Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Demanda por crédito cai 6% em agosto

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A demanda por crédito no Brasil registrou queda de 6% em agosto na comparação com os últimos 12 meses. Este é o oitavo mês consecutivo em que a busca por financiamentos encerra em terreno negativo. No período, a maior retração foi no varejo (-15%), seguido por bancos e financeiras (-5%). Já o segmento de serviços, que tem um peso menor, obteve crescimento de 47%. Os dados são do Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC), que mede mensalmente o número de solicitações de financiamentos nos segmentos de varejo, bancos e serviços.

Apesar de ainda em terreno negativo, o INDC registrado em agosto já pode representar um sinal de que o pior ficou para trás, pois em julho a queda registrada chegou a dois dígitos, mas ao mesmo tempo já apresentava melhora na comparação com junho.

“Viemos de um cenário muito negativo desde o final do ano passado devido à alta inadimplência e o arrefecimento da oferta de crédito. Vimos, por exemplo, os bancos e financeiras se focarem mais em sua própria carteira de clientes do que na busca por novos consumidores. A expectativa, entretanto, é de uma melhora, ainda que conservadora”, explica Natália Heimann, head de produtos Analytics da Neurotech e responsável pelo indicador.

Na comparação mensal, agosto registrou alta de 5% na comparação com julho. Por segmento, a demanda por crédito ficou assim: bancos e financeiras (+17%); serviços (+28%) e varejo (-38%). Desde o final do ano passado, o mercado demonstra queda mês a mês com alguns soluços de melhora, como ocorreu em março e maio, julho e agora.

Leia mais  Caixa lança o Caixa pra Elas, com foco em combate a violência doméstica e empreendedorismo feminino

No varejo, o ranking do INDC por segmento em relação a julho, quase todos os segmentos acompanhados apresentaram forte queda. No campo negativo destacaram-se supermercados (-57%), vestuário (-33%) e lojas de departamento (-21%). Eletroeletrônicos não registrou variação e o segmento outros subiu 81%.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Dólar aproxima-se de R$ 5,20 com exterior e novas metas fiscais

Agência Brasil

Inflação sobe 0,16% em março e pesa para famílias de baixa renda

Agência Brasil

Bancos promovem mutirão de negociação até esta segunda

Agência Brasil

Justiça mantém obrigação da Enel de reduzir falta de luz em SP

Agência Brasil

Dólar atinge R$ 5,14 com tensões geopolíticas e inflação

Agência Brasil

Setor de Serviços recua 0,9% após três meses de alta

Agência Brasil

Deixe seu comentário