Guia do Investidor
Foto/Reprodução
Notícias

Itaú considera novo pagamento de dividendos, diz presidente

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • Presidente do Itaú, Milton Maluhy Filho, anunciou possível novo pagamento extraordinário de dividendos.
  • Preferência por pagamentos regulares e recorrentes de dividendos em vez de aumento pré-determinado do payout.
  • Ênfase na manutenção de um capital robusto nos próximos 12 meses para sustentar crescimento.
  • Compromisso com crescimento de longo prazo, focando em qualidade e sustentabilidade.
  • Evitar ciclos de crescimento rápido seguidos de ajustes prolongados nos custos de crédito.
  • Consideração do cenário macroeconômico na estratégia de crescimento das carteiras de crédito.
  • Confiança nas projeções para o ano, reafirmando compromisso com metas estratégicas do banco.

O presidente do Itaú, Milton Maluhy Filho, anunciou hoje durante um evento com investidores que o banco está considerando realizar um novo pagamento extraordinário de dividendos, conforme reportado pelo portal Valor Investe. Ele destacou a preferência da instituição por pagamentos regulares e recorrentes de dividendos, ao invés de simplesmente aumentar a distribuição de lucros de forma pré-determinada.

Leia mais  Santos Brasil aprova distribuição de R$ 94,2 mi em proventos

Maluhy enfatizou a importância de manter um nível sólido de capital não apenas no presente, mas ao longo dos próximos 12 meses. Ele sublinhou que ter capital disponível nos momentos cruciais é fundamental para sustentar o crescimento e evitar situações onde a falta de capital poderia limitar as oportunidades de expansão.

Além disso, o presidente reiterou o compromisso do Itaú com um crescimento de longo prazo, caracterizado pela qualidade e sustentabilidade. Maluhy expressou a intenção do banco de evitar ciclos de crescimento de curto prazo seguidos de ajustes prolongados nos custos de crédito. Ele também destacou a necessidade de considerar o cenário macroeconômico ao planejar o crescimento das carteiras de crédito, enfatizando a correlação direta com o PIB e a importância de um crescimento sustentável.

Por fim, Maluhy reafirmou a confiança do Itaú nas projeções para o ano, indicando que a instituição continua comprometida com suas metas estratégicas.

Movimentos Recentes

O Conselho de Administração do Itaú Unibanco, anunciou no início deste mês, contudo, aos seus acionistas que aprovou, na última quinta-feira (6), o pagamento de Juros sobre o Capital Próprio (JCP). Este, no valor de R$ 0,2510 por ação, com retenção de 15% de imposto de renda na fonte.

Leia mais  Itaú BBA cria plataforma de negociação de grandes lotes para clientes institucionais

Resultando em juros líquidos de R$ 0,21335 por ação, excetuando dessa retenção os acionistas pessoas jurídicas comprovadamente imunes ou isentos. A base de cálculo utilizada será a posição acionária final registrada em 20 de junho de 2024. Ainda, com suas ações negociadas “ex-direito” a partir de 21 de junho de 2024.

A distribuição de Juros sobre o Capital Próprio (JCP) é uma forma de remunerar os acionistas de uma empresa. É uma parcela do lucro líquido que a empresa distribui aos acionistas na proporção da quantidade de ações que possuem.

Os JCPs são uma alternativa às tradicionais distribuições de dividendos. Enquanto os dividendos representam a distribuição do lucro líquido após o pagamento de todos os impostos e despesas da empresa, os JCPs são uma forma de remunerar os acionistas com uma parte do lucro que ainda está sendo apurado, antes do pagamento de impostos.


Leia mais  Localiza aprova pagamento de JCP
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Santander pagará R$ 1,5 bilhão em JCP

Márcia Alves

Renner fará pagamento de JCP nesta terça-feira

Márcia Alves

Alupar pagou dividendos aos seus acionistas nesta segunda

Márcia Alves

Ações da China caem pela 5ª vez por temores econômicos

Paola Rocha Schwartz

Agenda de dividendos para Julho de 2024

Guia do Investidor

Azul avalia fusão com Gol em até três meses, revela jornal

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário