Guia do Investidor
queimadas Amazonas
Agência Brasil Internacional Notícias

Lula falha no acordo Mercosul-UE por desrepeito do Brasil ao Acordo do Clima de Paris

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, na noite desta sexta-feira (8), que um dos motivos para o impasse no acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul tem a ver com o tema de compras governamentais, que o bloco europeu pretende que seja flexibilizado. A declaração do presidente foi dada durante discurso na abertura da Conferência Eleitoral do PT, em Brasília, quando Lula falava também sobre a competitividade do agronegócio brasileiro.    

“É por isso que nós não fizemos acordo com a União Europeia, porque a gente não quer ceder em compras governamentais. Compras governamentais é uma coisa pra gente atender os interesses do governo, do fortalecimento da indústria e fazer com que as nossas micro, pequenas e médias empresas cresçam. É por isso que nós vamos voltar a colocar componente nacional, vamos voltar a fazer navio e vamos exigir, pelo menos, 65% de conteúdo nacional nas coisas fabricadas, para gerar emprego aqui dentro”.  

Presidente da França criticou o Brasil por não respeitar acordo do Clima

Ao ser questionado sobre o engajamento ambiental da presidência francesa na União Europeia, o chefe de Estado criticou o Mercosul e principalmente o Brasil pelo desrespeito ao Acordos do Clima de Paris.

Queimadas no Amazonas batem recorde na primeira quinzena de outubro: O estado registrou 2.929 focos de fogo em 15 dias, 93% a mais do que a média histórica para o mês todo. Seca extrema que atinge a Amazônia facilita a propagação das chamas

No último fim de semana, durante a 28ª Conferência das Nações Unidas para Mudanças do Clima (COP28), em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, o presidente da França, Emmanuel Macron, mostrou-se contrário a um acordo. No entanto, dias depois, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ter esperança na conclusão de um acordo, cujas negociações se arrastam há mais de 20 anos. Durante a Cúpula do Mercosul, essa semana, o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, também demonstrou otimismo no fechamento de um acordo “muito em breve”.

O acordo UE-Mercosul chegou a ter um anúncio de conclusão geral em 2019, mas nem todos os pontos foram pactuados e, mesmo assim, há um longo caminho para sua efetiva entrada em vigor. Isso porque o tratado precisa ser ratificado e internalizado por cada um dos Estados integrantes de ambos os blocos econômicos. Na prática, significa que o acordo terá que ser aprovado pelos parlamentos e governos nacionais dos 31 países envolvidos, uma tramitação que levará anos.

Fonte: Agência Brasil

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Cartão Swile: é bom? Como funciona? Veja onde aceita

Lara Donnola

Concurso Caixa 2024: Salários, calendário, provas e resultados

Márcia Alves

Chegou a hora de investir nas empresas de saúde

Márcia Alves

XP Inc anunciou programa de recompra de 2,5 milhões de ações

Márcia Alves

Governo quer lançar plano para ampliar oferta de crédito consignado

Márcia Alves

Pedidos de asilo para UE atingem maior nível desde crise de 2016

Agência Brasil

Deixe seu comentário