Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Com Biden, como ficam seus investimentos?

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Mesmo que a contagem dos votos ainda esteja em andamento, já sabemos quem liderará a maior economia mundial pelos próximos 4 anos: Joe Biden. O candidato do partido democrata está, nesse momento, com 290 colégios eleitorais a seu favor. Dessa forma, ultrapassando os 270 mínimos para vencer.

Mas quem é Joe Biden?

Joe Biden se formou em 1965 pela Universidade de Delaware com um double major em história e ciência política. Após isso, estudou direito na Universidade de Syracuse com metade de uma bolsa de estudos com base em suas necessidades financeiras.

Esteve no Senado do Estado de Delaware entre 1973 e 2009, exercendo seis mandatos consecutivos. E, além disso, foi vice-presidente de Barack Obama entre 2009 e 2017.

Entretanto, mesmo tendo como proposta o aumento de impostos, o mercado não o enxerga com maus olhos. O novo presidente dos EUA é visto como um liberal de centro e conciliador.

Principais propostas

Tratando-se apenas de propostas para a economia, Biden prevê um aumento de 21% para 28% nos impostos das empresas. Mesmo sendo superior aos impostos definidos por Trump, ainda estão abaixo dos 35% cobrado por Obama durante seu governo.

Leia mais  Ibovespa fecha no azul pela 4ª sessão seguida; Confira destaques

Além disso, uma taxa mínima sobre lucros estrangeiros de 21%, contra os atuais 10,5%.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Dessa forma, com a maior arrecadação, Biden pretende aumentar os gastos públicos para recuperar a economia da atual crise. Ademais, o tão esperado pacote de estímulos tão debatido nas notícias recentes é uma ideia democrata.

Leia mais  Bolsonaro decreta: SERPRO será privatizado

E o que Biden representa para o Brasil?

O primeiro ponto de preocupação é a relação distante do ponto de visto ideológico com nosso presidente, Jair Bolsonaro. Assim sendo, pode impactar diretamente as relações entre os países. Entretanto, justamente por ser um político centrista, propostas radicais não são esperadas de Biden.

Todavia, vale lembrar do primeiro debate entre Trump e Biden, onde o democrata citou o grande problema de desmatamento na Amazônia.

De acordo com Biden, caso o Brasil não pare a destruição da floresta enfrentará “consequências econômicas significativas”. O democrata propôs que países se reunissem para fornecer ao Brasil cerca de US$ 20 bilhões para corrigir o problema.

Como países europeus, como Alemanha e França, já pressionam o Brasil nas questões ambientais, é esperado, dessa forma, que ceda à pressão.

E para os investimentos?

Há diversos fatores que influenciam na cotação das empresas listadas na bolsa, entretanto, muito menos os que influenciam diretamente em seus resultados operacionais. Ou seja, o que de fato gera lucro para ela. Portanto, basear uma estratégia de investimentos com base em um resultado de eleição presidencial não faz muito sentido.

Leia mais  Impasse sobre teto da dívida dos EUA derruba índices de Wall Street

De acordo com a YCharts, levando em consideração os últimos 13 presidentes eleitos nos EUA, o S&P 500 teve variação positiva em 11 mandatos. Sendo que os dois com variação negativa eram republicanos, e por isso o desempenho do índice fica melhor num mandato democrata (6 dos 11).

Entretanto, há dois fatores importantíssimos durante esses dois mandatos. O primeiro, de 1969 a 1974 de Nixon, coincidiu com a crise do petróleo em 1973. Já o segundo, de 2001 a 2009, de Bush, pegou a enorme crise do subprime em 2008. Veja:

Desempenho

Portanto, pouca diferença fez o partido político do presidente eleito, e sim os resultados constantes das empresas. Todo o burburinho que se cria em volta disso, é apenas isso e nada mais: burburinho. Foque nos resultados individuais de cada companhia.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Fundos registram resgates líquidos de R$ 8,8 bilhões em maio

Guia do Investidor

Brasil levará 30 anos para ser o país “pobre” entre os mais ricos

Márcia Alves

Saída recorde de capital estrangeiro abala mercado brasileiro

Rodrigo Mahbub Santana

Ibovespa Cai com Receios sobre Inflação nos EUA e Eleições

Rodrigo Mahbub Santana

Ibovespa encerra em alta de 0,15% após seis dias de queda

Rodrigo Mahbub Santana

Biden eleva tarifas sobre produtos chineses e novas alíquotas

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário