Guia do Investidor
Copom 1
Notícias

Rumo aos 13,5%? Economistas apostam em nova alta da selic em Agosto

  • O ciclo de alta da deve continuar progredindo nos próximos dias;
  • Segundo levantamento feito da opiniões de economistas, a deve bater 13,5% em agosto, para corrigir as altas de da escala de produção global.

A reunião do que acontece a cada 45 dias mostra exatamente os dias “D” do brasileiro. Afinal, a definição da taxa básica de rege a mãos de ferro o rumo dos níveis de e da economia em geral, por isso está sempre sobre o olhar criterioso dos e analistas.

Para esta semana, já está marcado a tradicional reunião que define os rumos da economia brasileira, e a discussão se os juros irão aumentar já está praticamente um consenso com os cenários de inflação explodindo ao redor do mundo graças ao covid e os conflitos na Rússia. A pergunta a ser respondida é: até onde vai este ciclo de alta?

De acordo com o Valor Econômico, em relação à Selic, o consenso do mercado aponta uma alta de 0,5 ponto percentual e mais 0,25 ponto em agosto, quando chegaria a 13,5%, mostra levantamento do Valor com 91 instituições.

Leia mais  Vale (VALE3) cria joint venture na China

Ainda de acordo com o Jornal houve uma piora na percepção fiscal com a proposta pelo de um pacote de incentivos para que os Estados reduzem o ICMS sobre os combustíveis. Dessa forma os economistas passaram a prever a projeção da inflação para 2023, de 4% antes da última reunião do COPOM, para 4,6% agora.

NÃO DURMA NO PONTO!
Receba as mais quentes do mercado em primeira mão no seu Telegram:
ATIVAR AGORA!

Nossas redes:

Leia mais

Selic a dois dígitos: hora de fugir da Renda Variável?

Guia do Investidor

Alta da Selic: Banco Central divulga ata

Guia do Investidor

Os juros altos chegaram para ficar? É o que indica o Copom

Leonardo Bruno

Vai continuar aumentando: Ata do Copom indica as expectativas do BC para os juros

Leonardo Bruno

Banco Central eleva a alta da Selic para 13,25%. Veja como ficam os investimentos

Guia do Investidor

Combustíveis, FED e Copom: Confira o que afeta seus investimentos na semana

Leonardo Bruno

Deixe seu comentário