Guia do Investidor
F896002D 33F1 4218 9E1E 4F10C130E9B5
Notícias

Preços de combustíveis em sintonia com o mercado internacional em 2024

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Os preços da gasolina e do diesel no Brasil iniciaram 2024 praticamente equiparados aos valores do mercado internacional, conforme relata a Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis).

Gasolina em Paridade

A Abicom destaca que há oportunidades para a compra de gasolina, enquanto o óleo diesel permanece sem reajustes há 74 dias nas refinarias da Petrobras, com preço 1% superior ao praticado no Golfo do México, referência para os importadores brasileiros.

Leia mais  Preço da gasolina sobe 2,53% em fevereiro: média nacional é de R$ 5,943

A estabilidade do câmbio em torno dos R$ 4,8 e o petróleo cotado a 77 dólares o barril contribuem para manter os preços internos.

Desafios para o Diesel

No caso do diesel, que teve reduções de preço pela Petrobras em dezembro, as oportunidades de importação estão limitadas. A Acelen, controladora da Refinaria de Mataripe, reduziu o preço do diesel em R$ 0,10/litro no final do ano passado.

O diesel brasileiro se encontra 2% abaixo do valor no Golfo do México nas refinarias da Petrobras, e 1% a menos das refinarias nacionais.

Estratégia da Petrobras

Desde maio, a Petrobras abandonou a Política de Paridade com a Importação (PPI) e adotou uma abordagem comercial focada no custo alternativo do cliente, priorizando a previsibilidade de mercado e mantendo a lucratividade, conforme explicou o presidente da estatal, Jean Paul Prates.

O mercado brasileiro de combustíveis continua a ser impactado por variáveis globais, enquanto as estratégias comerciais buscam equilíbrio entre competitividade e estabilidade econômica.

Portanto, o panorama no setor de combustíveis no Brasil, evidencia a sensibilidade do mercado às oscilações internacionais, destacando oportunidades para a indústria nacional.

Leia mais  Aumento iminente dos combustíveis: INFLAÇÃO para população

BlackRock aposta na aquisição das ações da Randon

Randon (RAPT4) anunciou recentemente que a BlackRock, a maior gestora de ativos do mundo, adquiriu ações preferenciais emitidas pela empresa, revelando um movimento significativo no cenário de investimentos.

Participação da BlackRock na Randon em Detalhes

Em 28 de dezembro de 2023, a BlackRock tornou-se detentora de 10.648.987 ações preferenciais da Randon, o que equivale a aproximadamente 5,003% do total. Além disso, a gestora adquiriu 3.994.915 instrumentos financeiros derivativos referenciados em ações preferenciais, com liquidação financeira, representando 1,877% do total.

Objetivo Estratégico e Não Interferência no Controle Acionário

De acordo com o comunicado ao mercado, a intenção por trás dessas participações societárias é “estritamente de investimento”, e não visa alterar o controle acionário ou a estrutura administrativa da Randon. Não foram estabelecidos contratos ou acordos regulando o exercício de direito de voto ou a compra e venda de valores mobiliários da empresa.

Desempenho Expressivo da Randon em 2023

A movimentação da BlackRock ocorre em meio ao desempenho expressivo da Randon em 2023. Então, as ações preferenciais da RAPT4 fecharam o ano valendo R$ 12,80, representando um notável aumento de aproximadamente 55% ao longo do ano.

Leia mais  Suspensão da exportação de diesel da Rússia pode afetar preços

A presença da BlackRock como acionista relevante destaca a confiança da gestora no potencial de crescimento e na solidez da Randon. Afinal, esses desenvolvimentos refletem estratégias de investimento de longo prazo, alinhadas com a visão da gestora em relação ao desempenho futuro da empresa.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Política de preços da Petrobras após um ano tem efeito reduzido

Paola Rocha Schwartz

Preço da gasolina aumenta 0,7% na semana e atinge quase R$8

Paola Rocha Schwartz

Preços de combustíveis sobem em abril; etanol atinge R$ 3,87

Rodrigo Mahbub Santana

Petrobras: Gasolina com maior defasagem do ano chega a 21%

Paola Rocha Schwartz

Gasolina se mantém estável em março com média de R$ 5,944

Guia do Investidor

Preço da gasolina sobe 2,53% em fevereiro: média nacional é de R$ 5,943

Guia do Investidor

Deixe seu comentário