Guia do Investidor
imagem padrao gdi
Notícias

Petrobras e Hapvida resistem, mas a bolsa teve sua terceira queda consecutiva impulsionada por Vale e bancos

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Bolsa de Valores cai pelo terceiro dia consecutivo devido a quedas em ações da Vale e bancos; Petrobras e Hapvida têm alta.

A Bolsa de Valores registrou sua terceira queda consecutiva, com destaque para as quedas nas ações da Vale e dos bancos. A influência negativa dos índices em Nova York, que fecharam no vermelho após uma declaração do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, também impactou o mercado brasileiro.

Além disso, os investidores estão atentos à reunião do Conselho Monetário Nacional (CNM), que discutirá as metas de inflação. A cautela em relação a possíveis mudanças nas expectativas econômicas e no ciclo de queda da taxa Selic levou a uma postura defensiva. Enquanto a Vale caiu 3,16%, a BRF enfrentou os desafios da gripe aviária e recuou 4,27%.

Leia mais  Cielo lidera em alta; Magazine Luiza tem queda

Os bancos, como o Bradesco e o Itaú Unibanco, também perderam terreno. Por outro lado, a Petrobras apresentou alta de 0,95% e a Hapvida ganhou 1,47%.

Terceira queda consecutiva na Bolsa é impulsionada por Vale e bancos, enquanto Petrobras e Hapvida resistem às perdas

A Bolsa de Valores brasileira registrou sua terceira queda consecutiva, com as ações da Vale e dos bancos liderando as perdas. A influência negativa dos índices em Nova York, que fecharam no vermelho após uma declaração do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, também afetou o mercado brasileiro.

Os investidores estão atentos à reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), que discutirá as metas de inflação. A possibilidade de mudanças nessas metas e nas expectativas econômicas gerou cautela entre os participantes do mercado. O Banco Central já enviou sinais de que mexer nas metas neste momento pode impactar nas expectativas e influenciar o início do ciclo de queda da taxa Selic.

Nesse contexto, as posições defensivas prevaleceram, levando a uma queda de 3,16% nas ações da Vale, atingindo a mínima do dia.

Leia mais  Lista de todos os BDR’s listados na Bolsa (B3)

A BRF, por sua vez, enfrentou desafios relacionados à gripe aviária e recuou 4,27%. O setor bancário também perdeu terreno, com o Bradesco liderando as quedas, com uma redução de 1,65%, e o Itaú Unibanco recuando 0,57%. O setor varejista também ficou no vermelho, com destaque para a queda de 0,89% nas ações do Magazine Luiza.

Por outro lado, a Petrobras apresentou uma alta de 0,95%, tentando compensar as perdas do mercado. A Hapvida também teve um desempenho positivo, registrando um ganho de 1,47% e se destacando como uma das ações mais negociadas. Já a WEG teve uma leve alta de 0,22%, recebendo recomendações de compra e venda.

Embora a Bolsa tenha registrado três quedas consecutivas, é importante destacar que os ganhos acumulados em junho, assim como no trimestre e no semestre, ainda são significativos.

O mercado continua atento às próximas movimentações e aos desdobramentos da reunião do CMN, que podem influenciar as perspectivas econômicas e os investimentos.

Nos siga no Google News
Leia mais  Petrobras e outras empresas têm notas de crédito elevadas; entenda

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Gringos sacam R$ 4,63 bi na bolsa de valores brasileira

Márcia Alves

Segunda prévia da carteira do Ibovespa B3 tem 87 ativos

Fernando Américo

Petrobras anuncia que não vai mexer nos preços do combustível

Márcia Alves

Ibovespa abre com queda novamente e Eletrobras inicia em alta

Paola Rocha Schwartz

Petrobras é um transatlântico à deriva, diz Estadão

Paola Rocha Schwartz

Petrobras: Gasolina com maior defasagem do ano chega a 21%

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário