Guia do Investidor
dinheiro real 1 628x353 1
Notícias

Demanda por crédito caiu 13% em 2023

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Segundo Índice feito pela Neurotech, o segmento varejista foi o principal responsável pela retração durante todo o ano.

A demanda por crédito no Brasil registrou queda de 13% em 2023, em comparação com 2022. É o que mostrou o Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC), reforçando o período delicado que o setor viveu no ano passado. Para se ter uma ideia, o único mês com desempenho positivo para a busca por crédito foi setembro – que teve alta de 6%.

O segmento de maior influência negativa foi o varejo, que retraiu 22% durante todo o ano. A categoria que engloba os bancos e demais instituições financeiras também teve queda de 7%, enquanto o segmento de serviços foi o único a encerrar o período em alta, com crescimento de 8%.

Leia mais  Beneficiados por desoneração não são maiores empregadores, aponta Ipea

No recorte do último mês de dezembro, a queda foi de 17%, em comparação com o mesmo período de 2022, sendo o mês mais negativo do último semestre. O cenário se deve, principalmente, pelos bancos e instituições financeiras, que apresentaram retração de 23%. Já a procura no varejo caiu 18%. O setor de serviços foi, pelo terceiro mês consecutivo, o único com resultado positivo no mês, crescendo 25% na comparação anual.

Natália Heimann, head de produtos Analytics da Neurotech e responsável pelo indicador, avalia que o atual estágio das taxas de juros travou as expectativas de aumento no consumo que normalmente acontece na reta final do ano, em virtude das comemorações.

“Como já era esperado, um cenário de retomada da busca por crédito só deve acontecer, efetivamente, a partir deste mês de janeiro, à medida em que a recuperação econômica do Brasil, que ainda acontece de forma lenta, for dando maior tranquilidade aos consumidores, após um período de incertezas que foi 2023”, afirma.

No segmento varejista, em dezembro, as categorias Vestuário (12%) e Supermercado (7%), foram as únicas que registraram alta, na comparação dos últimos 12 meses. EletroMóveis teve o pior resultado, caindo 60%. Lojas de Departamento (-54%) e Outros (-8%) completam a lista.

Leia mais  Agência Fitch rebaixa nota da Braskem para BB+

Mês versus mês

Na comparação mensal, dezembro registrou queda de 1% contra novembro de 2023. Por segmento, a variação da demanda por crédito ficou assim: Serviços (+10 %), Varejo (+9%) e Bancos e Financeiras (-13%).

Já o recorte mensal varejista teve a categoria Vestuário como a única a apresentar crescimento, de 74%, o que indica a preferência pelas roupas como presentes de Natal. Os demais apresentaram: Eletro/Móveis (-19%), Supermercado (-16%), Lojas de Departamento (-1%); e Outros (-7%).

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Os Melhores Sites para Analisar Ações

Lara Donnola

Rendimento domiciliar do brasileiro chegou a R$ 1.848 em 2023

Agência Brasil

1 em cada 5 lares recebia benefício do Bolsa Família em 2023

Agência Brasil

Renda dos mais ricos supera em 14,4 vezes a dos mais pobres

Agência Brasil

Brasil amplia relações comerciais com a China

Fernando Américo

Dólar: BC não irá intervir no mercado de câmbio sem motivos

Agência Brasil

Deixe seu comentário