Guia do Investidor
suzano celulose china
Notícias

Preço da celulose pode disparar, diz CEO da Suzano

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Empresa busca por novas áreas de cultivo devido ao aumento na concorrência agrícola

Devido a valorização de terras no Brasil, a Suzano (SUZB3), maior fornecedora mundial de celulose, prevê um aumento significativo nos custos da commodity. Em meio à forte competição com produtores agrícolas, a empresa busca expandir suas fronteiras de cultivo de eucalipto, declarou o CEO Walter Schalka.

Schalka acredita que o preço da celulose nos próximos dez anos será superior à última década.

“Na minha opinião, será maior”, destacou.

O executivo mencionou que o rápido crescimento do setor agrícola no Brasil, além da tecnologia utilizada, permite a expansão de culturas como soja e milho em áreas anteriormente não competidas. 

Atualmente o Brasil se destaca como o principal exportador mundial de celulose. A demanda global pelo material continua a crescer, especialmente na América do Sul. Os produtos à base de eucalipto ganharam espaço em novos mercados, como por exemplo o de produtos absorventes, antes dominado por fibras do hemisfério norte.

Dados da Suzano revelam um aumento significativo de 62% no preço das terras brasileiras nos últimos cinco anos. Esse crescimento também impactou o preço da madeira, que quase dobrou no mesmo período.

Leia mais  Bolsa já negociou quase R$ 2,7 trilhões em 2019

Estratégia de crescimento

Apesar dos desafios, a SUZB3 planeja manter um ritmo de plantio ambicioso de aproximadamente 1.2 milhão de eucaliptos por dia. A empresa pretende expandir para áreas previamente não utilizadas para o cultivo de árvores. Esta estratégia tem potencial de impulsionar as plantações.

A mesma estratégia foi utilizada e obteve êxito em Mato Grosso do Sul. Hoje o estado abriga duas fábricas de celulose. Além disso, há uma nova unidade da Suzano prevista para iniciar as operações em junho deste ano. A região também foi escolhida como destino de um investimento de US$ 3 bilhões pela família bilionária chilena Angelini, que deve inaugurar uma fábrica em 2028.

No final de 2023, a Suzano anunciou a compra de duas empresas geridas pelo BTG Pactual. Os ativos abrangem cerca de 70 mil hectares no Mato Grosso do Sul, por um montante de R$ 1,82 bilhão.

Suzano investe 1,8 bilhão em compra de terras do BTG

A Suzano, uma das líderes do setor de celulose no Brasil, fechou um acordo significativo com o BTG Pactual para a aquisição de 70 mil hectares de terras, investindo R$ 1,83 bilhão. Essa transação estratégica visa fortalecer a autossuficiência da companhia em uma região que já possui sinergias geográficas com sua estrutura operacional existente. Deste total, 50 mil hectares são de áreas produtivas, enquanto o restante consiste em reservas ambientais protegidas.

Leia mais  Suzano anuncia aquisição de negócios da Kimberly-Clark

As terras adquiridas estão localizadas no Mato Grosso do Sul, próximas às fábricas de celulose da Suzano em Três Lagoas e à unidade em construção em Ribas do Rio Pardo, parte do Projeto Cerrado, com previsão de conclusão para junho de 2024. Segundo Marcelo Bacci, CFO da Suzano, a aquisição não apenas aumenta a autossuficiência das operações da empresa no Mato Grosso do Sul a curto prazo, mas também oferece opções de crescimento futuro.

“Atingiremos um nível elevado de madeira própria nos próximos anos, o que nos dá a possibilidade de construir uma nova fábrica na região ou expandir as capacidades das duas fábricas atuais,” afirmou Bacci. A fábrica de Três Lagoas possui uma capacidade produtiva anual de 3,25 milhões de toneladas, enquanto a de Ribas do Rio Pardo terá capacidade de 2,5 milhões de toneladas por ano.

Sobre a Suzano

Suzano Papel e Celulose, ou apenas Suzano, é uma empresa brasileira de papel e celulose. É a maior produtora global de celulose de eucalipto e uma das 10 maiores de celulose de mercado. A empresa é 100% brasileira e referência global no desenvolvimento de produtos fabricados a partir do plantio do eucalipto, além de estar entre as maiores produtoras verticalmente integradas de papel e celulose de eucalipto da América Latina. O portfólio de produtos contempla papel “Imprimir e Escrever” revestido e não-revestido, papelcartão, papel tissue, celulose de mercado e celulose fluff.

Leia mais  Suzano (SUZB3) reajusta celulose na Ásia em US$ 30 por tonelada
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Suzano (SUZB3) anuncia novo CEO

Mateus Sousa

Suzano investe 1,8 bilhão em compra de terras do BTG

Leonardo Bruno

Klabin ou Suzano? Descubra qual deve disparar em 2024

Leonardo Bruno

Suzano aumenta preços da celulose para China, Europa e EUA

Miguel Gonçalves

Receita líquida da Suzano desaba 37% no resultado 3T22

Leonardo Bruno

Suzano se destaca, varejistas têm perdas

Guia do Investidor

Deixe seu comentário