Guia do Investidor
image 17
Notícias

Órigo Energia anuncia novo investidor e projeta investimento de R$ 4 bilhões no setor de geração compartilhada até 2024

A Órigo Energia, EnergyTech líder em geração compartilhada de energia no Brasil, anuncia de R$ 460 milhões da norte-americana Augment Infrastructure, gestora de de investimento que atua com foco em energia renovável e infraestrutura sustentável. Com esse aporte, a Augment se torna um dos principais acionistas da companhia, juntamente com outros relevantes, como TPG ART, MOV Investimentos e Mitsui.

“Estamos muito animados em ter a Augment entre os investidores. Este movimento fortalecerá o pioneirismo da Órigo no setor de energia renovável por assinatura no . A Augment tem décadas de experiência nos investimentos de energias renováveis e a experiência de seus executivos certamente irá contribuir para o exponencial da Órigo”, comenta Roel Collier, presidente do Conselho da Órigo e sócio da Circularis Partners / TPG ART.

E o mesmo apetite por atuar em um setor conectado às demandas da sociedade também é percebido pela Augment.

“Estamos entusiasmados em nos tornarmos acionistas da Órigo Energia. Após a realização de vasta das do setor no Brasil, seguimos com a Órigo por entender que a empresa se destaca por qualidade em seus profissionais, processos e digitalização”, comenta Viktor Kats, sócio da Augment.

A Órigo projeta um Capex (capital disponível para investimentos) acumulado de R$ 4 bilhões para aplicar até 2024, quando deverá ter uma potência instalada de 1 GWp (gigawatt pico) em suas fazendas solares para atender a mais de 500 mil clientes das regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do país.

“Esse aporte de capital permite à Órigo mais autonomia para acelerar a construção de fazendas solares, seguir investindo em tecnologia e expandir o serviço para novas geografias, ampliando e democratizando o acesso a um maior número de consumidores à energia solar, que tem vários benefícios, como a preservação dos recursos naturais e a na conta de ”, comenta o CEO da Órigo Energia, Surya Mendonça.

Atualmente, a empresa já atende mais de 50 mil clientes com uma potência instalada de mais de 150 MWp operacionais a partir das suas fazendas solares nos estados de Minas Gerais, Pernambuco e São Paulo e tem projeção de chegar ao final deste ano com capacidade instalada de mais de 250 MWp, dobrando sua base de clientes.

“Somos os pioneiros no setor com o lançamento da Fazenda Solar em 2017. Em um movimento que destoa do cenário atual de enxugamento de empresas e desaceleração dos investimentos, a Órigo mantém a sua trajetória acelerada de crescimento, sendo que dobraremos nossa capacidade instalada ao longo deste ano, assim como aconteceu em 2021”, conta Mendonça.

Modelo de negócio conectado às demandas de ESG

Leia mais  Treta: Itaú alfineta XP, corretora rebate

Com um modelo de negócios inovador, a Órigo oferece aos seus clientes cotas de energia solar gerada em suas fazendas solares. Com adesão fácil e 100% on-line pelo site da empresa, os clientes que optam pelo seu serviço passam a receber os pacotes de energia solar contratados em suas residências ou negócios diretamente pela rede de distribuição local. Ao optarem por esse modelo, os clientes não precisam investir na aquisição de painéis solares ou na instalação desses painéis, além dos benefícios atrelados à preservação dos recursos naturais decorrentes da opção por uma matriz energética sustentável, limpa.

O modelo da Órigo e a atuação da Augment estão comprometidos com as demandas de ESG (Environmental, Social, and Corporate Governance, ou governança ambiental, social e corporativa). Por meio do seu serviço, a atuação da Órigo permitiu a redução de mais de 21 mil toneladas de CO2 (de 2017 até maio de 2022), um volume que equivale a 152,3 mil árvores plantadas e uma economia superior a R$ 60,2 milhões na conta de energia elétrica dos seus clientes. E na Augment, a atenção às demandas de ESG vem desde o seu início, em 2019, quando foi estabelecida por uma equipe egressa do IFC (International Finance Corporation) para atuar com foco em estratégias de infraestrutura de crescimento sustentável em setores como energia, água e saneamento e infraestrutura de telecomunicações e transporte.

Leia mais  Ranking Fundos imobiliários de Abril 2020

O Investment Fund for Developing Countries (IFU), fundo dinamarquês que investe na Órigo por meio da Augment e que atua com foco em iniciativas que apoiam a transição verde e o desenvolvimento econômico e social em vários países, também está entusiasmado com o investimento.

“O IFU realizou diversos investimentos em energia renovável no Brasil e o aporte na Órigo Energia representa o nosso compromisso de apoiar a transição verde no país. A Órigo tem um modelo de negócios muito inovador para o desenvolvimento do setor de geração compartilhada de energia solar no Brasil.”, comenta o CEO do IFU, Torben Huss.

LULA OU BOLSONARO? Não corra o risco das eleições no Brasil: abra sua conta no exterior e proteja seu patrimônio

no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais

Investimentos em crédito privado bateram recordes positivos

Guia do Investidor

Oportunidades históricas que não podemos perder

Autor Convidado

Investimentos de Private Equity e Venture Capital ultrapassam R$ 28 bilhões no primeiro semestre

Guia do Investidor

Como se tornar um analista de investimentos? Saiba tudo

Suno Research

Mercado Livre de Energia: Especialista em energia esclarece alguns mitos e verdades sobre o modelo de negócio que vem crescendo

Guia do Investidor

As perspectivas para o segundo semestre de 2022: dólar, investimentos e economia

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário