Guia do Investidor
Anotacao 2020 08 03 145643
Análise Fundamentalista Educação financeira

Indicadores fundamentalistas: quais os melhores?

No mercado financeiro temos alguns indicadores fundamentalistas que auxiliam na hora de escolher as melhores . Dessa forma, é importante que os investidores entendam isso para poder decidir corretamente.

Assim, será possível analisar se uma empresa realmente apresenta potencial e se as suas ações são promissoras. Então vamos saber mais sobre o assunto e verificar quais são os melhores indicadores do setor.

Definição de

Basicamente o objetivo desse tipo de análise é justamente analisar os dados e informações de uma empresa. Desse modo, será possível identificar se essa companhia e os seus podem trazer bons resultados.

Assim, a mesma pode se utilizar de diversos fatores para a análise, tais como:

  • Indicadores;
  • Dados do setor econômico;
  • Balanços;
  • Resultados;
  • Entre outros.

Com isso, é possível analisar toda a saúde financeira que a empresa apresenta e o ambiente que ela está inserida. Nesse sentido, será possível obter um certo preço-justo para os ativos que fazem parte dessa companhia.

Além disso, se torna eficaz também para os períodos de longo prazo e permite encontrar ações com valor mais baixo. Ou seja, para quem pretende se tornar sócio da mesma essa pode ser uma grande oportunidade.

Então, é isso que iremos verificar nos próximos tópicos que trará maiores detalhes dos principais indicadores. Dessa forma, os investidores poderão analisar corretamente e aplicar seu dinheiro com mais segurança.

P/L (Preço/Lucro)

Esse tipo de índice serve para mostrar qual é o preço que uma determinada ação está apresentando no mercado. Ou seja, a cotação da mesma durante o período dividindo isso pelo lucro apresentando pela ação (12 meses).

Ele também pode ser chamado de preços sobre o resultado (PSR) e no mercado é altamente reconhecido. Pois, sua utilização é feita pelos analistas que pretendem descobrir se uma empresa está tendo bons resultados.

A fórmula utilizada para esse cálculo é:

  • P/L = cotação (ação) / lucro dessa ação.

Por certo, ele permitirá com que seja possível descobrir se uma ação está mais barata ou cara. Certamente isso ajuda muito os investidores a decidirem em quais ativos ele deverá acreditar naquele momento.

Vale lembrar que o P/L demonstra ações positivas quando ele está em um patamar mais baixo. Se o resultado for um P/L elevado isso quer dizer que os ativos da empresa estão caros.

Desse modo, isso equivaleria a dizer o quanto certos investidores poderão pagar em cada R$ 1,00 do lucro. Entretanto, ao comparar empresas de diversos setores o resultado não se torna tão eficaz.

Leia mais  O que é Dividend Yield? Quanto recebe?

DY ()

Para realizar esse tipo de cálculo são usados os dividendos e também os juros sobre o capital próprio. Nesse sentido, esses valores devem ser do ano que passou, ou seja, 12 meses completos.

Então, a fórmula teria essa estrutura:

  • Dividendos + Juros sobre o Capital próprio (12 meses) / preço dos papéis.

Com isso, se torna possível realizar uma certa medição das rentabilidades que os dividendos da empresa tem nas ações. Enquanto que isso demonstra o que a pessoa está investindo na empresa e o que virá de retorno.

Desse modo, isso significa de maneira simplificada que esses são os valores em lucros que os acionistas receberão. Quanto maior for a distribuição para os investidores isso ajudará a aumentar o dividend yield.

Contudo, ele não serve para trabalhar sozinho, é necessário utilizar um grupo de indicadores para melhores resultados. Pois, certas empresas pequenas podem estar apenas realizando pagamentos em dividendos.

Dessa maneira, isso pode identificar que a mesma está com dificuldades para crescer no mercado. De fato, empresas que não são muito grandes costumam efetuar o pagamento bem pequeno em dividendos.

Já as que são maiores possuem um pagamento muito mais elevado em dividendos, pois a sua estrutura permite isso. Então, esse indicador se torna importante para efetuar essa diferenciação.

P/VPA (preço do valor patrimonial)

Esse outro indicador serve para efetuar uma comparação entre dois itens, são eles:

  • Valor da empresa no mercado;
  • Valor contábil da mesma.

Dessa maneira, quando o P/VPA está mais baixo isso indica que a empresa se encontra em um patamar mais barato. Por certo, será mostrado o quanto os investidores pagarão em cada R$ 1,00 dos ativos dessa empresa.

A fórmula que é usada para esse cálculo é:

  • P/VPA = Cotação (ação) / valor (ativo).

De fato, em período onde a crise se estabelece será possível avaliar as ações com maior precisão. Com isso, dá pra identificar aquelas que estão sendo negociadas por um valor mais baixo.

Ebitda (EV)

Esse é um tipo de medição que consiste em quatro itens:

  • Juros;
  • Impostos;
  • Amortização;
  • Depreciação.

Através do Ebitda é possível verificar o caixa da empresa e o EV indica o valor apresentado pela empresa. Nesse sentido, pega-se esse valor e somamos com toda a líquida da companhia.

Leia mais  O que é uma empresa "offshore"?

Então, se o valor desse EV/Ebitda for baixo, isso significa que essa ação é muito boa no mercado. Dessa maneira, muitos investidores podem vir a se interessar por ela devido a sua eficiência.

Mas vale lembrar que o ideal é comparar apenas as empresas que estejam nos setores iguais. Pois, podem haver diferenças se outros ramos forem comparados e isso pode não gerar bons resultados.

(Retorno sobre o Patrimônio Líquido)

Para efetuar esse cálculo divide-se o lucro líquido (DRE) pelo patrimônio líquido de determinada empresa. Isso é comunicado no balanço de todo o patrimônio apresentado pela companhia e deve ser o anterior.

De fato, ele ajuda a efetuar a medição dos lucros que são gerados por uma empresa. Ou seja, em cada 1 real que é aplicado pelos acionistas que fazem parte da empresa.

Por certo, isso torna a mesma uma companhia que agrega valores e que irá trazer bons lucros aos investidores. Se ela consegue trazer pelo menos 10% de valor isso quer dizer que ela é sólida.

Enquanto que acima de 15% é muito melhor trabalhar nessa medição, já que os resultados serão ideais.

ROIC

O retorno sobre o capital investido é na verdade uma somatória de valores que comporta:

  • Capital da empresa + capital (terceiros).

Com isso, os analistas conseguem medir exatamente o desempenho financeiro em porcentagens de uma empresa. Isso indica o quanto de dinheiro a mesma poderá trazer através do capital que está sendo investido.

De fato, ele se parece bastante com o ROE, embora agregue todos os capitais que são investidos na organização. Enquanto que ROE serve apenas para mostrar o capital próprio que a mesma apresenta no mercado.

A fórmula que é utilizada consiste em:

  • ROIC = Resultado das / total de capital investido.

Vale lembrar que primeiro se subtrai os dividendos que foram pagos no ano onde o lucro líquido foi obtido. Certamente essa é uma ótima maneira de analisar uma empresa e buscar resultados positivos.

DL (Dívida Bruta)

Isso inclui todas as dívidas que a empresa possui, mas não inclui o caixa da empresa nessa questão. Isso ajuda a indicar também o endividamento que a companhia possui durante determinado período de tempo.

DL/PL (dívida líquida do patrimônio líquido)

Basicamente isso serve para indicar o quanto de dívida líquida o patrimônio (líquido) é equivalente. Nesse sentido, se o valor for baixo isso é bom para a empresa, agora se for maior indicará mais dívidas.

Leia mais  O que é a reserva de emergência flutuante? Descubra a seguir

De fato, se esse indicador ficar em 50% isso será bastante positivo, enquanto que necessita estar inferior aos 100%. Se estiver acima do aceitável, isso poderá indicar que as dívidas estão muito altas e pesam na empresa.

Margem bruta

Para encontrar a margem bruta basta dividir o lucro (bruto) pela receita líquida. Assim, será indicado as sobras dos custos de todos os serviços que foram vendidos e também dos produtos.

Nele é possível saber a rentabilidade que é gerada após os custos e demonstra diretamente os ganhos atuais.

Margem de operações

Para encontra-la é necessário dividir todo o resultado das operações pela receita líquida da empresa. Então, será demonstrado quais são os lucros operacionais por cada venda de unidade.

Margem líquida

Divida o lucro líquido pela receita e terá a margem líquida, ou seja, cada 1 real que se tornou lucro. Por certo, a busca pelos negócios que possuam margens altas aumenta nos tempos de crise.

Pois, isso indica que as empresas estão com lucros a mais e se não houver não se prejudicará tanto. Se a indicação for de 10% para cima isso é um bom sinal, porém depende de cada setor.

Quais são as vantagens em analisar antes de investir em ações

Conforme todas essas informações citadas acima fica fácil perceber o porquê é necessário observar as . Pois, uma empresa possui diversos números que podem indicar se suas ações são promissoras ou não.

Assim, se faz necessário a aplicação dos indicadores que demonstram se os ativos podem ser comprados. Além disso, os balanços patrimoniais e demonstrações de resultados são de grande valia.

Os investidores devem entender que o mercado de ações consiste em dados estruturados antes de investir. Nem sempre é possível obter lucros, pois muitas vezes ocorrer prejuízos também.

A longo prazo geralmente algumas empresas conseguem se reestabelecer no mercado e isso é fundamental. Com isso, as carteiras e indicações de ações são de grande importância no cenário atual. Sem dúvida, antes de aplicar dinheiro em investimentos estude o mercado.

LULA OU BOLSONARO? Não corra o risco das eleições no : abra sua conta no exterior e proteja seu patrimônio

Recomendações no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais

Como empresas do setor agro podem captar recursos com a alta de juros

Guia do Investidor

Como é trabalhar na Bolsa de Valores? Descubra como funciona

Suno Research

Temporada de balanços 2T22: Confira 24 resultados que você perdeu

Leonardo Bruno

Fim do Hype? Ibovespa volta a cair para os 111 mil pontos nesta segunda-feira

Leonardo Bruno

Acima dos 112 mil pontos: o que explica a alta do Ibovespa?

Leonardo Bruno

Quase metade das fintechs brasileiras receberam investimentos nos últimos anos, mostra estudo da Deloitte e Abstartups

Guia do Investidor

Deixe seu comentário