Guia do Investidor
coronavirus industria automobilistica fabrica2005200368 1
Notícias

Indicador Ipea registra alta de 0,9% na demanda por bens industriais em abril

No acumulado em doze meses, o crescimento foi de 1,7%

O Indicador de Consumo Aparente de Bens Industriais divulgado pelo () nesta segunda-feira (27) registrou alta de 0,9% no mês de abril, na comparação com março. Entre os componentes do consumo aparente, a produção interna destinada ao nacional (bens nacionais) cresceu 0,2%, enquanto as importações de avançaram 3,3% no mesmo mês. No trimestre móvel, o indicador avançou 0,2% na margem, com queda de 0,3% na produção de bens nacionais e redução de 0,4% nas importações de bens industriais.

Na comparação com o mesmo mês de 2021, a demanda interna por bens industriais retrocedeu 3,7% em abril deste ano. Com isso, o trimestre móvel registrou uma queda de 5% em relação ao verificado no mesmo período de 2021. No acumulado em doze meses encerrados em abril, a demanda interna cresceu 1,7% e as importações de bens industriais avançaram 18,7%, enquanto a produção industrial, medida pela Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (), acumulou queda de 0,3%, conforme a tabela abaixo:

Leia mais  Petrobras (PETR4) lança soluções inovadoras para startups

Consumo aparente de bens industriais versus produção industrial (PIM-PF)

(Em %)

image 168
Fonte: Ipea, IBGE e Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior (Funcex).

Elaboração: Grupo de Conjuntura da Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas (Dimac) do Ipea.

Na análise das grandes categorias econômicas, o crescimento em abril foi disseminado. Com exceção da demanda por bens de capital, que recuou 3,3% na margem, todos os demais registraram crescimento e os destaques positivos foram os segmentos de bens de consumo duráveis e semi e não duráveis, que avançaram 3,5% e 1,2% sobre março, respectivamente. O trimestre móvel encerrado em abril teve desempenho heterogêneo, com destaque também para a demanda por bens de consumo semi e não duráveis, com alta de 2,1%.

Com relação às classes de produção, a demanda interna por bens da indústria de transformação avançou 0,9% sobre março. A indústria extrativa mineral, por sua vez, caiu 1,6% na margem e 8,2% no trimestre móvel. No acumulado em doze meses, as indústrias extrativas subiram 19,6%.

Na análise setorial, 15 dos 22 segmentos tiveram variação positiva. Os segmentos de aparelhos elétricos e de petróleo e derivados foram os que apresentaram os melhores resultados, com altas de 13,4% e 5,7% na margem, respectivamente. Já em relação ao trimestre móvel, 14 segmentos apresentaram crescimento na comparação dessazonalizada, com destaque para o consumo aparente de outros equipamentos de transporte, com alta de 9,1%.

Leia mais  Indicador Ipea registra avanço de 2,7% nos investimentos em dezembro

Acesse a íntegra do indicador no blog da Carta de Conjuntura

LULA OU BOLSONARO? Não corra o risco das eleições no : abra sua conta no exterior e proteja seu patrimônio

Recomendações no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais

Ipea prevê crescimento de 1,8% para o PIB em 2022

Guia do Investidor

Desemprego chega a 9,4% em abril, menor patamar desde outubro de 2015

Guia do Investidor

Indicador Ipea registra alta de 1,1% na demanda por bens industriais em março

Guia do Investidor

Indicador Ipea registra alta de 0,4% na demanda por bens industriais

Guia do Investidor

Aumento da inflação em março afetou todas as faixas de renda

Victor Rodrigues

Ipea mantém previsão de 1,1% para crescimento do PIB em 2022

Victor Rodrigues

Deixe seu comentário