Guia do Investidor
Azul A330 900 A330neo 20121901 1024x683 1
Notícias

Azul aprova recompra de ações de até 1,3 milhão 

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

O plano de recompra visa o atendimento de parte das obrigações assumidas pela companhia nos planos de outorga de ações restritas atualmente vigente.

Nesta terça-feira (14), a Azul informou que foi aprovado por seu seu conselho de administração, um plano de recompra de até 1,3 milhão de ações preferenciais (PN).

Além disso, a companhia também aprovou um aumento de capital social no montante de R$ 17,9 mil. O capital da Azul sairá dos atuais R$ 2.315.609.982,68 para R$ 2.315.627.892,68.

De acordo com comunicado, a Azul vai emitir três mil ações preferenciais, que irão participar, em igualdade, de condições de todos os benefícios, incluindo, dividendos e eventuais remunerações de capital.

A companhia esclareceu que o percentual de diluição decorrente do aumento de capital foi de 0,0009% e informou que o plano de recompra visa o atendimento de parte das obrigações assumidas pela companhia.

“O plano de recompra visa o atendimento de parte das obrigações assumidas pela companhia nos planos de outorga de ações restritas atualmente vigentes e devidamente aprovados nas Assembleias Gerais Extraordinárias da companhia realizadas em 30 de junho de 2014 e em 19 de junho de 2020, bem como em eventuais outros planos de incentivo de longo prazo que foram ou que venham a ser aprovados em Assembleia Geral”, segundo comunicado da companhia.

Azul fecha 1T24 com prejuízo de R$ 324,2 milhões

Na segunda-feira (13), a Azul reportou um prejuízo ajustado de R$ 324,2 milhões, uma queda de 55,4% na comparação anual, quando registrou perdas de R$ 727,6 milhões. 

Leia mais  Confiança do empresário do comércio cresce 0,7%

O Ebitda da companhia totalizou R$ 1,415 bilhão, ante R$ 1,030 bilhão registrado no mesmo período de 2023, já a margem Ebitda obteve um crescimento de 7,2 pontos percentuais na comparação anual, alcançando 30,3%, considerado recorde para um primeiro trimestre e uma das mais altas do mundo, segundo John Rodgerson, CEO da Azul.

A receita líquida totalizou R$ 4,678 bilhões no 1T24, registrando um aumento de 4,5% na comparação anual, “impulsionada por um ambiente de demanda saudável, receitas auxiliares robustas e o crescimento de nossas outras unidades de negócio”, informou a companhia.

A alavancagem da Azul – medida como dívida líquida em relação ao Ebitda dos últimos 12 meses – reduziu 1,4 ponto percentual em relação ao ano anterior, de 5,2 vezes para 3,7 vezes.

“Estamos confiantes em nossa capacidade de continuar reduzindo a alavancagem organicamente e reafirmamos nossa perspectiva para encerrar 2024 com alavancagem de aproximadamente 3,0x, abaixo dos níveis pré-pandêmicos”, afirmou a Azul.


Leia mais  Previsão de inflação do mercado financeiro cai para 5,71% este ano
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ação do Inter está barata, diz Bradesco

Márcia Alves

Caixa paga Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 4

Agência Brasil

Governo federal anuncia R$ 1,6 bilhão para o setor audiovisual

Agência Brasil

Lula fala de Eletrobras privada e cobra Vale para reparar tragédias

Agência Brasil

Magda diz que petróleo vai financiar transição energética

Agência Brasil

Copom interrompe cortes e mantém juros básicos em 10,5%

Agência Brasil

Deixe seu comentário