Guia do Investidor
Conheca a Vila Madalena e seus encantos
Imóveis Notícias

Índice FipeZAP+ registra alta mensal de 0,48% nos preços residenciais

Aumento apurado em abril é ligeiramente inferior ao de março (+0,55%). Em 12 meses, preços acumulam uma alta de 6,29%

  • Análise do último mês: Análise do último mês: o Índice FipeZAP+, que acompanha o comportamento dos preços de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras, registrou um aumento de 0,48% em abril em 2022, após avançar 0,55% no mês anterior. Comparativamente, o IGP-M/FGV apresentou uma variação mensal de 1,41%, enquanto a expectativa do para o IPCA/IBGE projeta uma alta mensal de 0,95% dos preços ao consumidor, segundo as informações recentemente publicadas no Relatório Focus do Central do *. Analisadas individualmente, 43 das 50 cidades monitoradas pelo índice apresentaram aumento nominal no preço de venda de residenciais. Em 14 delas (como Goiânia, João Pessoa, Vitória, Curitiba e Recife), a variação nos preços de venda de superou a ao consumidor esperada para o período (IPCA/IBGE). Considerando o rol das 16 capitais acompanhadas, 13 localidades registraram elevação de preço no período: Goiânia (+1,51%), João Pessoa (+1,48%), Vitória (+1,37%), Curitiba (+1,29%), Recife (+1,25%). Florianópolis (+0,91%), Fortaleza (+0,65%), Salvador (+0,55%), São Paulo (+0,51%), Campo Grande (+0,42%), Belo Horizonte (+0,34%), Porto Alegre (+0,33%) e Rio de Janeiro (+0,29%). Em contraste, houve queda nos preços apurados em três capitais: Manaus (-1,33%), Brasília (-0,84%) e Maceió (-0,09%).
     
  • Balanço parcial de 2022: ao final de abril, o Índice FipeZAP+ de Venda Residencial exibe uma alta acumulada de 2,07% no ano, variação inferior à inflação ao consumidor de 4,18% (considerando o comportamento observado e esperado do IPCA/IBGE*) e à variação acumulada pelo IGP-M/FGV no período (+6,98%). A alta nominal nos preços residenciais abrangeu, nesse horizonte, todas as 50 cidades monitoradas pelo índice, incluindo as 16 capitais supracitadas, ordenadas da maior à menor variação da seguinte forma: Goiânia (+8,56%), Vitória (+7,46%), Campo Grande (+6,15%), João Pessoa (+4,29%), Fortaleza (+4,01%), Florianópolis (+3,70%), Maceió (+3,63%), Curitiba (+3,29%), Salvador (+2,78%), Recife (+2,30%), São Paulo (+1,82%), Manaus (+1,75%), Belo Horizonte (+1,57%), Rio de Janeiro (+0,85%), Brasília (+0,49%) e Porto Alegre (+0,33%)
     
  • Análise dos últimos 12 meses: o Índice FipeZAP+ registrou um avanço nominal de 6,29% nos últimos 12 meses encerrados em abril de 2022 — variação inferior à inflação acumulada pelo IPCA/IBGE (+12,01%)* e pelo IGP-M (+14,66%) no mesmo horizonte temporal. No cômputo individual, todas as 50 cidades monitoradas registraram aumento nos preços residenciais em suas respectivas localidades, incluindo as 16 capitais: Vitória (+24,09%), Goiânia (+20,91%), Florianópolis (+15,64%), Maceió (+15,50%), Curitiba (+15,25%), Campo Grande (+10,79%), Fortaleza (+10,70%), Manaus (+10,14%), João Pessoa (+9,70%), Brasília (+8,15%), Recife (+6,25%), Belo Horizonte (+5,05%), São Paulo (+4,45%), Porto Alegre (+4,17%), Salvador (+3,91%) e Rio de Janeiro (+2,25%).
     
  • Preço médio de venda residencial: com base na amostra de anúncios de imóveis residenciais para venda em abril de 2022, o preço médio calculado para as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP+ foi de R$ 8.017/m². Entre as 16 capitais acompanhadas, a cidade de São Paulo apresentou o valor médio por metro quadrado mais elevado no último mês (R$ 9.882/m²), seguida pelo Rio de Janeiro (R$ 9.729/m²), Vitória (R$ 9.140/m²), Florianópolis (R$ 8.913/m²) e Brasília (R$ 8.656/m²). Por outro lado, entre as capitais monitoradas com menor preço médio de venda residencial, é possível destacar as seguintes localidades: Campo Grande (R$ 4.870/m²), João Pessoa (R$ 5.136/m²), Salvador (R$ 5.478/m²), Goiânia (R$ 5.550/m²) e Manaus (R$ 5.818/m²).

    Nota: (*) informação publicada no Relatório Focus do Banco Central do Brasil em 02/05/2022
Avalie este post:
[Total: Média: ]

Nossas redes:

Leia mais

Preço do aluguel em São Paulo sobe 3,5% em 2022, segundo Imovelweb

Autor Convidado

Imóveis residenciais registram queda de 2p.p. na intenção de compra no 1º tri, aponta Raio-X FipeZAP+

Autor Convidado

Pesquisa aponta que 81% dos brasileiros não dividiriam um apartamento

Autor Convidado

Vendas de imóveis residenciais segue estável no 1º trimestre apesar da alta de preços

Autor Convidado

Construção civil no Brasil avança para o design verde

Autor Convidado

Preço médio do aluguel em Belo Horizonte sobe 2,5% no mês de março

Guia do Investidor

Deixe seu comentário