Guia do Investidor
Imagem: Reprodução Facebook Mills
Notícias

Mills (MILS3) finaliza programa de recompra de ações

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • Na quarta-feira (10), a Mills concluiu seu programa de recompra de ações
  • A empresa adquiriu um total de 7.874.016 ações ordinárias
  • Inicialmente, a empresa as destinará aos Programas de Incentivo de Longo Prazo, com o objetivo, no entanto, de alinhar os interesses dos colaboradores com o crescimento

Na última quarta-feira (10), a Mills (MILS3) concluiu seu programa de recompra de ações. Este, iniciado em 19 de março. Durante o programa, a empresa adquiriu um total de 7.874.016 ações ordinárias (ON), correspondentes a 3,2% do seu capital social atual.

A Mills manterá as ações recompradas em tesouraria, com possibilidade de utilizá-las futuramente para diversos fins estratégicos. Inicialmente, a empresa as destinará aos Programas de Incentivo de Longo Prazo, com o objetivo de alinhar os interesses dos colaboradores com o crescimento e sucesso da companhia.

Além disso, as ações poderão servir como instrumento estratégico em negociações com potenciais alvos (M&A), fortalecendo assim sua posição no mercado. Por fim, a empresa poderá cancelar parte das ações recompradas. Ainda, o que contribuirá para maximizar a geração de valor aos acionistas e aprimorar a estrutura de capital.

Leia mais  BRF (BRFS3) anuncia término do programa de recompra de ações

A empresa

A “Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A”, é uma empresa brasileira que atua no segmento de locação de equipamentos para construção civil e industrial. Fundada em 1952, a Companhia oferece, portanto, uma ampla gama de serviços e soluções em plataformas de acesso. Além disso, de formas metálicas, andaimes e outros equipamentos especializados para obras de grande porte. A empresa é reconhecida pela qualidade e segurança de seus produtos, atendendo tanto o mercado doméstico quanto internacional.

Vibra Energia aprova programa de recompra de ações

O valor total é de R$ 1,2 bilhão em um prazo de até 18 meses.

Na última sexta-feira (05), o Conselho de Administração da Vibra aprovou o programa de recompra de ações ordinárias de sua emissão, com efeitos a partir do dia 10 de julho de 2024, limitado, no entanto, ao valor total de R$ 1,2 bilhão em um prazo de até 18 meses.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Segundo informações, a abertura de um novo programa, se baseia, contudo, na percepção acerca do potencial de criação de valor da companhia.

“A administração vê no programa mais uma opção oportuna de alocação de capital”, diz documento divulgado pela companhia.

A companhia informou que, as ações recompradas e mantidas em tesouraria podem, a critério da administração, ser usadas para cumprir obrigações decorrentes de planos de ações referentes à retenção de executivos, na forma aprovada por Assembleia Geral e pelo Conselho de Administração.

Leia mais  Vivara e Setor Imobiliário: Estratégias promissoras de crescimento, aponta Santander

A recompra terá como objetivo, no entanto, a aquisição de ações ordinárias de emissão da própria Vibra para manutenção das ações adquiridas em tesouraria, cancelamento ou alienação.

Vibra cancelou ações em tesouraria

A Vibra Energia tomou a decisão de cancelar 46 milhões de suas ações ordinárias que estão atualmente em tesouraria. Esse cancelamento representa uma porcentagem significativa, correspondendo a 92,2% do total de ações mantidas pela empresa nesse contexto.

Após a conclusão desse processo, a companhia ainda retém 3.885.323 ações em tesouraria, o que equivale, portanto, a uma parcela mínima de 0,35% do total de ações em circulação.

Com a implementação desse cancelamento, o capital social da empresa será reestruturado, passando a ser dividido em 1.119.000.000 ações ordinárias. Essas ações, por sua vez, serão todas nominativas, escriturais e sem valor nominal, como estipulado.

A Vibra Energia planeja convocar uma Assembleia Geral Extraordinária para realizar os ajustes necessários em seu Estatuto Social. Este movimento reflete a estratégia da empresa em otimizar sua estrutura de capital e melhorar sua posição no mercado, buscando maximizar o valor para os acionistas.

Leia mais  Porto (PSSA3) anuncia definição de JCP em R$ 0,3192 por ação


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa abre em queda mas vários ativos apontam ganhos

Paola Rocha Schwartz

Embraer entrega 47 Jatos no 2T24 e carteira sobe US$ 21,1 bi

Paola Rocha Schwartz

Comgás anuncia emissão de R$ 1,5 bilhão em debêntures

Paola Rocha Schwartz

Meta em conversas para comprar detentora da marca Rayban

Paola Rocha Schwartz

Privatização da Sabesp tem recorde de investidores e volume

Paola Rocha Schwartz

Ibovespa abre com queda impulsionado por ativos em perdas

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário