Guia do Investidor
010620banco central 3299
Agência Brasil Economia Notícias

Inflação está perto de chegar ao topo, afirma presidente do BC

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta sexta-feira (26) que o pico da inflação está próximo do fim, com melhora a partir do ano que vem.

“Está perto – olhando 12 meses – de ver o topo [da inflação], e a gente entende que, a partir do ano que vem, vai ver uma melhora”, disse Campos Neto, ao participar de evento virtual com empresas do mercado imobiliário, promovido pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

Campos Neto afirmou que o BC imaginava, “em algum momento”, que o auge da inflação seria em setembro, mas isso não ocorreu em função dos “choques de energia [que] vieram de forma consecutiva, surpreendendo a todos”, e do aumento da gasolina subindo na bomba, puxado pelo etanol.

Projeção para o PIB

O presidente do BC também indicou que a instituição deve piorar sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) em 2022, mas não na magnitude apontada pelo mercado em suas últimas estimativas.

Leia mais  Intenção de consumo das famílias cresce em novembro

A última conta do BC, de alta de 2,1%, será provavelmente revista para baixo, disse, “mas não tão baixo” como a mediana em expectativas de agentes do mercado.

No último boletim Focus, a perspectiva do mercado era de crescimento de apenas 0,7% para a economia brasileira em 2022.

*Com informações da Agência Reuters

Fonte: Agência Brasil.

Faça parte do melhor grupo de investidores no Telegram: Entrar no Grupo

Siga nossas redes e não fique desatualizado do mercado:

Leia mais

Economia cíclica: a estratégia secreta de investimento dos economistas

Leonardo Bruno

Melhora disposição de consumidores para compras de Natal no Rio

Agência Brasil

A todo vapor: Ministério autoriza construção de 9 ferrovias pela iniciativa privada

Agência Brasil

Clientes da Caixa podem regularizar dívidas em atraso até dia 30

Agência Brasil

Consumo das famílias cresceu 4,95% em outubro

Agência Brasil

Inflação oficial é de 0,95% em novembro

Agência Brasil