Guia do Investidor
tenda recompra de acoes
Notícias

Tenda (TEND3) elege novo CFO, ex-Enjoei e Smiles

  • anuncia novo ;
  • Marcos Pinheiro, ex Enjoei e , assumirá no final deste ano;
  • Renan Barbosa, atual CFO, assumirá o cargo de diretor operacional.

A Tenda (TEND3) informou que Renan Barbosa deixará o cargo de CFO e diretor de relações com para assumir o cargo de diretor operacional. Dessa forma, a companhia elegeu Marcos Pinheiro para o cargo de CFO.

Marcos chega na Tenda após 9 meses na Enjoei, embora seja mais conhecido por seus três anos na Smiles, onde trabalhou com o CEO Leonel Andrade. De acordo com o fato relevante que a companhia emitiu, Marcos é formado em administração de pela PUC-SP e possui MBA pela Universidade da Califórnia (UCLA).

Suas passagens na Enjoei e na Smiles também foram como CFO. Contudo, também atuou como diretor de desenvolvimento de negócios na , além de ter passagem pela e Sodexo Alliance.

Todavia, Renan apenas deixará o cargo no final deste ano, dando tempo para que Marcos assuma com conforto o cargo.

“Marcos Pinheiro se juntará a nossa operação a partir do dia 04 de outubro, permitindo uma transição bastante organizada com o Renan Sanches até o final deste ano. Desejamos boas-vindas ao Marcos e sucesso a ambos em seus novos desafios. Ressaltamos que os demais cargos da Diretoria da Companhia permanecem inalterados.”

complementou a Tenda no fato relevante.

O guidance da Tenda

A Tenda (TEND3) elevou suas projeções para as vendas líquidas de 2021. De acordo com a companhia, suas estimativas passaram de R$ 2,8 a R$ 3 bilhões para R$ 3 a R$ 3,3 bilhões. Além disso, a companhia diminuiu suas expectativas para a margem bruta ajustada. Isto é, a margem que antes variava entre 30% a 32%, agora varia entre 28% e 30%.

Leia mais  Lupo, fabricante e varejista têxtil, prepara IPO na B3

A Tenda reportou recentemente seus resultados referentes ao segundo trimestre de 2021. De acordo com as demonstrações, a construtora somou uma receita líquida de 32,8%, atingindo R$ 698,8 milhões. Assim sendo, tal resultados teve impulso do recorde de vendas líquidas da companhia – que somou R$ 862 milhões, crescendo 50% na base anual – e do VSO também recorde de 34,2%.

Além disso, em relação ao EBITDA, a Tenda reportou o valor de R$ 78,1 milhões, crescendo 7,9% com margem de 11,2%. Contudo, houve uma queda na comparação anual de 16% em seu lucro líquido. Portanto, a companhia somou R$ 34 milhões na última linha de sua DRE (demonstrativos de resultados de exercício). Durante o segundo trimestre de 2021, a companhia lançou 22 empreendimentos, totalizando um VGV de lançamento recorde de R$ 1 bilhão.

LULA OU BOLSONARO? Não corra o risco das eleições no : abra sua conta no exterior e proteja seu patrimônio

no seu e-mail

Nossas redes:

Leia mais  SAET11: Mais um ETF do Ibovespa chega a Bolsa; veja mais opções

Leia mais

No vermelho: Tenda (TEND3) tem prejuízo de R$ 114 milhões no 2T22

Leonardo Bruno

A Tenda (TEND3) ainda tem lenda para queimar? Confira o que dizem os analistas

Leonardo Bruno

Vendas da Tenda despencam 22% na prévia do resultado 2T22

Leonardo Bruno

Pessimismo em relação à economia diminui entre CFOs, aponta pesquisa

Guia do Investidor

Tenda (TEND3) vai pedir a credores licença para elevar nível de endividamento

Ruan Sousa

Tenda (TEND3) reverte lucro e tem prejuízo líquido de R$ 67 milhões no primeiro trimestre

Ruan Sousa