Guia do Investidor
renegociacao de divida
Bancos Notícias

Bancos repactuaram 20,4 milhões de contratos durante os dois anos da pandemia, alcançando volume histórico

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Em março, durante o Mutirão de Negociação e Orientação Financeira, 1,7 milhão de contratos foram renegociados e procura por negociações aumentou 178% no mês

Chega a 20,4 milhões o volume total de contratos em atraso repactuados no período da pandemia, entre março de 2020 e março de 2022, que superam R$ 1,1 trilhão de saldo negociados. No mais recente Mutirão de Negociação e Orientação Financeira, que durou 25 dias — de 07 a 31 de março —1,7 milhão de contratos foram renegociados, trazendo alívio financeiro imediato para empresas e consumidores endividados.

O evento contou com a participação de mais 160 bancos e instituições financeiras.

Até o último mutirão realizado em novembro de 2021, os contratos renegociados pelos bancos já totalizavam 18,7 milhões, volume também nunca visto. Desse total, cerca de 17 milhões foram repactuados principalmente em 2020, no período mais agudo da crise desencadeada pela doença. Em novembro passado, o mutirão alcançou também 1,7 milhão de contratos.

O empenho dos bancos e a mobilização conjunta da FEBRABAN, do Banco Central, da Secretaria Nacional do Consumidor e dos Procons de todo o país também contribuíram para que procura por negociações aumentasse 178% em março, na comparação a fevereiro. Em novembro, esse aumento observado foi de 36,7% em relação a outubro.

A média diária de contratos negociados nos 25 dias de mutirão em março também foi 20% maior que no último mutirão de novembro de 2021, quando o mesmo volume de contratos foi repactuado (1,7 milhão) em 30 dias de duração da ação.

“Mais uma vez alcançamos resultados surpreendentes com o Mutirão Nacional. Os bancos têm estendido prazos e oferecido condições especiais para evitar o agravamento da situação dos consumidores inadimplentes. A renegociação de dívidas e as ações de orientação financeira refletem o compromisso dos bancos com o consumidor e a prevenção ao superendividamento”, afirma Isaac Sidney, presidente da FEBRABAN.

No decorrer de 2021, a FEBRABAN promoveu 220 outros mutirões de renegociação de dívidas em parceria com Procons por meio da plataforma ConsumidorGovBr. A cada dez consumidores que recorreram à plataforma, oito tiveram a sua demanda solucionada, demostrando a efetividade da iniciativa em parceria com a plataforma de mediação de conflitos de consumo da Senacon.

O Mutirão de Negociação e Orientação Financeira é uma das iniciativas do acordo de cooperação técnica assinado entre a FEBRABAN e o Banco Central para desenvolver ações coordenadas de educação financeira. Por meio dele, podem ser negociadas dívidas em atraso no cartão de crédito, cheque especial, crédito consignado e outras modalidades de crédito que não tenham bens dados em garantia, como veículos, motocicletas e imóveis.

O foco em educação foi mais uma vez um dos diferenciais do Mutirão de Negociação e Orientação Financeira, que disponibilizou uma página eletrônica exclusiva com dicas sobre como gerir o orçamento doméstico e evitar a inadimplência. O acesso à nova plataforma de educação financeira Meu Bolso em Dia FEBRABAN passou a contar com um programa de recompensas para o consumidor.

A iniciativa contou com ampla divulgação: mais de 113 milhões de consumidores foram impactados por meio das redes sociais, influenciadores e programas de rádio e tevê. O Mutirão também teve ampla repercussão, com 1.366 citações por veículos de imprensa, reproduzido por 574 rádios em 490 municípios.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Nubank registra lucro recorde de US$ 395,8 milhões no 4TRI23

Fernando Américo

Bancos não repassam cortes da Selic e juros seguem estáveis

Guia do Investidor

“Sem juros” não existe? PGR investiga Bancos Brasileiros

Leonardo Bruno

O pior? BTG lidera lista de reclamações do setor bancário

Leonardo Bruno

Devendo quase R$ 8 bilhões, OSX pede recuperação judicial novamente

Lara Donnola

Quitejá é confiável? Veja contato, whatsapp e telefone

Arthur Piassetta

Deixe seu comentário