Guia do Investidor
petrobras 1
Notícias

Refinarias da Petrobras (PETR4) processam volume recorde de petróleo do pré-sal

(PETR4)  informou que 65% da carga de petróleo processada nas refinarias da companhia no primeiro trimestre teve origem no pré-sal.  Segundo a petroleira, as refinarias processaram 1,030 milhão de por dia (mbpd), dado considerado recorde trimestral.

Desse modo, o recorde mensal foi atingido em fevereiro, com 66% do processamento.

“Em 2016, por exemplo, somente 27% da carga processada nas refinarias da companhia tinha origem no pré-sal”,

afirmou a Petrobras, em comunicado

De acordo com ela, o aumento da parcela destes petróleos decorre do crescimento da do pré-sal da e da “valorização dos derivados produzidos a partir dele”.

Assim, a Petrobras salientou que

“a decisão entre refinar mais petróleo ou exportar, e qual petróleo utilizar nas unidades da companhia, considera diversas variáveis, como disponibilidade dos , as características de cada óleo, seu preço e o preço dos derivados no nacional e internacional”.

destacou

Logo, o recorde acontece em meio à alta cotação do barril do petróleo no mercado internacional e às pressões por reajustes de combustíveis, especialmente o óleo diesel, com defasagem mesmo após o último reajuste de preços, de 8,87%.

anuncia reajuste no preço do diesel a partir desta terça-feira

A Petrobras (PETR4) anunciou que fará ajuste nos seus preços de venda de diesel para as distribuidoras.

Leia mais  Privatização Eletrobras (ELET3): começa hoje reserva de ações com FGTS

Desse modo, a partir do dia 10 de maio, próxima terça-feira, o preço médio de venda de diesel da Petrobras para as distribuidoras aumentará. Ou seja, passará de R$ 4,51 para R$ 4,91 por litro. Isto é, uma alta de 8,87%. 

Nesse sentido, estão mantidos os preços de gasolina e GLP. Assim sendo, a afirmou

“Com esse movimento, a Petrobras segue outros fornecedores de combustíveis no que já promoveram ajustes nos seus preços de venda acompanhando os preços de mercado”

destacou a companhia

Dessa maneira, a estatal destacou que o último ajuste de preços aplicado pela Petrobras aconteceu em 11 de março. Isto é, e naquele momento, refletia apenas parte da elevação observada nos preços de mercado.

Desse modo, esta decisão observou tanto o desalinhamento nos preços quanto a elevada volatilidade no mercado.

Assim, desde aquela data, a Petrobras manteve os seus preços de diesel e gasolina inalterados. Além disso, a companhia reduziu os preços de GLP, observando a dinâmica de mercado de cada produto, destacou.

Leia mais  PRIO3, VVAR3, ITSA4 e mais 10 ações para comprar na semana

Nesse momento, contudo, a companhia apontou que o balanço global de diesel está impactado por uma redução da oferta frente à demanda.

Dessa forma, os estoques globais estão reduzidos e abaixo das mínimas sazonais dos últimos cinco anos nas principais regiões supridoras.

“Esse desequilíbrio resultou na elevação dos preços de diesel no mundo inteiro, com a valorização deste combustível muito acima da valorização do petróleo. A diferença entre o preço do diesel e o preço do petróleo nunca esteve tão alta”

avaliou

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Petrobras (PETR4) paga hoje R$ 24,23 bilhões em dividendos e juros sobre capital próprio

Ruan Sousa

Ações da Petrobras (PETR4) voltam a ter negociações suspensas

Ruan Sousa

Pediu para sair: José Mauro Coelho deixa presidência da Petrobras

Leonardo Bruno

Com ameaças de Arthur Lira, Petrobras apresenta novos indicados ao conselho

Leonardo Bruno

Quer desvendar a bolsa brasileira? Foque nestas duas commodities

Leonardo Bruno

Reajuste da Petrobras (PETR4) impacta inflação no mês, mas não muda cenário para o ano, dizem economistas

Ruan Sousa

Deixe seu comentário