Como investir na bolsa de valores: Guia Completo

Como investir na bolsa de valores: Guia Completo

24 de maio de 2019 0 Por Diego Dias

Tudo o que você precisa saber para começar a investir na bolsa de valores hoje mesmo.

Saiba como investir na bolsa de valores passo a passo. Além de conhecer os principais termos e todas as funcionalidades, bem como os riscos, taxas e tributação. Conheça todo o mercado de ações através desse guia completo.

Conhecendo a bolsa de valores

A bolsa de valores é basicamente uma plataforma ou mercado online. Onde diversos investidores conseguem se encontrar para negociar a compra e venda de ações e outros produtos financeiros. Logo é possível negociar ações de diversos produtos das mais variadas empresas e setores.

Contudo a Bolsa de valores foi criada para servir como uma ferramenta de captação de dinheiro. Assim as empresas podem captar capital para investir nela mesmo. Logo as empresas vendem pequenas partes de suas participações para investidores e até outras empresas.

Então aqueles que investem, passam a ser considerados sócios da empresa, e passam a ter participação na distribuição dos lucros.

Assim as empresas podem conseguir dinheiro com taxas muito mais baixa do que se estivessem pegando emprestado no banco. Enfim, é vantagem para os dois, tanto para o investidor como para a empresa.

Entenda o que são ações e porque investir

Para quem é novo no mercado, pode ser um pouco confuso entender como funciona o mercado. Então para entender o que são ações, imagine que uma grande empresa seja dividida em 1 milhão de pedaços. Assim pense que você pode comprar alguns pequenos pedaços.

Logo ao possuir mesmo que um único pedaço, você passa a ser também um sócio da empresa. Assim como qualquer outra pessoa que investir em um ou mais pedaços.

Então o que determina a sua relevância dentro da empresa é a quantidade de ações que portar. Logo em alguns casos além de auferir lucros você participa também das assembleias para votar. Assim pode ajudar na tomada de decisões da empresa.

Contudo, a Bolsa de valores é uma ótima opção de investimentos para aqueles que se exponham. Posto que é um mercado de alto e baixos, o que na maioria das vezes assusta o menos experientes. No entanto, a bolsa de valores apresenta um bom resultado no longo prazo.

Porém, ainda não faz parte da cultura brasileira o hábito de investir na bolsa de valores. Posto que como dito anteriormente, trata-se de um mercado de alta volatilidade. Assim tem como pré-requisito a necessidade de conhecimento para que se tenha sucesso.

Qual o valor mínimo de investimento

Essa é uma dúvida comum, muitos acreditam que é necessário um alto investimento para entrar no mercado.

No entanto, não há um valor mínimo para que se comece a investir. Logo mesmo com um baixo poder de capital é possível associar-se a grandes empresas. O que é seria muito difícil se se não fosse pelo intermédio da Bolsa valores.

Contudo, existem alguns custos como a taxa de corretagem que podem inviabilizar seus ganhos caso, os investimentos sejam muito baixo.

Logo é recomendado que inicie com investimentos em fundos, já que os custos são menores. Assim essa é a mesma recomendação para quem deseja fazer aportes mensais, se o caso for de valores baixos.

Formas de se investir na bolsa de valores

Há diversos meios para se investir na bolsa de valores. Logo é possível que seja feito aplicação diretamente na bolsa, através de fundos ou clubes de investimento.

No entanto, é possível fazer seus investimentos totalmente pela internet. O que é muito bom afinal você pode viajar ou mudar de pais que ainda assim poderá continuar investindo. Posto que para isso é necessário apenas ter um computador com acesso à internet, para acessar sua plataforma Home Broker.

O Home Broker, foi criado justamente para facilitar as negociações de compra e venda entre os investidores. Logo é com ele que se controla as operações direto pela internet, de forma simples e intuitiva. Veja como na imagem a baixo:

Contudo, para quem é iniciante pode parecer muito confuso, mas é mais fácil do que se pode imaginar. No entanto é claro que que será preciso entender alguns termos técnicos para que não se opere de forma errada.

Logo ao abrir a plataforma as configurações podem variar de corretora para corretora, mas costumam ser semelhantes.

Como investir na Bolsa de Valores em 3 passos

Agora você já conhece um pouco mais sobre a Bolsa de Valores e alguma de suas funcionalidades. Logo vamos para um passo a passo, com todos os detalhes para investir em suas primeiras ações ou fundo.

Abra uma conta em uma corretora ou banco

O primeiro passo é abrir uma conta em um banco, caso você ainda não tenha. Afinal por motivo de segurança você só consegue transferir para sua corretora valores que sejam provenientes de uma conta que possua o mesmo CPF.

No entanto se optar por um banco digital, que em sua maioria já funcionam como corretoras. É muito comum que ele já te de acesso ao home broker logo não é preciso transferir o dinheiro. Assim como alguns bancos tradicionais.

Contudo, fique atento as taxas de corretagem e a disponibilidade de produtos e serviços na hora de escolher seu banco ou corretora. Toda via as taxas nos bancos costumam ser maiores do que em uma corretora.

Transferindo o dinheiro para sua conta

É muito simples, no entanto para os viajantes de primeira viagem, esta etapa, costuma de ser uma dúvida. No entanto, trata-se de um TED, assim como qualquer outra. Tendo salvo que, como dito anteriormente, é necessário que a conta de origem seja do mesmo CPF que a conta de destino.

Logo, basta pegar os seus dados bancários que estará disponível na plataforma da corretora. Ora se sua corretora for diferente de seu banco. Onde nesse último não é preciso fazer transferência, caso já tenha o dinheiro em conta.

Faça seu primeiro investimento

Agora que já possui dinheiro em conta, você já pode investir na Bolsa de valores. Então através de um Home Broker, você consegue fazer operações de compra e venda de ações, títulos e fundos. Logo vale lembrar que pode fazer tudo pela internet.

No entanto, seja cauteloso, afinal é seu dinheiro que está em jogo. Posto que a partir de agora é necessário conhecimento para que faça bons negócios. Logo é importante estudar para aprender técnicas que vão lhe ajudar na hora de analisar as variações do mercado.

Contudo, não faz mal arriscar baixos valores em alguma ação ou fundo, só para sentir um pouco da adrenalina da bolsa de valores.

Quais os Riscos

Com esse Guia completo você já conhece bem as Bolsa de Valores. Sendo assim, já sabe como investir, no entanto, antes de iniciar é importante saber os riscos. Assim saiba que o ao investir em ações você está sujeito ao risco de liquidez e de desvalorização do ativo.

Logo pode acontecer de você comprar um ativo, e depois não conseguir vende-lo. Então se por acaso as ações dessa empresa forem pouco negociadas, você terá dificuldades de conseguir a liquidez desse ativo.

Assim se a empresa estiver indo mal você fica suscetível a outro grande risco, o de desvalorização. Afinal se a empresa começar a perder valor e você não conseguir vender suas ações, o prejuízo é certo.

Além disso lembre-se que se trata de um mercado de muita volatilidade, o que na maioria das vezes representa um risco alto. Então para um iniciante, é importante que se tenha paciência para aprender.

Custos e taxas

Há também, algumas obrigações do investidor para com a corretora. No entanto os valores sempre podem variar de uma empresa para outra, e os bancos tradicionais costumam ter taxas mais altas.

Logo sempre procure as melhores condições antes de investir de acordo como o seu perfil de investidor. A seguir entenda como funciona os custos e as taxas.

Corretagem

Esse custo incide toda vez que realizar uma operação de compra ou venda de ações. Contudo as operadoras costumam oferecer diferentes planos de cobranças.

Fixa

Em caso de corretagem fixa, a corretora já pré determina qual será o valor da taxa. Então independente de quantidade de ações que forem compradas você pagará sempre o mesmo valor, por operação.

Por exemplo: Se fizer a compra de 1000 ações, será cobrado 15,00 de corretagem. Logo se comprar 5000 ações será cobrado o mesmo 15,00. No entanto se fizer 5 ordens de comprar de 1000 ações irá pagar a taxa de 15,00, 5 vezes.

Variável

Já a corretagem variável, você paga de acordo com a quantidade de ações e o valor da operação. Então a corretora cria faixa de valores onde quanto maior o valor da compra a taxa é relativamente menor.

Por fim, geralmente a corretagem fixa é a mais recomendada, logo a variável é mais vantajosa para operação de baixo valor.

Taxa de custódia

Mensalmente a corretora cobra do investidor uma taxa referente a ações alocadas em seu sistema. Logo é conhecido como Taxa de custodia, o valor é baixo, algo em torno de R$ 5 ou R$ 10 reais. No entanto não é cobrado por todas as corretoras.

Por outro lado, caso seja um investidor em fundos, os custos com corretagem e custódia serão divididos entre os cotistas. Logo é por isso que os fundos acabam sendo uma boa opção para iniciar, visto que os custos são bem baixos.

Quais Tributos incidem?

No mercado de ações há operações com ganho de capital onde há incidência do Imposto de Renda. Logo se aufere 15% sobre o lucro na venda. Contudo, para as vendas que não ultrapassarem o montante de 20 mil reais no mês, o imposto é isento.

Então entenda que o IR será corado de acordo com o resultado mensal, caso o limite seja ultrapassado.

Agora para investimentos em fundos, a cobrança é diferente para cada um dos casos.

Fundos de investimento em ações

A alíquota será de 15% com base no ganho de capital. Nesse caso não se leva em consideração o prazo.

Fundos de investimento de curto prazo

O IR será cobrado sobre todo o ganho obtido através de aplicações com menos de 180 dias, a alíquota será de 22,5%.

No entanto para aplicações como mais de 180 dias a alíquota é de 20%.

Fundos de investimentos de longo prazo

Para aplicações com menos de 180 dias a alíquota sobre o ganho é de 22,5%

Já para aplicações com prazos entre 181 até 360 dias a incidência do IR é de 20% sobre o ganho de capital.

Para aplicações que possuírem prazos entre 361 e 720 dias, a alíquota do IR cobrado sobre o lucro é de 17,5%

E por fim, todas as aplicações com mais de 720 dias, terão uma alíquota de apenas 15% sobre os ganhos de capital.

Conclusão

O mundo de investimentos possui vastas oportunidades. Logo são diversas empresas em buscas de capital e milhares de investidores em busca de uma ação promissora. Afinal há grandes oportunidades de se conseguir uma grande alavancagem todos os dias.

Mas é preciso que se tenha cautela e paciência, afinal nem sempre os resultados virão do dia para noite. Além disso os melhores, na maior parte das vezes aparecem no longo prazo. Logo é importante saber bem quando deve entrar ou sair de uma operação.

Tendo em vista que, da mesma forma com que se pode faturar alto, as chances de cair também são grandes. Logo é preciso que se atente em estar sempre atualizado de todas as informações, que circulam em torno do mercado.

Assim como é importante estudar sobre as técnicas e as formas de análises utilizadas pelos grandes investidores. Então este é um guia completo que é capaz de clarear todos os principais princípios necessários para entrar no mundo dos investimentos.

No entanto o melhor do mundo, Warren Bufett, já disse “ Nunca invista em algo que você não entenda”. Logo é importante aprender mais sobre ações, antes de mergulhar nesse universo dos investimentos.

Então o conhecimento junto com as habilidades que se adquire na prática, irá com o tempo transformá-lo em um bom investidor. Assim, lhe proporcionará a segurança necessária para ser frio e calculista diante das altas e baixos do mercado.

NÃO PERCA MAIS UMA DICA! CADASTRE SEU E-MAIL

PARTICIPE AGORA DO NOSSO FÓRUM!

O nosso fórum já está aberto para você tirar as suas dúvidas sobre investimento e debater sobre o que quiser. Sinta-se em casa, cadastre-se agora: http://guiadoinvestidor.com.br/forum/