Guia do Investidor
plataforma semi submersivel p 20 bacia de campos petroleo do brasil petrobras 0
Notícias

Justiça suspende negociações entre Petrobras (PETR4) e PetroReconcavo (RECV3) e Eneva (ENEV3) pelo Polo Bahia Terra

A (PETR4) informou nesta sexta-feira (10) que foi intimada de decisão liminar proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Isto é, determinando a suspensão das negociações entre a empresa e o consórcio formado por PetroReconcavo (RECV3) e (ENEV3) pelo Polo Bahia Terra.

“A companhia adotará todas as medidas jurídicas cabíveis em prol dos seus interesses e de seus investidores”, diz a empresa, reforçando que o processo competitivo respeitou as normas internas de desinvestimento e ao disposto no Decreto 9.355/2018, que trata da cessão de direito de exploração.

Assim sendo, em maio, a Petrobras havia anunciado que entrou em negociações exclusivas com Petroreconcavo e Eneva para a venda do Polo Bahia Terra.

Desse modo, o ativo é composto por 28 concessões terrestres, localizadas em diferentes municípios do Estado da Bahia, além do acesso a infraestrutura associada ao processo produtivo.

e a Eneva se unem em oferta pelo Polo Bahia-Terra

A PetroRecôncavo (RECV3) e a Eneva (ENEV3) se uniram para fazer uma oferta conjunta pelo Polo Bahia-Terra, da Petrobras, que está sendo relicitado hoje. Bahia-Terra é um conjunto de dezenas de campos terrestres na região do Recôncavo Baiano, e traz consigo toda a infraestrutura de midstream, como dutos, uma UPGN e um parque de tanques, conectados ao terminal portuário de Madre de Deus e à Refinaria Landulfo Alves (RLAM).

Leia mais  Carteira Recomendada BTG Pactual para abril de 2019

Assim, a parceria permitirá à Eneva aplicar sua expertise na exploração da reserva de gás associada ao campo, estimada hoje em 7 bilhões de metros cúbicos – uma reserva na mesma escala do campo de Azulão, o que, segundo fontes do setor, permitiria à Eneva construir duas pequenas termelétricas, com capacidade somada de 460 MW.

Para a PetroRecôncavo, os 11.000 barris de óleo equivalentes/dia que o polo produz hoje aumentariam sua produção atual em cerca de 50% – sem contar a revitalização dos campos. Bahia-Terra é o último ativo do processo de desinvestimento de bacias maduras da Petrobras.

Além disso, todas as demais já foram transferidas para operadores privados. Neste processo, a PetroRecôncavo comprou os polos Riacho da Forquilha, Remanso e Miranga; a 3R comprou ativos no Rio Grande do Norte e na Bahia; e a Origem Energia comprou o Polo Alagoas. Os campos maduros da Petrobras no Nordeste e na Bacia de Campos – que chegaram a produzir 100 mil boe/dia cinco anos atrás – sofreram um declínio agudo nos últimos anos, com a Petrobras focando em seus ativos de classe mundial, os campos do pré-sal.

Nossas redes:

Leia mais

Eneva (ENEV3) capta R$ 4,2 bi em oferta de ações

Ruan Sousa

Conselho da Petrobras (PETR4) analisa nome de Paes de Andrade nesta segunda

Ruan Sousa

Comitê da Petrobras aprova nome de Caio Andrade para presidência

Agência Brasil

STF prorroga prazo para Petrobras (PETR4) prestar informações sobre preço dos combustíveis

Ruan Sousa

Diretoria da Petrobras (PETR4) aprova venda de participação nos campos Golfinho e Camarupim à BW Energy

Ruan Sousa

Dia de Follow-On: CVC (CVCB3) e Eneva (ENEV3) precificam nova oferta de ações

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário