Guia do Investidor
Free Freepik financas
Notícias

Preparando as finanças para 2024

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

Especialista dá cinco dicas para evitar entrar no vermelho neste ano

A virada de ano é um momento significativo para a maioria dos brasileiros. Além de ser uma oportunidade de se reunir com a família e amigos, muitos aproveitam essa época para fazer uma pausa e repensar suas finanças. A consciência possibilita traçar um plano e tomar as melhores decisões financeiras, já que o número de brasileiros endividados em novembro chegou a 76,6% e o de inadimplentes totalizou 29,0%, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Para Fernando Lamounier, educador financeiro e diretor da Multimarcas Consórcios: 

“Começar o ano sem dívidas é fundamental para uma organização financeira sólida. Quando estamos livres de dívidas, temos mais tranquilidade para planejar nossas finanças de forma estratégica. Podemos estabelecer metas realistas, poupar regularmente e investir no que realmente importa”.

Segundo dados da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), 80% dos brasileiros que se organizam financeiramente conseguem atingir seus objetivos. Além disso, eles têm mais chances de evitar dívidas e poupar dinheiro, o que contribui para a construção de uma vida financeira saudável e estável.

Pensando nisso, o especialista separou 5 dicas para não entrar no vermelho em 2024:

• Faça um levantamento dos gastos, anotando todas as futuras despesas. Análise as áreas em que é possível economizar, buscando alternativas mais econômicas e eficientes.

Leia mais  Guedes anuncia série de medidas com PECs

• Estabeleça metas financeiras realistas para o próximo ano considerando suas prioridades e objetivos. Uma forma de fazer isso é definir metas alcançáveis, como economizar para uma viagem que você sempre quis fazer ou pagar uma dívida que esteja te incomodando.

• Utilize a regra 50, 30 e 20 para organização das finanças e priorize as despesas mais importantes, evitando o endividamento. A regra financeira é simples e divide o orçamento em três partes: 50% para gastos fixos e essenciais; 30% para gastos variáveis e que podem ser reduzidos se necessário; e 20% para investimentos ou criação de um fundo de reserva.

Poupe regularmente uma quantia fixa de dinheiro a cada mês. Além de ajudar a construir uma reserva de emergência, a prática também é essencial para alcançar suas metas financeiras de longo prazo. Ao poupar regularmente, você estará adotando uma abordagem proativa em relação às suas finanças, garantindo que você esteja preparado para enfrentar imprevistos e despesas inesperadas.

Evite dívidas desnecessárias para manter seu orçamento saudável é extremamente importante avaliar com atenção suas necessidades antes de efetuar compras parceladas ou solicitar empréstimos. Portanto, ao planejar suas finanças, lembre-se de considerar cuidadosamente se a compra é realmente necessária para atender às suas necessidades imediatas e se você terá capacidade de pagar as parcelas mensais ou as prestações dentro do prazo estabelecido.

“Iniciar o ano de maneira organizada e bem planejada, com um orçamento detalhado e uma estratégia de gastos consciente, é fundamental para evitar o acúmulo de dívidas indesejadas e garantir uma base sólida para o futuro financeiro”, conclui Lamounier.

Leia mais  Os fundamentos do dinheiro: O que de fato você precisa saber antes de qualquer coisa
Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Planejamento financeiro: qual é o segredo para não desistir?

Fernando Américo

Você sabe a diferença entre um endividado e um inadimplente?

Fernando Américo

Cartão de crédito é o principal motivo entre os inadimplentes

Guia do Investidor

Trabalhadores se irritam em casa por causa da falta de dinheiro

Guia do Investidor

Voitto é bom e confiável? É reconhecido pelo MEC?

Arthur Piassetta

Psicologia financeira: descubra o que é e como impacta a sua vida

Guia do Investidor

Deixe seu comentário