Alumínio em comunicado ao mercado.

De acordo com ela, a Alux é um dos principais fornecedoras de alumínio secundário do país. Além disso, informou que a empresa possui 46 mil toneladas por ano de capacidade instalada. Por meio dos certificados ISO 9001 e ISO 14001, a Alux ganhou reconhecimento internacional de qualidade e sustentabilidade, além das boas práticas de compliance.

O terceiro trimestre da CBA

Durante o terceiro trimestre do ano passado, a Companhia Brasileira de Alumínio somou um prejuízo líquido de R$ 41 milhões. Contudo, mesmo sendo um resultado negativo, ele representa uma melhora de 91% em relação ao prejuízo de R$ 460 milhões do mesmo período do ano anterior. De acordo com ela, o melhor resultado se deve principalmente ao avanço de sua receita, que foi de R$ 1,4 bilhão para R$ 2,3 bilhões.

“Este crescimento ocorreu, majoritariamente, pelo aumento da receita em todos os segmentos, justificado pelo aumento do preço do alumínio, que atingiu um patamar médio de US$ 2.648/tonelada no 3T21”.

disse a CBA em relatório.

Além disso, em relação ao EBITDA ajustado, a companhia reportou o valor de R$ 314 milhões. Portanto, houve um crescimento expressivo ante o EBITDA ajustado de R$ 159 milhões do mesmo período do ano anterior.

Leia mais  CBA (CBAV3), Vivara (VIVA3) e Positivo (POSI3): dividendos confirmados!

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

CBA sobe com recomendação de compra do Bradesco BBI

Paola Rocha Schwartz

Banco Inter anuncia pagamento de R$ 70 Milhões aos acionistas

Rodrigo Mahbub Santana

Conselheiro da CBA (CBAV3) renuncia

Rodrigo Mahbub Santana

Follow-On: Vulcabrás realiza oferta de R$ 500 milhões

Leonardo Bruno

Follow-ons já captaram R$ 29 bilhões em 2023

Guia do Investidor

A Via odeia seus acionistas? Varejista lança follow-on com diluição de quase 50%

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário