Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Altas temperaturas podem impactar em alta expressiva da conta de luz, confira dicas para driblar

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Diante do fenômeno El Niño, o Brasil vem enfrentando temperaturas acima da média de forma histórica. E neste cenário, as alternativas para refrescar o calor excessivo podem refletir no bolso do brasileiro, principalmente na conta de luz.

Thalita Moschini, coordenadora do curso de Engenharia Elétrica da Faculdade Anhanguera, aponta que com as altas temperaturas previstas, teremos um crescimento significativo na utilização de ventiladores, climatizadores, ar-condicionado, entre outros, trazendo consequentemente possíveis altas na conta de energia elétrica. “Estudos apontam que este aumento seja equivalente ao esperado para os meses de verão”.

Segundo a ONS (Operador Nacional de Energia Elétrica), o mês de setembro estará acima do consumo registrado em anos anteriores. Dados do órgão registram no dia 21 de setembro uma carga em 90 mil MW.no, um aumento expressivo comparado com o mesmo período de 2022, em que os relógios registravam 70 mil MW no uso de luz.

Leia mais  Petrobras pode ser obrigada a retornar ao modelo de PPI; advogados entram com ação

Ainda de acordo com a ONS, a onda de calor que está atingindo todo o Brasil pode refletir em um aumento de 5,8% nas contas de energia. A engenheira elétrica ressalta que todo equipamento consome uma certa quantidade de energia, mas que estes valores variam de acordo com cada aparelhamento.

“Neste período de altas temperaturas, há equipamentos que são mais utilizados, entre eles estão os ventiladores, climatizadores, geladeiras, freezer, ar-condicionado, entre outros. Para saber qual o nível de consumo, cada equipamento, traz esta informação por adesivos explicativos da INMETRO. A sua má utilização, também pode levar a alta na energia, isto se dá por ligações inadequadas, por exemplo”.

Moschini alerta que os ar-condicionado e as geladeiras são os aparelhos domésticos que mais consomem energia nestes dias de intenso calor, visto que estes itens utilizam energia para alterar a temperatura do ar e dos alimentos. “Os equipamentos mais antigos, tendem a utilizar mais energia ainda, e consequentemente refletirá em um maior aumento na conta de energia”.

Para driblar a conta de luz com valores acima da média nestes dias mais quentes, a professora do curso de Engenharia Elétrica da Faculdade Anhanguera, elencou algumas dicas, confira.

Leia mais  Intenção de consumo das famílias atinge maior patamar desde o início da pandemia, segundo a CNC

1. Desligue os aparelhos da tomada quando não estão sendo utilizados – há consumo de energia, ainda que seja muito pequena, porém na somatória de todos os aparelhos, pode significar uma redução significativa.

2. Aproveite a iluminação e ventilação natural – abra as janelas e portas no período mais fresco, para refrescar o ambiente, e feche os mesmos no período de maior intensidade de calor. Isto trará um conforto térmico, e consequentemente uma redução na utilização de aparelhos, como ventiladores e ar-condicionado.

3. Planejamento – antes de cozinhar, pegar algo na geladeira ou freezer, planeje para que todos os produtos sejam retirados de uma única vez. Lembre-se cada vez que a geladeira é aberta há troca de calor com o ambiente, por isto há um trabalho maior para sua refrigeração e consequentemente maior consumo de energia.

4. Temporizador para ar-condicionado – programe o seu ar-condicionado. Evite temperaturas abaixo dos 20°C, seu aparelho consumirá muito para que a temperatura fique abaixo. Por isto, uma temperatura de mais ou menos 22°C é o ideal.

Leia mais  Qual o tamanho da fortuna dos bilionários brasileiros?

5. Realize manutenção periódica nos ar-condicionado – aparelhos com problemas técnicos podem gerar um maior consumo de energia.

6. Evite utilizar os aparelhos de maior consumo entre os horários de pico – das 17h30 às 20h30, isto trará grande economia em sua conta de energia.

7. Na compra de aparelhos eletrônicos, dê preferência aos que são mais econômicos e consumam menos energia.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Brasil amplia relações comerciais com a China

Fernando Américo

Ambiente político é o fator mais prejudicial à economia

Fernando Américo

O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Fernando Américo

Economia cresce 0,8% em fevereiro; Destaque para o consumo

Fernando Américo

Crise na Bolsa de Valores? Um alerta para a economia brasileira

Autor Convidado

Conversar sobre dinheiro é motivo real para separação de casais

Fernando Américo

Deixe seu comentário