Guia do Investidor
mercado e combustivel freepik
IPCA Notícias

IPCA de abril é o mais elevado para o mês desde 1996

Puxado pela altas dos alimentos e do combustível, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a oficial no país, fechou abril em 1,06%, maior resultado para o mês em 26 anos, desde 1996 (1,26%), de acordo com dados divulgados pelo nesta quarta-feira (11).

O economista João Beck, sócio da BRA, analisa que o desacelerou mais, mas ainda assim, ficou levemente acima do consenso do que o esperava.

“O aumento de preços ainda continua bem difuso, mas novamente a pressão veio dos alimentos e da gasolina, principais itens influenciados pela guerra na Ucrânia. Nossa taxa se encontra em nível bastante contracionista, e muitos dos impactos das altas recentes ainda não foram sentidas. Outros indicadores de atividade e de oscilação de preços já dão sinais de que poderemos ver uma inflação mais comportada nos próximos trimestres”, avalia Beck.

O economista pontua ainda que “o que deve mais pesar nos mercados é o CPI americano, mostrando que nos EUA a inflação ainda está longe de ser controlada, e leva à uma discussão maior sobre possíveis aumentos acima de 50 pontos nas próximas reuniões”.

Para Rafael Marques, CEO da Philos Invest, o resultado do IPCA mostra a desaceleração em grande parte dos itens de vetores mais voláteis da inflação, que foram a alimentação no domicílio e os combustíveis. Também há uma deflação no subgrupo de energia elétrica por causa da mudança da bandeira tarifária de escassez hídrica para verde em 16 de abril.

Leia mais  Tesouro IPCA: vale a pena investir? Quanto rende?

Ele avalia que espera-se um impacto baixista remanescente, olhando para frente, com a mudança da bandeira tarifária para verde. No entendo, o diesel deve ter um reajuste de 8,9% no preço, por isso, deve ser um impacto altista sobre o índice no próximo anúncio.

“Além disso, o balanço de risco segue assimétrico ainda para cima, refletindo uma elevada do cenário global, com uma política monetária restritiva vindo especialmente dos e a deterioração de alguns problemas de cadeia produtiva por causa das medidas tomadas de restrição social na , diz o especialista.

O economista pontua ainda que “esse cenário tem provocado uma desvalorização do real e isso pode resultar em novas pressões altistas aqui. Além disso, a gente tem na outra ponta uma defasagem da gasolina também que pode ter um impacto negativo. Por fim, em meio a dados positivos do mercado de trabalho e recuperação parcial do rendimento real, precisamos monitorar algumas que podem vir da da parte de serviços”, finaliza Marques.

Avalie este post:
[Total: Média: ]

Nossas redes:

Leia mais

Indicador Ipea registra alta de 0,4% na demanda por bens industriais

Guia do Investidor

Queda nos serviços vai impactar o PIB? Confira o que dizem os analistas

Leonardo Bruno

Inflação do 1º tri deve ser a maior dos últimos sete anos, afirmam economistas da ANBIMA

Victor Rodrigues

Ativa Investimentos revisa cenário após Focus: Inflação chega em 13,25% e PIB cai para zero em 2022

Victor Rodrigues

C6 Bank revisa para cima projeção para o IPCA de 2022

Victor Rodrigues

Banco Original: IPCA-15 surpreende o mercado ao apresentar alta de 0,99% em fevereiro

Victor Rodrigues

Deixe seu comentário