Guia do Investidor
jbs gdi
Notícias

JBS antecipa pagamento de US$ 500 mi em títulos internacionais

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • A JBS, entretanto, anuncia a antecipação da quitação de até US$ 500 milhões em bonds internacionais
  • A companhia, contudo, estabeleceu critérios prioritários para a recompra, os quais guiarão a distribuição da oferta, caso a demanda ultrapasse os US$ 500 milhões previstos para os pagamentos antecipados
  • A JBS também planeja recomprar as notas sêniores que vencem em 2034, com uma taxa de juros, no entanto, de 6,75% ao ano

A JBS (JBSS3) anuncia a antecipação da quitação de até US$ 500 milhões em bonds internacionais. Os títulos, com vencimentos entre 2029 e 2034, serão recomprados pela subsidiária JBS USA Food Company. Utilizando, assim, recursos do caixa da companhia para o pagamento do resgate. A empresa divulgou esta informação em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A companhia estabeleceu critérios prioritários para a recompra, os quais guiarão a distribuição da oferta, caso a demanda ultrapasse os US$ 500 milhões previstos para os pagamentos antecipados.

Segundo o documento, a maior prioridade foi atribuída às notas com vencimento em 2029, que oferecem um juro de 6,5% ao ano. O valor total em aberto dessa emissão é de US$ 77,9 milhões.

Leia mais  Investindo pesado no ESG, JBS anuncia abertura de 3 novos escritórios verdes

A empresa priorizou os títulos com vencimento em 2033, que pagam uma taxa de 5,75% ao ano, como a segunda prioridade. O valor total em aberto desses papéis é de US$ 2,049 bilhões.

Para esses dois vencimentos, está previsto, contudo, o gasto de até US$ 400 milhões.

A JBS também planeja recomprar as notas sêniores que vencem em 2034, com uma taxa de juros de 6,75% ao ano, totalizando um valor em aberto de US$ 1,6 bilhão.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

A empresa

A JBS é uma das maiores empresas de alimentos do mundo, com sede no Brasil. Fundada em 1953, a JBS começou como uma empresa de processamento de carne bovina e expandiu suas operações ao longo dos anos. Tornando-se uma gigante global na indústria de alimentos.

Leia mais  Aegea aprova emissão de debêntures totalizando R$ 1,8 bilhão

A empresa é uma das líderes mundiais em processamento de carne bovina, suína e de aves, além de atuar também na produção de produtos processados, como alimentos prontos, embutidos, hambúrgueres, entre outros.

A JBS, portanto, opera em diversos países ao redor do mundo e possui uma extensa cadeia de produção, desde a criação e o abate de animais até o processamento e a distribuição de produtos finais. A empresa é reconhecida por sua atuação global, sendo, contudo, uma das principais fornecedoras de proteína animal para mercados em todo o mundo.

Pagamento antecipado de títulos

As empresas antecipam o pagamento de títulos por várias razões estratégicas e financeiras:

  1. Redução de custos financeiros: Ao antecipar o pagamento de títulos, as empresas podem reduzir os custos financeiros associados aos juros. E, ainda, encargos que seriam incorridos ao longo do tempo. Isso pode resultar em economia significativa a longo prazo.
  2. Melhoria do perfil de endividamento: Ao reduzir sua dívida antecipadamente, as empresas podem melhorar seu perfil de endividamento. Isso pode aumentar sua capacidade de obter financiamento futuro em condições mais favoráveis. Assim, fortalecendo sua posição financeira.
  3. Aproveitamento de oportunidades de mercado: Em certas condições de mercado, como taxas de juros baixas ou condições favoráveis de financiamento, as empresas podem optar por antecipar o pagamento de títulos. Para, assim, aproveitar oportunidades de refinanciamento ou investimento em projetos estratégicos.
  4. Flexibilidade financeira: Reduzir a dívida antecipadamente pode proporcionar maior flexibilidade financeira às empresas. Permitindo-lhes, dessa forma, concentrar-se em outras prioridades, como investimentos em crescimento, fusões e aquisições, recompra de ações ou retorno de capital aos acionistas.
  5. Redução de riscos financeiros: Ao reduzir a dívida, as empresas também reduzem sua exposição a riscos financeiros associados à volatilidade do mercado e, contudo, às mudanças nas taxas de juros, proporcionando maior estabilidade financeira.
Leia mais  Ibovespa abre em queda; mas JBS (JBSS3) tem ganhos fortes

No geral, antecipar o pagamento de títulos pode ser uma estratégia financeiramente prudente para as empresas, ajudando-as a fortalecer sua posição financeira, reduzir custos e melhorar sua flexibilidade operacional.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa abre novamente com queda e alguns ativos instáveis

Paola Rocha Schwartz

Desistência de Biden agita mercado e aumenta a incerteza

Paola Rocha Schwartz

Ibovespa abre em queda mas vários ativos apontam ganhos

Paola Rocha Schwartz

Embraer entrega 47 Jatos no 2T24 e carteira sobe US$ 21,1 bi

Paola Rocha Schwartz

Meta em conversas para comprar detentora da marca Rayban

Paola Rocha Schwartz

Privatização da Sabesp tem recorde de investidores e volume

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário