Guia do Investidor
eletrobras privatizacao 2 1024x614 1
Notícias

Eletrobras (ELET3) consegue suspensão de liminares que barravam assembleia de Furnas

(ELET3) informou há pouco que conseguiu suspender as decisões liminares que barravam a realização da assembleia geral de debenturistas da Furnas.

Assim sendo, a empresa diz que o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) atendeu a pedido da Advocacia-Geral da União (AGU).

Desse modo, com isso, a assembleia pode ocorrer na data e horário previamente estabelecidos. Isto é, para discutir a autorização prévia dos debenturistas em razão do aporte de capital a ser realizado por Furnas como parte do aumento de capital da Santo Antônio Energia.

“A autorização prévia referida acima é condição para realização da oferta pública global de ações da companhia”

diz a Eletrobras

Assim, a Associação dos Empregados de Furnas (Asef) obteve ontem decisão liminar para barrar a assembleia, alegando que houve quebra no contrato das debêntures no momento em que a Furnas realizou o aporte antes da deliberação pelos debenturistas.

Fitch reafirma rating ‘BB-‘ da Eletrobras (), com perspectiva negativa

A Fitch reafirmou a classificação ‘BB-‘ para Eletrobras (ELET6). Assim sendo, a nota se aplica aos ratings de inadimplência de emissor (IDR) de longo prazo em moeda estrangeira e local, assim como de títulos sêniores sem garantia.

Leia mais  18k Ronaldinho é pirâmide? Confira análise

Desse modo, a perspectiva é negativa para os IDRs e estável para a dívida em escala nacional.

Nesse sentido, a agência revisou ainda sua avaliação do perfil de crédito autônomo da Eletrobras de ‘b+’ para ‘bb-‘. Isto é, refletindo a melhoria da estrutura de capital da empresa e o fortalecimento da geração de caixa operacional.

De acordo com os critérios da Fitch, os IDRs da Eletrobras são equalizados com o rating soberano do (BB-/Negativo). Ou seja, considerando o vínculo próximo entre ambos, enquanto o governo tem um “forte a muito forte” incentivo para fornecer suporte à empresa.

Com isso, perspectiva negativa a dos IDRs da Eletrobras reflete a mesma perspectiva para o rating soberano do Brasil.

Assim, a Fitch destaca que não incorpora a potencial da Eletrobras por se tratar de um “evento incerto”.

Sendo assim, a agência avalia que caso a companhia se torne uma entidade privada, provavelmente desvinculará o rating da Eletrobras do soberano e analisará a empresa individualmente.

“A privatização deve permitir à empresa obter preços de venda mais elevados associados a parte de seus ativos de geração e maior flexibilidade para gerenciar seus custos”

projeta a Fitch
Recomendações no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais  Privatização Eletrobras (ELET6) ficará para eleições, afirma Goldman

Leia mais

Eletrobras (ELET3) estima realização de assembleia geral extraordinária dia 5 de agosto

Ruan Sousa

Aneel abre consulta sobre repasse de R$ 5 bi da Eletrobras (ELET3) para redução de tarifa

Ruan Sousa

Eletrobras (ELET3): empresa realiza pagamento à União

Ruan Sousa

Moody’s classifica renúncia de conselheiros da Eletrobras (ELET3) como ‘evento esperado’ após privatização

Ruan Sousa

Fitch classifica rating da Eletrobras (ELET3) em BB-

Ruan Sousa

Eletrobras (ELET3): Aporte de R$ 5 bi na CDE deve acontecer até julho, promete secretaria do MME

Ruan Sousa

Deixe seu comentário