Guia do Investidor
Screenshot 5
Notícias

Para resolver o problema: Vale vai vender níquel para a Tesla produzir baterias

A crescente tendência dos carros elétricos chegou para ficar, e a Tesla é a companhia pioneira neste movimento do global. No entanto, este mercado conta com necessidades de infraestrutura, e o atual grande desafio está na produção das baterias de lítio.

Assim, a (VALE3) fechou um contrato com a Tesla e vai passar a fornecer níquel para a montadora de veículos elétricos. A mineradora vai fornecer níquel Classe 1 – de maior pureza e baixa emissão de carbono – a partir de suas operações no Canadá.

A Vale disse que o contrato é de “longo prazo” e não comentou sobre os valores envolvidos. O níquel é utilizado nas baterias dos carros elétricos, que atualmente podem ser de três tipos: LFP (Lítio Ferro Fosfato); NCA (Lítio Níquel Cobalto Óxido de Alumínio) e NMC (Lítio Níquel Manganês Óxido Cobalto).

A indústria de baterias hoje enfrenta problemas relacionados à escassez de alguns desses insumos; às suas necessidades específicas, já que trabalha somente com metais de elevada pureza; e também questões relacionadas à produção. (O cobalto, por exemplo, é produzido principalmente no Congo, com suspeitas de trabalho infantil.)

Leia mais  Petróleo mais caro da década? Commodity dispara e leva ações do setor para as alturas

Nos últimos anos, a indústria vem tentando reduzir a utilização de cobalto – que funciona como elemento estabilizador – ao mesmo tempo em que aumenta o teor de níquel. O níquel eleva a densidade energética da bateria, o que aumenta a autonomia dos veículos – mas não é qualquer tipo de níquel que cumpre esse papel: somente aquele com o teor de pureza mais elevado, como o produzido pela Vale nas plantas da antiga Inco, no Canadá.

(A é um grande produtor, mas a invasão da está inviabilizando o fechamento de contratos.) Diante do aumento da demanda por carros elétricos, a Tesla e outras fabricantes de baterias elétricas estão querendo assegurar o acesso a esses materiais básicos com alto teor de pureza – além do níquel, elas estão correndo atrás do lítio.

Tiago Cunha, sócio da ACE Capital, disse que a notícia é extremamente importante para a Vale porque mudará seu patamar de produção de metais básicos.

“A Tesla não fechou o deal com a Vale porque a pegada de carbono da Vale é menor. Fechou porque é o produto certo para as especificações que a Tesla precisa,” disse Tiago. “Certamente a Tesla não está pagando o preço do níquel como commodity, mas com um prêmio pelo nível de pureza.”

Segundo Tiago, a Vale já produzia um níquel de qualidade superior, mas até hoje não tinha comprador disposto a pagar esse prêmio – o maior uso do níquel é na fabricação de aço inox, que não exige grau de pureza elevado. Agora, a mineradora poderá aumentar a produção das plantas, diluindo seu custo fixo.

Leia mais  Ações da PetroRio (PRIO3) podem disparar, diz BTG e Credit Suisse

A Vale disse que o acordo faz parte da estratégia de ampliar sua exposição à indústria de veículos elétricos – hoje cerca de 5% das vendas do de níquel vão para esse segmento, um percentual que a Vale espera elevar para entre 30% e 40%

Avalie este post:
[Total: 1 Média: 5]

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Credores da Samarco apresentam plano para assumir a empresa

Ruan Sousa

Vale (VALE3) anunciou de forma oficial a conclusão do seu programa de recompra de ações

Ruan Sousa

Inflação e juros altos: a receita por trás das movimentações da bolsa hoje

Leonardo Bruno

Perdido no mercado? Confira as melhores opções de ações para comprar na semana

Leonardo Bruno

Vale (VALE3) anuncia acordo com Tesla (TSLA34) para fornecimento de níquel a partir do Canadá

Ruan Sousa

Quer encher o bolso em maio? Confira a carteira de dividendos recomendada pelo Santander

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário