Guia do Investidor
Arte: GDI
Notícias

Economia brasileira cresce apenas 0,01% em abril

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A economia brasileira avançou apenas 0,01% em abril, segundo dados divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira (14). O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que serve como uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), ficou significativamente abaixo das expectativas de crescimento de 0,45% previstas pelo mercado, conforme pesquisa da Reuters.

Apesar do crescimento marginal, houve uma melhora em relação à queda de 0,36% registrada em março. Na comparação com abril do ano passado, o IBC-Br subiu 4,01%, e no acumulado dos últimos 12 meses, o avanço foi de 1,81%.

No primeiro trimestre, o PIB do Brasil cresceu 0,8%, impulsionado por uma inflação sob controle, aumento da renda e um mercado de trabalho aquecido, fatores que estimularam o consumo. Além disso, o Banco Central reduziu a taxa básica Selic para 10,5% ao ano, uma medida de afrouxamento monetário que deve favorecer o crédito e a atividade econômica ao longo do ano.

No entanto, há incertezas sobre a continuidade dos cortes de juros, com o Banco Central se reunindo na próxima semana e a possibilidade de interrupção do afrouxamento monetário.

O segundo trimestre também poderá sentir os impactos das fortes chuvas no Rio Grande do Sul, que causaram danos econômicos significativos.

Leia mais  Brasil cria quase 278 mil empregos formais em junho

Mesmo com o crescimento de 0,9% nas vendas varejistas e 0,5% no volume de serviços em abril, a produção industrial caiu 0,5%, quebrando uma sequência de dois meses de alta e contribuindo para a estagnação econômica.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

A pesquisa Focus do Banco Central indica uma expectativa de crescimento do PIB de 2,09% para este ano, com uma previsão de 2,0% para 2025.

Leia mais  IPCA: Ipea revê previsão de inflação em junho, de 5,6% para 5,1%

O IBC-Br é calculado com base em dados representativos da produção agropecuária, industrial e de serviços, além dos impostos sobre a produção, funcionando como um importante termômetro da atividade econômica brasileira.

Projeção do Mercado

O mercado financeiro elevou a previsão para o crescimento da economia este ano. Segundo o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (10) pelo Banco Central (BC), o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) fechará 2024 em 2,09%, o mesmo índice de quatro semanas atrás. Na semana passada, a estimativa foi de que o crescimento ficasse em 2,05%. Para 2025 e 2026 a previsão é de um crescimento de 2%.

O mercado financeiro também elevou a projeção de inflação para este ano de 3,88%, na semana passada, para 3,9%. Há quatro semanas a projeção do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 3,76%

A estimativa para 2024 está dentro do intervalo da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. Definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), a meta é de 3%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 1,5% e o superior, 4,5%.

O Focus traz as previsões de economistas e analistas de mercado financeiro consultados pelo BC. Para 2025, os analistas também elevaram a projeção de inflação que passou de 3,77% para 3,78%.

Leia mais  IGP-10 sobe 1,08% em maio

Para 2026, a previsão é de que a inflação fique em 3,6% e, em 2027, em 3,5%.

O boletim manteve a previsão da taxa básica de juros, a Selic, para este ano. Segundo o Focus, a Selic deve fechar 2024 em 10,25%. Atualmente a taxa está em 10,5%.

Há quatro semanas a previsão do mercado era que o índice ficasse em 9,75%.

Os analistas mantiveram a previsão do câmbio para 2024 em R$ 5,05. Há quatro semanas a previsão era de que a moeda norte-americana ficasse em R$ 5,00.

Para 2025, a projeção é de que o dólar permaneça em R$ 5,05. Para 2026, a estimativa é de que o câmbio feche em R$ 5,10 e para 2027, em R$ 5,11.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Está com saque do PIS/Pasep congelado? Veja como resolver

Agência Brasil

Fundos registram captação líquida de R$ 159 bilhões no semestre

Fernando Américo

BlackRock lucra US$ 1,5 bi no 2T24 e supera expectativas

Paola Rocha Schwartz

Reforma Tributária: a questão federativa nos PLPs 68 E 108/2024

Fernando Américo

Carteira de crédito em 2024 tem estimativa de alta de 10%

Fernando Américo

Crise econômica no Governo Lula: um caminho sem saída?

Fernando Américo

Deixe seu comentário