Guia do Investidor
Screenshot 10
Notícias

Presidente da Câmara anuncia proposta de redução no ICMS sobre energia e transportes

O presidente da Câmara dos deputados, Arthur Lira anunciou no plenário que vai pautar PLP, de autoria do deputado Danilo Forte (União -CE), que estabelece alíquota máxima de 17% no sobre energia, , telecomunicações e transportes, diminuindo sobre esses setores que se tornarão essenciais emendando uma lei de 1966.

“Aí nós vamos ter a real clareza de quem quer diminuir o preço de combustível, de energia, de transporte e de telecomunicação no Brasil”, afirmou.

Lira fez o anúncio um dia após a Câmara aprovar a urgência do projeto, o que acelera a tramitação dele. Com isso, o texto pode ser votado diretamente no plenário da casa, ao invés de ser discutido antes nas comissões. “Como o código é do tempo do Getúlio, energia e combustível naquela época era luxo. Então, os Estados tratam como bem especial. Como bem especial, a alíquota fica livre”, afirmou o deputado.

“Você modifica o código tributário nacional e enquadra o bem de primeira necessidade na tarifa máxima de 17%”.

No ano passado, o Supremo Tribunal Federal () decidiu ser inconstitucional a cobrança de alíquota de ICMS superior a 17% sobre as operações de fornecimento de energia elétrica e de telecomunicação.

Leia mais  Projeto que estabelece teto de 17% para o ICMS de bens essenciais enfrenta resistência de estados e municípios

Em uma audiência pública na semana passada, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que o ICMS representa hoje 21,3% do valor das contas de luz, em média.

Segundo o autor da proposta, deputado Danilo Forte (União-CE), o projeto objetiva tornar mais efetivo a decisão do Supremo e estender o limite aos combustíveis e transportes coletivos.

“Além disso, é um projeto que faz justiça: hoje, no Brasil, não podemos mais tratar estes itens como se não fossem essenciais para a população’, afirmou o parlamentar.

O texto do projeto diz que: “para fins da incidência de impostos sobre a produção, a comercialização, a prestação de serviços ou a importação, os combustíveis, a energia elétrica, as comunicações e o transporte coletivo são considerados bens e serviços essenciais e indispensáveis, não podendo ser tratados como supérfluos”.

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Ibovespa cai com plano de “combate a inflação” no radar

Leonardo Bruno

Projeto que estabelece teto de 17% para o ICMS de bens essenciais enfrenta resistência de estados e municípios

Guia do Investidor

STF suspende redução de IPI para produtos da Zona Franca de Manaus

Guia do Investidor

Governo aprova nova mudança na lei do ICMS para reduzir preços dos combustíveis

Leonardo Bruno

Ao menos 69% dos impostos mensais do MEI são pagos com atraso, mostra estudo da Neon

Victor Rodrigues

Após incentivo fiscal, Azul (AZUL4) vai expandir sua operação no Pará

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário