Guia do Investidor
Free Freepik@iuriimotov
Aprenda Guias

Insurtech o que é? Aprenda tudo sobre o futuro das seguradoras

Se você não sabe o que é uma ou o que isso significa, então este post pode ser muito útil para você. Atualmente, o de seguros está passando por grandes transformações, cujos resultados são companhias cada vez mais tecnológicas e com um perfil fortemente digital.

Inclusive, este é um fenômeno que está acontecendo de forma bastante abrangente para vários segmentos de mercado. Alguns desses casos, por exemplo, são: as fintechs para a área financeira; as edtechs para a educação; e as healthtechs para o segmento da saúde, entre outras.

Nesse sentido, as insurtechs estão relacionadas com as empresas de seguros e estão promovendo uma verdadeira revolução na área. Afinal, essas startups já estão nascendo com um DNA mais tecnológico, enquanto as companhias tradicionais estão promovendo reestruturações para se alinhar e se integrar melhor a esse perfil de empresa.

Assim, acompanhe o artigo a seguir e saiba o que é uma Insurtech, o que significa o seu termo, as grandes transformações que vem promovendo e o significado disso para a área.

O que é Insurtech?

Em resumo, o termo Insurtech se baseia na junção de duas palavras em inglês: Insurance, que significa “seguro”; e Technology, que significa “tecnologia”. Dessa forma, a expressão busca representar o perfil das startups desse segmento que apresentam a proposta de uma estrutura e atendimento mais tecnológico e digital.

Por conta desse modelo de negócio, as insurtechs são vistas como o futuro da área de seguros. Embora existam empresas centenárias que já passaram pelos mais diversos cenários, ainda vem surgindo espaço para o surgimento de novas empresas que inovam na maneira como vendem seguros.

Ao mesmo tempo, as insurtechs trazem para a área conceitos muito utilizados pelas startups com perfil mais tecnológico, como Data Analysis, Big Data, User Experience, SaaS (Software as a Service) e mais.

Freepik@vectorjuice
Imagem ilustrativa (Fonte: [email protected]).

De acordo com um relatório sobre a área feito pela PWC, 3 a cada 4 seguradoras acreditam que parte de seu negócio corre o risco de interrupção por causa das insurtechs. Algumas das principais ameaças mencionadas por esses líderes para fundamentar o raciocínio são: a possível perda de participação no mercado para essas startups e a pressão sobre as margens em decorrência disso.

Ao mesmo tempo, a redução de custos e a diferenciação no mercado também são vistos como fatores que beneficiam as startups por gerarem ganhos potenciais para esse tipo de empresa.

Ainda assim, isso não representa o fim das seguradoras mais tradicionais. Afinal, parte dessas novas empresas estão formando parcerias para distribuir os produtos e serviços das gigantes do segmento, além de outras sinergias que unem inovação e uma longa experiência de mercado.

Leia mais  Conta Conjunta Solidária: o que é e como abrir uma?

Como funciona uma Insurtech?

A princípio, vamos conhecer o funcionamento tradicional das ofertas de seguros. Em seguida, iremos nos aprofundar e entender melhor as novidades trazidas pelas startups para a área.

Em geral, o interessado em aderir a um plano de seguro precisa preencher primeiramente os seus dados para a etapa de da .

Posteriormente, é necessário aguardar o contato da companhia, onde o vendedor de seguros explicará os detalhes do produto que mais se encaixa com o perfil do potencial cliente. Normalmente, as assinaturas são padronizadas e as coberturas, bem como as assistências, podem aumentar a abrangência mediante pagamento de itens adicionais.

Caso esteja de acordo, o cliente fecha um contrato anual ou de um período maior, cujo valor acordado pode sofrer alterações se o cliente solicitar. Mas vale dizer que o processo para mudança pode ser burocrático. O acionamento do seguro, por sua vez, pode acontecer via telefone ou acessando a plataforma da seguradora.

Freepik@vectorjuice
Imagem ilustrativa (Fonte: [email protected]).

No caso da Insurtech, é comum existir a presença de um aplicativo para iniciar o processo de adesão de um plano de seguro, além das demais formas de contato e atendimento.

Ao mesmo tempo, as assinaturas possuem mais chances de contar com um perfil personalizado, visto que as coberturas e as assistências podem ser oferecidas sem necessariamente ter o formato de um “pacote fechado”.

Além disso, as novas empresas de seguros permitem planos de pagamento de seguros mensal, semelhante a uma assinatura em um serviço como Spotify ou Netflix, por exemplo. Assim, não há a obrigação de pagar algum tipo de compensação, caso queira encerrar a relação com a seguradora antes de encerrar o contrato.

Quais são as vantagens de uma Insurtech?

A princípio, a proposta das startups, sobretudo as 100% digitais, é agilizar e simplificar as etapas para atender as solicitações dos . Afinal, a rapidez faz toda a diferença no mundo online. E no caso de uma Insurtech, isso não é diferente.

Certamente, com a proliferação das Insurtechs, os processos estão se tornando menos burocráticos em todas as etapas da cadeia de operação.

Ao mesmo tempo, a venda e manutenção de produtos de seguro deixa de ser o único objetivo para o foco em experiência do usuário. Nesse sentido, com a chance de mais interação entre a seguradora e o cliente, há a possibilidade de se promover um marketing mais assertivo, uma fidelização maior, além de um conhecimento mais aprofundado dos perfis de clientes por meio da análise de dados.

Além disso, os clientes de uma Insurtech podem ter acesso a planos mais personalizados por causa da flexibilidade para determinar a cobertura e forma de pagamento do seguro.

Freepik@vectorjuice
Imagem ilustrativa (Fonte: [email protected]).

Ademais, a estrutura de custos menores permite a oferta de seguros com preços mais competitivos, inclusive com opções de entrada mais acessíveis a um público que, até então, não poderia buscar esse tipo de produto. Dessa forma, uma Insurtech pode atingir uma nova demanda de público dependendo de sua estratégia de negócio.

Leia mais  Ações Bradesco (BBDC4 e BBDC3): ainda vale a pena comprar?

Insurtechs brasileiras

Em síntese, algumas das principais Insurtechs do mercado brasileiro são as seguintes:

  • Kakau
  • Youse
  • Minutos Seguros
  • Segurize
  • Bidu
  • ThinkSeg

A seguir, estão em resumo as informações básicas a respeito dessas companhias de seguros. Para ir direto para a insurtech de seu interesse, você pode clicar nos links acima ou então acompanhar as listas com os itens abaixo.

Kakau Seguros 1

1. Kakau

Com início em 2016, a Kakau é uma plataforma de seguros 100% digital e sem franquia do . Em outras palavras, a sua operação foca na possibilidade de contratar e cancelar produtos de seguro, bem como realizar os pagamentos, tudo via aplicativo.

Como diferencial, a insurtech destaca o uso da tecnologia de inteligência artificial para entregar resultados mais precisos no segmento de seguros. Entre os produtos oferecidos, é possível contratar seguros para celular, tablet e para bicicletas.

Ao mesmo tempo, a empresa utiliza o modelo de negócio de assinaturas, onde o plano se mantém ativo enquanto a mensalidade vai sendo paga. Ademais, a startup possui parcerias com outras seguradoras do mercado para compor o seu portfólio de produtos.

Insurtech o que é

2. Youse

Lançada em 2016, a Youse Seguros é uma iniciativa da Caixa Seguradora para desenvolver uma plataforma de seguros 100% online. Nesse sentido, a insurtech oferece planos de seguro voltados para veículos, residencial e de vida.

Como diferencial, a proposta desta insurtech é que o cliente escolha as coberturas de seguro conforme a categoria de seu interesse. Assim, os planos podem ser personalizados de acordo com a preferência do cliente.

Caso queira conhecer mais o perfil e avaliações a respeito da Youse Seguros, acompanhe a análise feita pelo Guia do Investidor. Basta acessar aqui.

Insurtech o que é

3. Minuto Seguros

Iniciada em 2011, a Minuto Seguros é atualmente a maior corretora de seguro auto do país e a maior do segmento online. Para chegar a esse nível, a seguradora destaca o seu foco em reunir as competências de agilidade e rapidez com um atendimento humano de qualidade.

Por isso, a insurtech tem como lema de atuação “facilitar a vida daqueles que buscam um seguro, pensando sempre na qualidade e importância do atendimento humano“.

Entre suas ofertas, a seguradora permite a contratação de planos de seguro para veículos, residencial, de vida, de acidentes pessoais, para viagens, empresas, patrimonial e mais.

Insurtech o que é

4. Segurize

Criada em 2016, a Segurize é conhecida como o “Uber dos seguros” pelo seu modelo de negócio. Baseado na ideia de economia colaborativa, ela funciona da seguinte maneira: os usuários da seguradora, chamados de “Segurizers”, podem indicar os produtos da insurtech para familiares, amigos ou conhecidos.

Leia mais  Ame, das Americanas, lança seguro de vida com mensalidade a partir de R$ 5

Em caso de sucesso na indicação, os Segurizers ganham pontos que podem ser trocados por prêmios ou . Portanto, a plataforma pode ser vista como um meio para obter uma renda complementar. Inclusive, a insurtech conta com vídeos explicativos que ensinam sobre como realizar as indicações para apoiar as vendas dos usuários.

Também vale dizer que a startup possui uma parceria com o Seguros, onde os funcionários da tradicional seguradora conseguem obter pontos que podem ser convertidos por produtos do ShopFácil Bradesco, bem como participar de competições e sorteios de prêmios.

Insurtech o que é

5. Bidu

Fundada em 2011, a Bidu é uma plataforma totalmente online com foco em comparação de ofertas de seguros de diversas categorias. Sendo assim, o destaque dessa insurtech envolve a praticidade na busca por planos de seguro, permitindo a comparação simultânea de diversas opções.

Além disso, a seguradora conta com grandes seguradoras parceiras em seu portfólio, como a Allianz, Azul Seguros, Bradesco Seguros, Porto Seguro, SulAmérica, entre outras. Por isso, a startup recebeu o da gestora de venture capital brasileira Monashees e foi incorporada pelo Grupo Thinkseg em 2018.

Caso queira conhecer mais o perfil e avaliações a respeito da Bidu Seguros, acompanhe a análise feita pelo Guia do Investidor. Basta acessar aqui.

Insurtech o que é

6. ThinkSeg

Falando na ThinkSeg, também conhecer melhor essa insurtech. Com início em 2016, a seguradora atua em várias áreas e possui hoje um ecossistema de seguros independente que endereça toda a cadeia da indústria.

Assim, a plataforma Bidu é apenas um dos negócios que complementa a atuação do grupo. Além dela, existe a ThinkSeg Corporate, responsável por oferecer soluções para pequenas, médias e grandes empresas, com foco em seguro garantia e benefícios.

Também, há a ThinkSeg Seguro Auto, negócio focado em veículos cujo diferencial é o método Pay Per Use. Sendo assim, você pode manter a assinatura ativa pagando a mensalidade, cujo preço se ajusta de acordo com a quilometragem rodada no mês. Segundo a startup, o preço pode ser até 50% mais barato.

Por fim, a ThingSeg também possui parceria com a Mapfre, seguradora com melhor reputação da América Latina, para as coberturas contra roubos, furtos e acidentes.

Avalie este post:
[Total: Média: ]

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as notícias mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Demanda por seguros de autos cresce 33,3% em março sobre 2021

Autor Convidado

Demanda por seguros de autos cresce 12,53% em fevereiro sobre 2021

Victor Rodrigues

Modal (MODL11) lança a sua plataforma de seguros

Victor Rodrigues

Ame, das Americanas, lança seguro de vida com mensalidade a partir de R$ 5

Victor Rodrigues

Novidade: Digio lança planos voltados para o mercado de seguros

Victor Rodrigues

Open insurance: os novos rumos do mercado de seguros

Autor Convidado