Guia do Investidor
banco pine386
bancos Bancos Notícias Resultados Resultados 1T22

Banco Pine (PINE4) anuncia resultado do primeiro trimestre de 2022 com lucro líquido de R$ 1,8 milhão

O Banco Pine (PINE4) anuncia hoje os números de seu balanço referente ao 1º trimestre de 2022, no qual apresenta operacional de R$ 4,8 milhões, mostrando progresso quanto ao R$ 1,7 milhão do primeiro trimestre do ano anterior. O Lucro Líquido também cresceu, fechando o trimestre em R$ 1,8 milhão comparado a R$ 0,5 milhão no 1º trimestre de 2021.

Apesar do atual cenário econômico mundial, com novos desafios econômicos e geopolíticos globais e consequente crescimento generalizado da inflação, o banco manteve a estratégia de incrementar a rentabilização do portfólio por meio de maiores spreads e melhor alocação de capital, com incremento nas margens, principalmente com , que cresceu para 3,8% na comparação com 2,4% no ano passado.

É importante salientar que o crescimento da Margem Bruta de 47,8% é decorrente do aumento da do segmento , portfólio que possui spreads mais robustos e que está atrelado à estratégia de incrementar a participação de clientes com faturamento de até R$ 500 milhões (clientes com faturamento até R$ 500 milhões). Além disso, a Tesouraria também teve uma melhor performance, decorrente do aumento das receitas da Mesa de Clientes e da posição proprietária, assim como o menor custo de funding.

A sua carteira de manteve-se praticamente estável na comparação anual, tendência justificada pela já esperada queda na demanda por crédito no início do ano, em conjunto com o maior rigor na concessão. Destaque para o segmento Empresas que cresceu 11,3% no período, principalmente nos produtos atrelados a recebíveis. Nesse período a companhia também atingiu mais vinculação com os clientes, reportando Índice de Penetração de Produto médio de 2,6 por cliente.

Leia mais  Quais bancos digitais rendem mais que poupança?

“A nossa capacidade de processamento e a evolução dos , tanto no Internet Banking quanto no aplicativo, contribuíram para a ativação de 85% das novas contas via onboarding digital. Em conjunto com o empenho de nossos colaboradores, evidenciamos nossa capacidade de adaptação e inovação, seguindo na zona de excelência do nosso NPS”, afirma Mauro Sanchez, CEO do Pine.

A inadimplência acima de 90 dias está sob controle, em 0,2%, patamar bem inferior ao do , com percentual da carteira de crédito classificada entre os ratings AA-C superior a 92%. Quanto aos indicadores de liquidez, todos seguem robustos para apoiar o crescimento comercial planejado para 2022, sendo que 76% do funding possui vencimento superior a 1 ano, corroborando a estratégia implantada diante do cenário atual de incertezas e desafios econômicos, que acarretou na captação de produtos com fluxo de vencimentos mais longos, buscando um maior conforto de liquidez.

Com a divulgação dos ao público, o CEO do Banco reforça o compromisso da instituição. “Mesmo com o momento mais adverso, continuaremos buscando o crescimento sustentável e rentável. Já reforçamos nossa liquidez para apoiar o crescimento comercial neste ano, e em combinação com o Aumento de Capital homologadopelo Conselho em abril, fortaleceremos nossa capacidade de crescer o portfólio de crédito, aumentaremos a base de clientes e seguiremos investindo em pessoas, processos e tecnologias. Seguimos confiantes que nosso modelo de negócio permitirá a geração de valor a todos os nossos stakeholders”, finaliza o CEO.

Avalie este post:
[Total: Média: ]

Nossas redes:

Leia mais

Enauta (ENAT3) multiplica prejuízo por seis no 1T22

Ruan Sousa

Prejuízo da Tecnisa (TCSA3) cai 73,3% no 1º trimestre, para R$ 7 milhões

Ruan Sousa

BK Brasil (BKBR3) reduz prejuízo no 1T22

Ruan Sousa

JHSF (JHSF3) reporta lucro líquido 13% menor no 1º trimestre de 2022, indo a R$ 166,5 milhões

Ruan Sousa

Energisa (ENGI11) tem queda de 33,5% no lucro no 1º trimestre, para R$ 580,7 milhões

Ruan Sousa

Cogna (COGN3): lucro dispara 58,7% no 1T22 e reverte o prejuízo do último trimestre

Ruan Sousa

Deixe seu comentário