Guia do Investidor
Free Freepik@wirestock
Educação financeira finanças

O que é a reserva de emergência flutuante? Descubra a seguir

Ter uma flutuante vai ajudar você a ter menos dores de cabeça com o orçamento! Principalmente em momentos de crise ou urgências.

Mas, para isso, é preciso entender bem o que é essa reserva e como fazer. Para ajudar você, produzimos este artigo com tudo que você precisa saber sobre o assunto. Acompanhe!

Por que ter uma reserva de emergência é importante?

Ter uma reserva de emergência ajuda a evitar dores de cabeça e a resolver problemas de uma forma mais fácil.

Por exemplo, se você precisar de para um procedimento médico. Se não tiver valores guardados, você terá que vender um bem, buscar por um empréstimo ou recorrer ao limite do cartão de crédito, por exemplo.

Claro que, escolhendo o empréstimo certo ou fazendo bom uso do cartão, você poderá contar com o dinheiro sem pagar juros altos. Mas isso vai levar algum tempo, nem que sejam dias. Por outro lado, se você tiver uma reserva de emergência, vai poder dispor do dinheiro imediatamente na hora que precisar.

Por isso é mais simples e evita dores de cabeça. Você não tem que se preocupar em como conseguir o dinheiro, pois já vai ter ele em mãos.

Uma reserva de emergência vai servir para diversas situações. Não só emergências mé, como citamos, como casos de desemprego, aumento da despesa momentaneamente, etc.

Leia mais  3 dicas para jovens controlarem melhor as finanças

Quais os tipos de reserva de emergência?

Fazer uma reserva de emergência é algo que merece planejamento e disciplina. Mas, no caso do planejamento, ele vai variar conforme o tipo de reserva que você quer fazer. Veja abaixo.

Reserva de emergência comum

A reserva de emergência comum é o dinheiro que você acumula pouco a pouco com um valor fixo. Ou seja, você determina um valor X para guardar todo mês, e ele será poupado na sua conta.

Pode ser R$ 100,00 todo mês. Neste caso, você vai guardar R$ 100,00 por mês, para fazer uma boa reserva de emergência e garantir que terá dinheiro quando ele for necessário.

Reserva de emergência flutuante

Uma reserva de emergência flutuante é muito parecida com a comum. O que muda, na verdade, é o quanto você vai guardar. Por isso o “flutuante”: é um montante que varia na hora de poupar.

No caso da flutuante, você vai estabelecer um valor mínimo para guardar por mês, mas não o máximo. Então, sua conta vai receber pelo menos o X valor mensal. Porém, se você conseguir guardar mais nesse período, ainda melhor.

Afinal, qual o valor ideal da reserva flutuante?

O valor de uma reserva flutuante deve considerar seu custo de vida mensal. O ideal é que sua reserva total, ou seja, o quanto você terá guardado, alcance pelo menos 4 vezes seu custo mensal.

Isso significa que se, por exemplo, você ficar desempregado, terá dinheiro para se manter por pelo menos 4 meses.

Então, para definir o valor, anote tudo sobre sua vida financeira. Quais são seus gastos fixos (conta de água, mensalidade do streaming, etc.) e os gastos supérfluos.

Em seguida, entenda quais gastos poderiam ser excluídos do seu orçamento se necessário. A partir daí, você saberá quais serão seus gastos mensais. Esse valor vezes 4 é a reserva flutuante mínima ideal que você deverá alcançar.

E quais as melhores aplicações para a reserva?

A ideia da reserva flutuante é que você pode precisar dispor dela a qualquer momento. Então, não vale a pena colocar o dinheiro em aplicações de longo prazo, pois você poderia enfrentar problemas para ter acesso ao dinheiro em problemas de emergência.

Leia mais  Quatro dicas para organizar suas finanças e escapar da inadimplência

Pensando nisso, a alternativa mais simples seria manter os valores na poupança. Só que o rendimento dessa aplicação é muito baixo e acaba sendo consumido pela .

Por isso, o mais indicado é aplicar em com e com liquidez diária. Como é o caso do Título Público e o CDB.

Como uma reserva pode te fazer evitar dívidas?

Ter uma reserva financeira de qualquer tipo evita que você precise fazer um empréstimo ou gastar no crédito se uma emergência acontecer.

Por exemplo, se houver um problema com seu carro, uma emergência médica, se houver perda do emprego ou outra situação. A reserva também pode funcionar para você comprar um imóvel ou outro bem de alto valor.

Tendo o dinheiro guardado, você vai conseguir pagar pelo que precisa sem ter que correr atrás de crédito. Afinal, os valores já são seus e estarão guardados para o que você precisar.

Mesmo assim, pode ser preciso obter um empréstimo, principalmente se você começou a poupar a pouco tempo.

Se isso acontecer, a dica é pesquisar bastante entre as opções de crédito, usando um simulador de empréstimo. Assim, você conseguirá comparar as melhores alternativas do mercado e escolher a melhor para o seu bolso.

Comece a sua hoje

Quanto antes você começar sua reserva de emergência flutuante, mais rápido você vai conseguir juntar um bom dinheiro para quando precisar dele.

Leia mais  Dívida da Argentina está dando prejuízos a fundos de investimentos

Para começar agora mesmo, você precisa se planejar. Então, entenda qual a sua renda mensal e verifique seus gastos. Anote tudo e analise que são supérfluas. Se você conseguir economizar no que gasta no mês, terá mais valores para colocar na reserva.

Com esse entendimento, defina um valor mínimo para sua poupança. Seja realista, pois você terá que guardar esse montante todo mês, pelo menos. E então, nos períodos que você conseguir poupar mais, poderá guardar um extra também.

Para fazer uma boa reserva, também pode valer a pena conseguir uma renda extra. Avalie se você não pode vender ou revender produtos (bombons, cosméticos, etc.), ou se não pode fazer um trabalho extra. Se você se sente seguro no seu emprego, ainda pode pedir por um aumento de salário.

Mesmo que o acréscimo na sua renda seja pequeno, será um dinheiro a mais para poupar e conseguir fazer sua reserva de emergência flutuante.

Considerações finais

Planejamento e disciplina. Essas são as palavras de ordem para fazer uma boa reserva de emergência flutuante.

Planejamento porque você precisará definir quanto guardar e onde aplicar o dinheiro todo o mês.

Disciplina porque a poupança precisa ser frequente e ininterrupta. “Se deixar levar” e gastar com outras coisas vai prejudicar seus objetivos de poupar. Mas seguindo nossas dicas, você terá grande sucesso em montar sua reserva de emergência flutuante. Boa sorte!

LULA OU BOLSONARO? Não corra o risco das no Brasil: abra sua conta no exterior e proteja seu

Recomendações no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais

Quatro dicas para organizar suas finanças e escapar da inadimplência

Guia do Investidor

3 Dicas para investir o dinheiro da restituição do Imposto de Renda

Autor Convidado

Gestão financeira para iniciar seu negócio

Juros Baixos

Quero começar a investir em criptomoedas, por onde começar?

Victor Rodrigues

Entenda a importância de construir uma reserva de emergência

Guia do Investidor

Reserva de Emergência: por que ter uma antes de começar a investir?

Juros Baixos

Deixe seu comentário