Guia do Investidor
praias da orla carioca decreto emergencial covid 19 ffraz abr 310320212741
Agência Brasil Notícias

Empresários do setor de serviços do Rio estão otimistas, diz pesquisa

Os empresários fluminenses do setor de serviços mantêm a confiança na retomada econômica e no crescimento dos negócios nos próximos três meses. É o que aponta a pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), da Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio), entre os dias 2 e 6 de maio. De acordo com a sondagem, 82% dos entrevistados acreditam que a situação melhore ou que melhore muito. Esse percentual é maior que o registrado na pesquisa anterior, quando ficou em 79,5%.

O levantamento indicou ainda que apenas 13,3% esperam que a situação permaneça igual. Os que estimam que a situação dos seus negócios piore ou piore muito chegaram a 4,7%.

Ainda conforme a pesquisa, 31,4% dos entrevistados consideram que o panorama de seus negócios melhorou ou melhorou muito nos últimos três meses. O número supera o da última sondagem que ficou em 28,3%. Para 31,6%, a situação piorou ou piorou muito e 37% indicaram que permaneceu igual.

A demanda insuficiente foi apontada como o principal fator que limita os negócios. Ao todo 45,2% dos empresários indicaram essa dificuldade. Na sequência, estão as restrições financeiras para 45% dos entrevistados. O terceiro limitador dos negócios é a falta de mão de obra para 13,5% dos empresários. A falta de espaço e/ou equipamentos é problema para 12,3% dos entrevistados.]

Demanda

Para 38,5% dos entrevistados a demanda pelos bens e serviços de suas diminuiu ou diminuiu muito nos últimos três meses. Na perspectiva dos próximos três meses, 66,9% esperam que a procura aumente ou aumente muito. O que indica certa estabilidade, uma vez que na última pesquisa no mês de abril atingiu 66%.

“Apenas 8,1% acham que a demanda diminuirá ou diminuirá muito nos próximos três meses, enquanto 25% dos consultados acham que se estabilizará”, completou o IFec RJ.

Empregos

Sobre os empregos nos últimos três meses, o levantamento mostrou que 12,8% dos empresários disseram que o quadro de funcionários diminuiu muito e 19% que diminuiu. Apenas 9,2% deles revelaram algum tipo de aumento das contratações nos três meses passados.

Estoques

O abastecimento dos estoques nos últimos três meses ficou igual ao planejado para 54,1%, mas 39,8% relataram que ficou abaixo do planejamento feito. Acima do previsto ocorreu apenas para 6,1%.

Inadimplência

O índice de empresas que não ficaram inadimplentes nos últimos três meses recuou na comparação com a pesquisa anterior. Enquanto em abril, atingiu 51,4%, em maio alcançou 48,9%. As empresas inadimplentes ou muito inadimplentes são 29,2%. Os cinco principais gastos das que tiveram dívidas são os associados a fornecedores (31,1%), aluguel (29%), bancos comerciais e luz (28,3%) e tributos federais (25,4%).

Leia mais  MRV (MRVE3) vende empreendimento na Flórida por US$ 50,4 mi em VGV

Fecomércio RJ

A federação reúne 59 sindicatos patronais, líderes empresariais, especialistas e consultores. A intenção é incentivar o desenvolvimento dos negócios no setor do comércio de bens, serviços e turismo no estado do Rio de Janeiro.

No total a entidade representa mais de 321 mil estabelecimentos, que, segundo a Fecomércio, respondem por 2/3 da atividade econômica do estado e 68% dos estabelecimentos fluminenses. “Gerando mais de 1,5 milhão de empregos formais, que equivalem a 60% dos postos de trabalho com carteira assinada no estado”, completou.

Fonte: Agência Brasil

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

IBGE inicia ação do Censo 2022 pesquisando entorno de domicílios

Agência Brasil

Colombianos elegem novo presidente neste domingo

Agência Brasil

Compras públicas agora podem ser realizadas 100% por aplicativo

Agência Brasil

Gasolina fica 5,18% mais cara a partir de hoje nas refinarias

Agência Brasil

Rio toma empréstimo de R$ 700 milhões para fortalecer reformas fiscais

Agência Brasil

Ibovespa cai 2,83% puxada por forte queda da Petrobras

Agência Brasil

Deixe seu comentário