Glossário do investidor: termos do mercado para aprender

Glossário do investidor: termos do mercado para aprender

30 de abril de 2019 0 Por Diego Dias

Traduzir as notícias do “financês” para o português vai ficar mais fácil, depois de ler este glossário do investidor.

A linguagem do mundo das finanças, parece outro idioma. Assim há termos em inglês e também muitas siglas, certamente se faz necessário o uso de um glossário do investidor como este.

Os investidores de primeira viagem precisam se esforçar muito, para encontrar uma frase indicando um bom investimento. Então adquirir um vocabulário de termos específicos, contudo, pode fazer uma grande diferença.

Termos mais usados pelo investidor

Alguns termos em inglês usados no mercado, somente precisam de uma tradução literal. Assim em outros casos, a palavra em português é que precisa ser definida.

Isso sem falar nas siglas, que na maior parte das vezes, dão nome à índices de extrema importância.

Aproveite que aprender nunca sai de moda, para absorver os termos do mercado, deste glossário do investidor.

Siglas do mercado financeiro

As siglas facilitam o fluxo de informação financeira, pois reduz o tempo que precisamos para pronunciar o termo. Além disso, depois de um tempo, você estará familiarizado com cada uma e verá o quanto foi importante estudar e aprender.

Assim você demonstra que não é mais um leigo no mercado financeiro e que as siglas e palavras já fazem parte do seu vocabulário. Então veja abaixo esse glossário que montamos para auxiliar você no mundo dos investimentos.

CDI

O Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é um indicador que mede a influência das taxas de juros no rendimento de aplicações. Ele é usado como referência, para a rentabilidade de investimentos em renda fixa. Assim você irá ler muito sobre o CDI.

IPCA

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é resultante de um cálculo amostral. Ele é feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com a finalidade de medir a inflação do país. Assim sempre que houver alguma coisa referente a presos e ao consumidor esse índice (IPCA) irá aparecer.

Selic

O termo Selic é uma abreviação para Sistema Especial de Liquidação e Custódia, é a taxa básica de juros brasileira. Ela tem uma meta definida pelo Banco Central, bem como coordena os juros praticados entre os bancos. Esse termo já é um pouco mais comum e é um dos primeiros que se aprende. Pois ele é utilizado como referência na poupança.

IGPM

Índice Geral de Preços de Mercado é também uma ferramenta estatística para medir a inflação no país.

Ele é calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), e também é levado em conta no reajuste de preços de produtos e serviços. Então também será uma sigla que acompanhará notícias sobre consumo.

FGC

Fundo Garantidor de Créditos é uma instituição privada que oferece proteção aos clientes em caso de falência do banco contratado.

Investimentos como a poupança e títulos de renda fixa são assegurados com um retorno de até R$250 mil. Então sempre que você for investir ou aplicar o seu dinheiro e aparecer a sigla FGC você pode ter a certeza que em até o valor limite, você estará segurado.

CETIP

A Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos (CETIP) oferece serviços de registro, negociação e liquidação de ativos. Os serviços prestados são: processamento de TED, a liquidação de DOC e o registro de títulos de renda fixa.

Siglas em inglês do mercado financeiro

Não precisa ser bilíngue para investir no mercado, conhecer essas siglas abaixo, já é de grande ajuda.

ETF

Exchange traded fund (ETF) traduzida a sigla significa: fundo negociado em bolsa. Também conhecido como fundo de índice, em suma trata-se de um fundo mútuo que é negociado como uma ação. Assim é um “pacote de ações”, Então ao invés de investir em apenas uma ação, estará investindo em várias, diminuindo o risco de perda.

IPO

Initial Public Offering é uma sigla para Oferta Pública Inicial ou OPI em português. É quando uma empresa abre o capital, ou seja, vende ações para o público pela primeira vez. Assim ela entra na bolsa e negocia papéis, ou seja, vende pequenas partes da empresa para os cotistas e reinveste o valor da venda das ações.

Termos em inglês do mercado financeiro

As palavras a seguir já fazem parte da língua do investidor, assim como o shampoo não fica fora da lista de compras.

Home Broker

É a plataforma digital que permite a compra e a venda de ações, isso é feito através de computadores ou smartphones.

Cada corretora tem a sua própria plataforma, portanto especificações diferentes quanto a operação da Home Broker de cada uma.

Benchmark

Benchmark é a busca pelo que é considerado padrão de excelência. Ele é usado em fundos de investimento para definir uma meta de performance, neste caso é representado por um índice.

Valuation

É um termo em inglês para avaliação de empresas. Neste processo é determinado o preço justo de uma empresa, assim como o retorno de suas ações. Estando de posse destes dados, se determina qual é o seu valuation.

Termos do mercado

A partir daqui traduziremos palavras que você já escutou ou leu mas não sabia o que representavam no mercado financeiro.

Ativos

Os ativos são todos os tipos de ações ou títulos emitidos por entidades financeiras. Eles são negociados pela bolsa de valores ou podem ser adquiridos diretamente com a instituição, caso dos CDBs por exemplo.

Renda Fixa

São investimentos de baixo risco como a poupança ou títulos de dívida, ou seja, emitidos por empresas e pelo governo. Os investidores que compram títulos de renda fixa, se tornam credores do emissor, e recebem juros deles.

Renda Variável

É o tipo de investimento para quem está disposto a aumentar o rendimento sobre o patrimônio. São ativos negociados em mercados mais arriscados como as ações, por exemplo.

Carteira de investimentos

É o conjunto de aplicações de um indivíduo. Ao formar uma carteira de investimentos, a diversificação destes ativos deve aumentar a rentabilidade e diminuir o risco.

Uma opção seria, ter parte dela composta por renda fixa e a outra por ativos de renda variável.

Cotação

É o preço estipulado, pelo qual são negociados títulos, ações, fundos e moedas, no mercado financeiro. Com os dados da cotação diária de um ativo, por um certo período, são feitos modelos de previsão. Eles são incluídos em relatórios, que auxiliam o investidor no processo de tomada de decisão e devem ser analisados com cuidado e muita atenção.

Rentabilidade

É o retorno que esperamos obter com o investimento efetuado. A alta rentabilidade nunca é alcançada sem sacrificar a liquidez, ou aumentar o risco de um investimento Então para se obter um resultado positivo é preciso estudo e estratégia afim de se conseguir o que se deseja.

Liquidez

É o grau de facilidade com que se pode converter um ativo em dinheiro. Desta forma, quanto mais fácil e rápido isso acontecer, maior será a liquidez do ativo.

Risco

É a probabilidade mensurável de algo dar errado. Através de modelos estatísticos se pode prever com 95% de probabilidade de acerto sobre o risco de uma carteira de ativos. Porém há outras maneiras de investir em renda variável e diminuir o risco e uma delas são os fundos de investimento.

Volatilidade

Assim como na Física Quântica, a volatilidade no meio financeiro é uma medida de oscilação. Neste caso é usada como parâmetro para avaliar o risco de investir em determinado ativo.

NÃO PERCA MAIS UMA DICA! CADASTRE SEU E-MAIL

PARTICIPE AGORA DO NOSSO FÓRUM!

O nosso fórum já está aberto para você tirar as suas dúvidas sobre investimento e debater sobre o que quiser. Sinta-se em casa, cadastre-se agora: http://guiadoinvestidor.com.br/forum/