Guia do Investidor
Fonte/Reprodução
Notícias

Vale (VALE3) busca parcerias para sua plataforma de energia

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • Vale anunciou que está reiterando, contudo, sua busca por investidores
  • Até o momento, não há instrumento vinculante ou tomada de decisão
  • A empresa busca, portanto, garantir uma abordagem sólida e sustentável

Após recentes notícias na mídia sobre a busca por um parceiro para a sua subsidiária Aliança Energia, a Vale (VALE3) emitiu um comunicado. Este, reiterando que está em busca de investidores. Assim, entre os principais players do mercado de energia.

A empresa ressaltou que, até o momento, não há qualquer instrumento vinculante. E, decisão tomada em relação ao potencial parceiro para a futura plataforma de energia ou sua estrutura de capital.

A busca por parcerias é parte da estratégia da Vale para expandir sua atuação no setor de energia, aproveitando oportunidades de investimento e fortalecendo sua presença nesse mercado. A empresa busca garantir uma abordagem sólida e sustentável ao escolher seus parceiros. Levando em consideração os aspectos estratégicos e operacionais para o sucesso dessa iniciativa. Essa iniciativa reflete o compromisso da Vale em diversificar suas operações e explorar novas oportunidades de negócios.

Após a notícia veiculada pelo jornal Valor de que pelo menos três grupos demonstraram interesse – CTG, da China, Engie (EGIE3) e Neoenergia (NEOE3) – a Vale (VALE3) emitiu um comunicado. Este, esclarecendo que está em busca de investidores para a sua subsidiária Aliança Energia.

A empresa reforçou que não há, até o momento, contudo, nenhum instrumento vinculante. Ou, como dito, nenhuma decisão definitiva sobre quem será o potencial parceiro. Assim, para a futura plataforma de energia ou sua estrutura de capital.

Leia mais  Ibovespa sobe em meio a "Dança das cadeiras" na Petrobras

A Vale, dessa forma, também lembrou que a conclusão da aquisição da totalidade da participação de 45% da Cemig (CMIG4) na Aliança Energia, pelo valor de R$ 2,7 bilhões. E, está, portanto, sujeita a condições precedentes usuais.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Segundo o comunicado, o aumento da participação na Aliança Energia representa um passo significativo. Este, na criação de uma plataforma de energia, que poderá abranger outros ativos do portfólio da Vale.

Leia mais  STF suspende dívida da Eletrobras e IBOV cai 1,73%

Vale apresenta nova proposta para acordo sobre Mariana

Na quarta-feira (12), a Vale, junto com a BHP Samarcoapresentou uma nova proposta de acordo relacionada ao rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana – Minas Gerais, e informou, portanto, que o valor financeiro da nova proposta, considerando obrigações passadas e futuras, totaliza R$ 140 bilhões.

“Os valores da Nova Proposta são para 100%, o que inclui uma contribuição de 50% da BHP Brasil e da Vale como devedores secundários, caso a Samarco não possa financiar como devedor primário”, informou a mineradora.

Segundo informações, o  valor inclui R$ 37 bilhões já investidos em reparação e compensação, um pagamento de R$ 82 bilhões pagável em 20 anos ao governo federal, aos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo e aos municípios. E, ainda, R$ 21 bilhões em obrigações a fazer.

“Como um dos acionistas da Samarco, a Vale reafirma seu compromisso com ações de reparação e compensação relacionadas ao rompimento da barragem de Fundão da Samarco, e a nova proposta é um esforço para chegar a uma resolução mutuamente benéfica para todas as partes, especialmente para as pessoas, comunidades e meio ambiente impactados, ao mesmo tempo que cria definição e segurança jurídica para as companhias”, diz a mineradora.

A Vale, BHP e Samarco, estão em uma mediação conduzida pelo Tribunal Regional Federal da 6ª Região, com os Governos Estadual e Federal e outras entidades públicas. As partes buscam a liquidação definitiva das obrigações previstas no Termo de Compromisso (TTAC). Ainda, na demanda judicial do Ministério Público Federal e em outras ações judiciais de entidades governamentais, contudo, relacionadas ao rompimento da barragem da Samarco.

Leia mais  Lula diz que "empresas devem seguir o pensamento do governo"

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Vale e BHP firmam acordo sobre reclamações no Reino Unido e Holanda

Márcia Alves

Eletrobras oferta ações da ISA Cteepe e movimenta R$ 3,5 bi

Paola Rocha Schwartz

Inflação na Argentina cai, mas ainda impacta o bolso da população

Paola Rocha Schwartz

Dólar opera em queda nesta sexta, devido à inflação nos EUA

Paola Rocha Schwartz

Ibovespa inicia com alta com maioria dos ativos em ganhos

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário