Guia do Investidor
Caixa Caixa Econômica Caixa Econômica Federal Congresso Nacional Coronavírus Newsletter Paulo Guedes

Coronavoucher: Governo estima que os primeiros pagamentos começarão no dia 16 de abril

O auxílio emergencial aos trabalhadores autônomos (apelidado de coronavoucher), aprovado ontem no Senado Federal, começará a ser pago no dia 16 de abril.

Os primeiros pagamentos do benefício, que visa minimizar os danos causado pela do coronavírus, serão destinados aos cidadãos que recebem alguma transferência de renda do Federal – por exemplo, o Bolsa Família, programa do governo que atende mais de 14 milhões de pessoas.

Entretanto, até o presente momento, a equipe ministerial envolvida na implementação do benefício de emergência ainda não definiu de onde o virá e qual a solução tecnologia que será usada para cadastrar os trabalhadores informais que hoje são “invisíveis” à administração pública – ou seja, aqueles que não estão em nenhum cadastro do governo.

Aliás, o Ministro Paulo Guedes, em coletiva de imprensa realizada no dia 31/03, afirmou que o governo ainda não sabe quais serão as fontes que custearão o do auxílio emergencial. Segundo ele, os secretários do Tesouro Nacional e do Orçamento Federal relataram que é necessária uma alteração no orçamento da União ou a edição de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para que os recursos sejam direcionados ao novo programa.

Ademais, a falta de sanção do projeto, já aprovado no Congresso Nacional, pelo presidente Jair também é um ponto que pode atrasar a implementação do Coronavoucher.

Leia mais  Análise: Ação da XP está cara ou barata?

Quer saber quem pode receber o Coronavoucher? Leia nosso artigo.

LULA OU BOLSONARO? Não corra o risco das no : abra sua conta no exterior e proteja seu patrimônio

Recomendações no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais

Cuba tenta controlar maior incêndio da história em tanque de petróleo

Agência Brasil

CNC prevê alta de 5,3% nas vendas para o Dia dos Pais

Agência Brasil

Inflação dos aluguéis residenciais sobe 1,05% em julho, diz FGV

Agência Brasil

IPCA: deflação foi puxada por combustíveis; preços de alimentos sobem

Agência Brasil

Rentabilidade dos bancos retorna ao nível pré-pandemia

Agência Brasil

Estímulos fiscais temporários pressionam inflação, diz Banco Central

Agência Brasil

Deixe seu comentário