Guia do Investidor
Oi Telecomunicacoes
Recomendações

Oi (OIBR3) – Vale a pena investir nas ações da Oi? Descubra

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

A Oi (OIBR3) possui o título de maior operadora de telefonia fixa do Brasil. Além disso, é a quarta maior operadora de telefonia móvel nacional e a terceira maior empresa do setor de telecomunicações na América do Sul. Passa por um processo de recuperação judicial há seis anos, mas parece ter se reerguido graças à nova gestão.

Neste artigo, o Guia do Investidor trará informações relevantes para qualquer um que queira realmente conhecer a história, o desempenho e as perspectivas de futuro desta tão repercutida companhia. Sendo assim, ao final deste conteúdo, você estará alguns passos adiante, e terá descoberto o que os grandes players do mercado já sabem sobre a OIBR3. Confira!

Sobre a Oi (OIBR3)

Esta gigante no setor de telecomunicações está no mercado há 56 anos, e listada em bolsa há cerca de 40 anos no Nível 1 de governança, deixando a desejar neste sentido. Atua no serviço de telefonia fixa e móvel, banda larga, TV, transmissão de dados e provedor de internet.

A Telefônica Oi, no formato mais próximo da que conhecemos hoje, surgiu em 1998 com a privatização do sistema Telebras. Ao longo de quatro anos, a companhia foi consistente e promoveu bons resultados, de modo que cresceu e conquistou o mercado. Entretanto, alguns problemas começaram a aparecer ao passo em que a Oi promoveu aquisições e, para isto, se tornou altamente alavancada. Além disso, a partir deste momento, começou a frequentar os noticiários, não mais como a queridinha de seu segmento, mas pelos escândalos nos quais eventualmente era citada, inclusive nos processos da operação Lava-jato.

Nesse sentido, ao longo de 18 anos (entre 1998 e 2016), a Oi contou com 11 presidentes diferentes, o que justifica a falta de consistência nas operações da companhia. Neste período também foi palco de brigas entre os sócios e investidores, o que trouxe ao mercado a queda na confiança.

Em junho de 2016, a dona das ações OIBR3, já devendo R$ 65 bilhões, protocolou o pedido de recuperação judicial. Foram dois anos de espera, até que foi homologado em 2018.

Leia mais  Quais foram as empresas mais lucrativas da Bolsa no 3T?

Para o contentamento dos investidores, entre 2019 e 2020, Rodrigo Abreu assume o cargo principal da companhia, se tornando CEO. O executivo possui um currículo excelente, tendo contribuído como presidente de diversas companhias renomadas, tais como a TIM e Cisco.   

Em suma, o resultado da nova gestão é positivo. Ou seja, as dívidas foram reduzidas desde então, a companhia promove o desinvestimento ao se desfazer de ativos para focar naquilo que pode gerar bons frutos.

Resultados recentes

Já faz um bom tempo que a companhia Oi não apresenta resultados positivos. Entretanto, em novembro registrou uma geração de caixa R$ 71 milhões acima da marca anterior, ainda que siga com R$ 30 milhões negativos. Nesse sentido, é possível compreender que a companhia promove esforços em razão de sua melhoria.

Além disso, a empresa de telefonia atingiu uma marca recorde e desfruta de 2 milhões de clientes no segmento de banda larga por Fibra.  Este marco é significativo pois, durante o seu processo de recuperação judicial, a empresa busca focar nas áreas de maior potencial, como a Oi Fibra. Sendo assim, foram 1,3 milhão de acessos para este tipo de rede no ano de 2020, pela extensão de 134 cidades.

Desempenho

Ao longo dos dez últimos anos, a cotação das ações da Oi (OIBR3) passou por um relevante processo de queda, e saiu de R$ 360 em 2009, para R$ 0,90 em 2019. Entretanto, houve uma valorização de 152% nestes papéis apenas em 2020, na comparação ano a ano.

Confira o desempenho destas ações ao longo do ano de 2020:

Captura de tela de 2020 12 27 15 55 02
Fonte: Status Invest

Quando se trata da análise quantitativa, os indicadores da companhia não são favoráveis. A Oi registra um Preço sobre Lucro (P/L) negativo de -0,88, bem como o Retorno sobre o Patrimônio (ROE) está em -242%. No mais, não há distribuição de proventos desde 2013.

Leia mais  Santander Way Aplicativo: controle melhor seus gastos

Observe as principais contas da Oi, e sua evolução desde 2015:

Captura de tela de 2020 12 27 16 03 11
Fonte: Fundamentei

Perspectivas de futuro

Em primeiro lugar, vale destacar que a boa gestão pode fazer toda diferença, inclusive para a forma como o mercado olha para uma companhia. Sendo assim, este é o caso da Oi (OIBR3), que apresentou, em 2020, uma liderança de qualidade com um bom planejamento e estratégias positivas.

Neste sentido, como resultado da gestão atual, por mais que tenha perdido market share para as companhias menores ao longo dos anos, em 2020 houve a diminuição desta perda. E as expectativas em geral são boas para 2021, que promete ser um ano promissor para a empresa que vem operando seu negócio com a finalidade de redirecionar seu foco para aquilo que faz de melhor e tem maior alcance, a fibra ótica

Além disso, a Oi segue arrecadando valores devido aos leilões realizados, sendo assim, o processo de reestruturação é longo, mas já tem sido efetivo.

A telefônica está cumprido seu papel em relação à recuperação judicial, assim como está diminuindo sua estrutura de forma estratégica, conforme a proposta apresentada no pedido de recuperação. Estas atitudes influenciam fortemente no preço de suas ações, que dispararam ao longo do ano.

Por fim, a maior preocupação em torno de uma instituição no processo de recuperação judicial é a possibilidade de falência, mas este não parece ser o destino da OIBR3. Acontece que a empresa está negociando a dívida e se desfazendo de bens em virtude do pagamento das obrigações, já muito menores do que registrado há seis anos.

O que os especialistas dizem da OIBR3?

Ágora

Os analistas da Ágora Investimentos destacam que a estratégia de priorização de investimentos da Oi tem dado certo, influenciando positivamente sua geração de caixa.

Acontece que para 2021, os esforços podem não surtir efeito, e a companhia pode ver suas margens pressionadas. De acordo com a Ágora, será preciso que a Oi retome seus níveis de investimento na relação de serviços móveis.

Sendo assim, a corretora mantém sua recomendação de compra para ações da Oi, com um preço-alvo de R$ 3,10 para 2021.

BTG Pactual

O BTG destacou, em seu relatório de análise, os avanços no segmento e disponibilização de fibra óptica por parte da Oi. Ou seja, neste sentido, o banco indica que já começa a gerar resultados. 

Leia mais  Melhores amigos? Bradesco volta a recomendar a compra das ações do Itaú

De acordo com os especialistas, pela primeira vez desde o terceiro trimestre de 2017, a receita de banda larga da Oi cresceu na relação trimestral. Ainda destacam que, sobre os avanços da telefônica, “isso é algo que deve continuar nos próximos trimestres”.

Sendo assim, o banco BTG Pactual mantém a sua recomendação de compra para estes papéis. O preço-alvo proposto é de R$ 2,80, com possibilidade de upside.

Bradesco BBI

O Bradesco BBI, recentemente, atualizou sua perspectiva de preços-alvo para as empresas do setor de telecomunicações. Dessa forma, a Oi recebeu a recomendação de compra, com um preço-alvo de R$ 3,40, com uma pequena margem em potencial de valorização.

Banco Santander

O Banco Santander (SANB11) promoveu uma análise completa tanto da empresa quanto do momento pelo qual passa, e sua avaliação atiçou os investidores mais assíduos dos papéis OIBR3. Dessa forma, divulgou um relatório assinado por Maria Tereza Azevedo, que indica o movimento de pausa para o preço dos papéis da Oi por todo o ano de 2021. 

Nesse sentido, a analista diz que nada mais pode justificar um novo salto na cotação dessas ações OIBR3, como ocorreu durante 2020. Vale lembrar que entre janeiro e dezembro, a Oi teve um avanço em seus papéis de, aproximadamente, 160%.

Por fim, o Santander promoveu a indicação neutra para as ações da Oi. Mas o que mais chama a atenção é o preço-alvo, que deve somar R$ R$ 2,30 ao final do próximo ano. Ou seja, em outras palavras, estes papéis devem permanecer no mesmo patamar por 4 trimestres consecutivos.

Enfim, o GDI destaca que este artigo não figura recomendações de compra ou venda, possuindo apenas a função de auxiliar os investidores em seu processo de aprendizagem.

Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Ibovespa: +2 mil pontos, 128,8 mil. Vale impulsiona.

Rodrigo Mahbub Santana

Como aumentar limite cartão: Caixa, Santander, Nubank e mais

Lara Donnola

IRB (IRBR3) apresenta valorização de 25,6%

Rodrigo Mahbub Santana

Oi suspende novamente Assembleia de Credores

Márcia Alves

Não compre ações da Petrobras, recomenda Bradesco

Márcia Alves

Goldman Sachs muda visão sobre Bradesco para neutra

Guia do Investidor

Deixe seu comentário