Guia do Investidor
farmacias pague menos
Resultados 1T22

Com queda de 44% Pague Menos lucra apenas R$ 24 milhões no 1T22

A (PGMN3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 24,4 milhões no primeiro trimestre de 2022 (), cifra 44,8% inferior ao primeiro trimestre de 2021, em decorrência da redução margem Ebitda – causada principalmente pelo novo ciclo de expansão e pelo aumento de despesas financeiras no período.

  • Vendas: crescimento total de 10,5%, sendo 7,1% em mesmas lojas e 7,0% em lojas maduras;
  • Digital: crescimento de 63,1% no faturamento, atingindo 9,0% da venda total e acréscimo de 2,9p.p. vs 1T21;
  • Clinic Farma: novo recorde de 837 mil atendimentos e 7,0% de adesão da base de clientes;
  • Margem de Contribuição: 10,8%, da receita bruta, sendo 11,0 % em mesmas lojas e acréscimo de 0,1p.p. vs 1T21;
  • EBITDA Ajustado: R$ 162,4 milhões, margem de 7,7% e redução de 0,6p.p. vs 1T21;
  • Lucro Líquido Ajustado: R$ 24,4 milhões, margem líquida de 1,2% e redução de 1,1p.p. vs 1T21.

Outros destaques

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado cresceu 1,9% ao ano, totalizando R$ 162,4 milhões entre janeiro e março. Já a margem Ebitda ajustada atingiu 7,7% no período, baixa de 0,6 ponto percentual frente àquela registrada no primeiro trimestre de 2021.

As vendas mesmas lojas cresceram 7,1% no primeiro trimestre de 2022, acima da inflação, ponderada categorias de produtos que a empresa comercializa, que foi de 6,3% no período.

Leia mais  Blau Farmacêutica (BLAU3) vê lucro líquido cair 29%, para R$ 61 milhões, com falta de suprimentos

A receita líquida somou R$ 1,97 bilhão entre janeiro e março deste ano, alta de 11,1% na comparação com igual etapa de 2021. O lucro bruto totalizou R$ 625,2 milhões nos três primeiros meses de 2022, um crescimento de 9,9% em relação ao mesmo trimestre de 2021. A margem bruta foi de 29,6% no 1T22, uma redução de 0,2 ponto percentual na comparação anual.

As despesas gerais administrativas totalizaram R$ 64,7 milhões no 1T22, crescimento de 30,2% em relação ao 1T21.

O resultado financeiro líquido foi uma despesa de R$ 82,3 milhões nos três primeiros meses de 2022, crescimento de 59,5% sobre as perdas financeiras registradas na mesma etapa do ano passado.

O fluxo de caixa livre foi negativo em R$ 22,5 milhões, melhora de R$ 55,9 milhões em relação ao 1T21. O menor consumo de caixa está relacionado ao incremento no fluxo de caixa das operações, gerado pela manutenção do ciclo de caixa em patamar controlado.

Leia mais  GPA (PCAR3) tem lucro consolidado de R$ 1,4 bilhão no 1T22

A dívida líquida da companhia ficou em R$ 584,9 no final de março de 2022, crescimento de 66,6% em relação ao mesmo período de 2021, justificado pela expansão de unidades.

O indicador de alavancagem financeira, medido pela dívida líquida/Ebitda ajustado, ficou em 1,5 vez em março/22, alta de 0,5 vez em relação ao mesmo período de 2021.

Avalie este post:
[Total: Média: ]

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Superintendência Geral do Cade recomenda aprovação de compra da Extrafarma pela Pague Menos

Fernando Américo

Pague Menos (PGMN3) adere à Rede Empresarial de Inclusão Social

Victor Rodrigues

Pague Menos (PGMN3) registra lucro líquido de R$ 176,6 milhões em 2021, crescimento de 83,9%

Victor Rodrigues

Toro Investimentos divulga sua carteira recomendada para o mês de março

Ruan Sousa

A luz no fim do túnel do varejo: as ações de Farmácia

Leonardo Bruno

Pague Menos anuncia agenda ESG com metas para 2022, 2025 e 2030

Guia do Investidor

Deixe seu comentário