Guia do Investidor
Foto/Reprodução
Notícias

Sob Milei, economia da Argentina avança e inflação cai

Nos siga no Google News

Continua após o anúncio

  • Em seis meses de Milei, a economia argentina apresenta sinais de recuperação econômica e uma desaceleração significativa da inflação
  • Milei implementou reformas econômicas abrangentes, entradas em privatizações, desregulamentações e cortes de subsídios
  • A inflação, um dos maiores entraves econômicos do país, apresentou uma queda notável

Sob a liderança de Javier Milei, a economia argentina apresenta sinais de recuperação notáveis, acompanhados por uma desaceleração significativa da inflação, embora ainda enfrente desafios substanciais.

Desde que assumiu a presidência em dezembro de 2023, Milei implementou uma série de reformas econômicas abrangentes. Estas reformas, centradas em privatizações, desregulamentações e cortes de subsídios, visam equilibrar as contas públicas e estabilizar a economia.

Em fevereiro de 2024, a Argentina registrou um superávit fiscal de 338,1 bilhões de pesos, o primeiro para o mês desde 2012. Este resultado positivo é fruto de políticas fiscais rigorosas e do aumento de tributos, refletindo a estratégia do governo para corrigir os desequilíbrios macroeconômicos do país​.

A inflação, um dos maiores entraves econômicos do país, apresentou uma queda notável. A taxa mensal de inflação reduziu de 25% em dezembro para 13,2% em fevereiro de 2024.

Projeções indicam que essa tendência de queda continuará nos próximos meses. O Banco Central da Argentina reduziu inesperadamente a taxa básica de juros de 100% para 80%, um movimento que reforça a confiança na política monetária do governo Milei.

Leia mais  Demissão de Prates vai além da queda das ações da Petrobras

Apesar desses avanços, a economia argentina ainda enfrenta desafios consideráveis. O peso argentino desvalorizou-se significativamente, perdendo metade de seu valor desde que Milei assumiu o cargo. A inflação anual, embora em queda, ainda está entre as mais altas do mundo, atingindo 276,2% em fevereiro de 2024​.

Imagine-se navegando em alto mar sem uma bússola. Cada onda representa uma decisão financeira, e sem orientação, é fácil se perder nas correntezas do mercado. É aí que entra a consultoria financeira. Como um farol na escuridão, ela oferece direção clara e segura para alcançar suas metas.

É por isso que o Guia do Investidor orgulhosamente lançou o GDI Finance, com a missão de ser o mapa para o seu sucesso financeiro, mas também para navegar junto ao seu lado. Com anos de experiência, nossos consultores são como capitães experientes, guiando-o pelas águas turbulentas da economia.

Desde a navegação para a aposentadoria tranquila até a jornada para aquisição de bens, o GDI Finance foi criado para simplificar sua trajetória. Com estratégias personalizadas e insights precisos, transformamos desafios em oportunidades e sonhos em realidade.

É hora de aprender a navegar tranquilo por águas turbulentas, alcançaremos horizontes que você nunca imaginou possíveis. Conheça a nossa consultoria financeira hoje mesmo.

Resposta do mercado financeiro

No entanto, a resposta dos mercados financeiros tem sido positiva em vários aspectos. A bolsa de valores argentina registrou um aumento de 54% nos primeiros meses do governo Milei. Além disso, o risco país, medido pelo Credit Default Swap (CDS), caiu 1.739 pontos, sinalizando uma melhora na confiança dos investidores internacionais na economia argentina.

Leia mais  STF determina correção do FGTS pela inflação oficial no país

Em suma, sob a administração de Javier Milei, a Argentina está mostrando sinais promissores de recuperação econômica e uma desaceleração da inflação.

No entanto, a estabilidade cambial e o controle inflacionário a longo prazo permanecem como desafios cruciais que o governo precisará enfrentar para garantir um crescimento sustentável e inclusivo.

Argentina registrou primeiro superávit trimestral com gestão Milei

Quando Javier Milei assumiu a presidência da Argentina em dezembro de 2023, a inflação anual estava acima de 200%. Em novembro, os preços haviam subido mais de 160%.

Em abril, a inflação acumulada atingiu 289,4%. No entanto, a tendência está diminuindo, marcando a quarta queda consecutiva, com 8,8% em abril, comparado a 11% em março.

Segundo analistas consultados pela CNN Brasil, o “tratamento de choque” proposto por Milei durante sua campanha está direcionando o país para o controle econômico.

“O governo Milei entendeu que a Argentina estava em uma situação macroeconômica muito complicada”, afirma Camilo Tiscornia, professor de macroeconomia na Argentina.

“Por trás do grande problema de inflação da Argentina está o permanente déficit fiscal. Então, eliminá-lo, como está fazendo o governo atual, é um passo na direção correta”, complementa.

Na posse, o governo argentino enfrentava um déficit primário de quase 3% do PIB. O tratamento de choque começou de imediato, com o “decretaço” de Milei, que incluiu cortes de investimentos na indústria e no comércio, a revogação de leis ambientais e políticas para facilitar a privatização de estatais.

Leia mais  Brasil aporta R$ 2,8 bilhões em banco que empresta à Argentina

Além disso, foram anunciados cortes nos subsídios para gás, eletricidade, combustíveis e transportes públicos. Em março, o resultado foi evidente: o governo argentino registrou seu primeiro superávit trimestral desde 2008, acumulando 275 bilhões de pesos em caixa.

“A inflação caiu porque o gasto público caiu. A gente tem uma redução tremenda no gasto, ou seja, a demanda do estado hoje é muito menor”, comentou Mauro Rochlin, economista e professor da FGV.

“Acho que o país caminha na direção certa uma vez que a gente tem uma redução muito acentuada da inflação”, ele completou.

A atividade econômica no país, no entanto, está em declínio. Em março, houve uma queda de 8,4% em relação a fevereiro, marcando o quinto mês consecutivo de retração.


Nos siga no Google News

DICA: Siga o nosso canal do Telegram para receber rapidamente notícias que impactam o mercado.

Leia mais

Desaprovação de Lula aumenta e atinge pior índice histórico

Paola Rocha Schwartz

Lula discute revisão de gastos em reunião com ministros hoje

Paola Rocha Schwartz

Ibovespa fecha em leve alta e BR fora do radar de investimentos: confira o resumo dia

Rodrigo Mahbub Santana

Brasil fora do radar de investidores estrangeiros, diz Pinheiro Neto

Paola Rocha Schwartz

Efeito Milei: Inflação na Argentina cai a menor nível desde 2022

Paola Rocha Schwartz

Produtora de filiado ao PT captou R$ 3 milhões da Petrobras

Paola Rocha Schwartz

Deixe seu comentário