Guia do Investidor
DE CADA 10 EMPRESAS ABERTAS EM ALAGOAS EM 2020 OIT0030100100 xs
Notícias

Pelo segundo ano consecutivo, mais de 1 milhão de novas empresas foram abertas no primeiro trimestre de 2022

Março bateu recorde histórico em abertura de micro, pequenas e grandes em um único mês

Levantamento da Contabilizei, maior escritório de contabilidade do e líder em abertura de empresas, realizado a partir de dados da Receita Federal, mostra que em março o número total de empresas abertas cresceu 3,6% em comparação a fevereiro, e 1,7% em comparação a janeiro. Há também um recorde histórico de abertura de empresas Não MEI (micro e , empresas de grande porte, indústrias e agronegócios) realizadas em um único mês. O montante de CNPJs Não MEI abertos em março aproximou-se de 80 mil, número nunca alcançado anteriormente.

A pesquisa mostra ainda que o Brasil registrou queda de 4,8% no número de abertura de novas empresas no 1º trimestre de 2022, com 1.022.789* milhão de novos CNPJs abertos. No mesmo período do ano passado, foram abertas 1.074.501 de novas empresas. Já em comparação ao 1º trimestre de 2020, há um crescimento de 19%.

*CNPJs MEI (Microempreendedor Individual); Não MEI (Microempresas, Empresas de Pequeno Porte, Empresas de Grande Porte, Indústrias ou Agro-Negócios); apenas CNPJs Matrizes e todos os CNAEs exceto políticos

De 1.022.789 milhão de empresas abertas, 79% são MEIs (Microempreendedores Individuais), equivalente a 809.072 mil CNPJs. Enquanto 21%, equivalente a 213.717 mil, são micro, pequenas empresas, empresas de grande porte, indústrias e agronegócios.

Leia mais  Carteira de Small Caps para Janeiro 2020

Dentre estes 213.717 mil novos CNPJs, 189.954 pertencem a micro e pequenos negócios*, ou seja, aproximadamente 88,9% deste todo é representado pelos micro e pequenos empreendedores que continuam aumentando, já que em comparação ao primeiro trimestre de 2021, este número cresceu 8,5%.
* e empresas de pequeno porte; apenas CNPJs Matrizes e todos os CNAEs exceto políticos


“Mesmo com o decréscimo, ultrapassamos 1 milhão de novos CNPJs abertos já no primeiro trimestre do ano. É um número que deve ser comemorado, pois mostra a retomada da nossa em um momento em que todos os setores estão conseguindo trabalhar no pós pandemia e, principalmente, mostra o grande potencial dos micro e pequenos empreendedores que representam mais da metade das novas empresas geradas, montante que cresce cada vez mais”, destaca Guilherme Soares, vice-presidente de Growth da Contabilizei.

O executivo ressalta ainda que, nos últimos oito anos, o país alcançou essa marca apenas duas vezes. “Ultrapassamos essa marca de 1 milhão no 1º trimestre somente em 2021 e neste ano”, diz. Para Soares, ano passado houve um salto de aberturas tendo em vista a retenção causada pela pandemia. Com a economia voltando à normalidade, a tendência é que os números voltem a crescer no ritmo anterior a Covid-19.

Leia mais  Governo economizará 30% com gastos de TI

Balanço regional

Pelo 10º ano consecutivo, é o estado que mais abre empresas no Brasil, seguido de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul. Além disso, por pelo menos 10 anos consecutivos, estados do Sul e Sudeste lideram o ranking de abertura de empresas no Brasil.

Abertura de empresas nos estados — 1º trimestre de 2022

SP: 300 mil
MG: 107,6 mil
RJ: 86 mil
PR: 69,6 mil
RS: 59,6 mil

Fonte: Receita Federal – Dados Públicos

Setores

Atualmente, há mais de 21 milhões de empresas ativas no Brasil. O setor de Serviços representa mais da metade do total de CNPJs abertos no país.

Serviços*: 60,2%
: 31,2%
Indústria: 7%
Outros*: 1,3%

*Empresas de Serviços ( Liberais e Autônomos, Prestadores de Serviços especializados ou não em empresas de todos os portes; *Outros (CNAEs não identificados)

Já considerando as micro e pequenas empresas*, com exceção dos MEIs, o cenário não é diferente e o mesmo setor lidera o . Neste trimestre, a abertura de empresas voltadas para a prestação de serviços cresceu 3,8% em comparação à mesma época do ano anterior, ao mesmo tempo que há um declínio de 1,7% na abertura de empresas de comércio.

*Micro empresas e empresas de pequeno porte; apenas CNPJs Matrizes e todos os CNAEs exceto políticos

Leia mais  Perdas por Fraudes impactaram 95% das Empresas no Brasil nos últimos três anos, aponta Pesquisa da Kroll

Fonte: Receita Federal – Dados Públicos

Ao comparar os segmentos que mais cresceram em faturamento médio no ano de 2022 com o período pré-pandemia, os setores de turismo, eventos, engenharia e fotografia apresentaram crescimentos expressivos no 1º trimestre. É válido lembrar que a classificação de pandemia foi anunciada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no dia 11 de março de 2020.

Já na comparação entre os primeiros trimestres de 2021 e 2022, observa-se que houve um declínio no faturamento médio desses setores.

“Ao analisar os períodos pré e pós pandemia, há um aumento no faturamento médio de vários setores, o que mostra uma recuperação após dois anos de pandemia. São setores que foram diretamente afetados com as restrições de lockdown e que, agora podem atingir patamares de 2019 devido a uma demanda retraída”, comenta Soares.

Faturamento médio por setor

image 77
Fonte: Contabilizei (base de mais de 30 mil clientes)

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Sobrevivendo aos furacões que atingem o mercado

Autor Convidado

Micro, Pequenas e Médias Empresas: Comemorando o Empreendedorismo no Brasil

Autor Convidado

Perdas por Fraudes impactaram 95% das Empresas no Brasil nos últimos três anos, aponta Pesquisa da Kroll

Guia do Investidor

Por que é tão difícil o crédito para pequenas empresas?

Autor Convidado

Alfabetização financeira das micro e pequenas empresas brasileiras supera média de integrantes do G20

Guia do Investidor

Crédito para micro e pequenas empresas cresce 95% na pandemia

Gabriel Tavares

Deixe seu comentário